ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

sexta-feira, 28 de abril de 2017

As noites...

Esta noite o António só chamou por mim uma vezzzzz, uma vez!! E acordou às 7h45.
Podia ter sido a melhor noite de sempre, não fosse a Alice estar constipada e chamar-me 30 mil vezes para assoar o nariz, para se queixar, para se cobrir, para fazer xixi, para me ver só mais uma vez...
Esta quase que foi a melhor noite desde há muito, muito tempo...
Quase que vejo ao fundo do túnel uma noite de sono descansado.

 

quinta-feira, 27 de abril de 2017

A fingir que isto é um blog de moda cheio de conselhos úteis

Conjugar t-shirts de desporto ou outras igualmente informais com saias mais ou menos clássicas.
Adoro!

 
 
 
 
 
 

Teorias soltas

Parte do reconhecimento que fazem de nós enquanto profissionais passa pelo nosso vencimento.
Não estou a dizer que todos os que ganham muito são bons profissionais ou que são reconhecidos como tal, nem o inverso mas, mesmo na função pública, o vencimento é um fator importante na valorização que fazem do teu trabalho.
Esta teoria é minha e não tem nenhum estudo sociológico por base.

Feito na observação direta e conversas informais.

 

quarta-feira, 26 de abril de 2017

terça-feira, 25 de abril de 2017

Eles crescem sem pedir licença...

Eu bem que tentei tirar com os dois ao mesmo tempo...






sexta-feira, 21 de abril de 2017

Não é consensual...

... mas eu adoro a mistura de padrões.

António

Espreito-te pela porta da cozinha, nem me vês. Gosto de te observar, principalmente quando não tenho que olhar em mil direções porque corres mais rápido do que o movimento que consigo fazer. Gosto quando te concentras nas rodas de um carro e sozinho ficas nos teus pensamentos ou simplesmente acompanhas as rodas de um carro sem pensar em mais nada que não os carros todos que tens à tua volta.
Meu António...

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Impossível passar sem eles

Foi de um momento para o outro: agora sou apenas pitosga ao longe, agora sou pitosga ao longe e ao perto.
Todos os dias, no trabalho, a ler os rótulos no hipermercado (quando não levo pode acontecer comprar produtos já perto do fim da validade ou levar aquele que tem mais percentagem de gordura), a ver as etiquetas nas lojas (não vá eu não ver que são dois zeros em vez de um) e até a comer se houver espinhas para encontrar.
É oficial, a idade não nos tira a alegria de viver mas tira-nos visão, mesmo que nos esteja a meter-se pelos olhos dentro.

Too much

Até podia dizer que já não tenho idade mas, para mim, nem é uma questão de idade, é mais buraco que calça... too much...

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Profissão da mãe

O outro dia, a caminha da escola:
"Mãe, já sei a tua profissão!"
"Então qual é?"
"És uma tratadora de papéis!"

Está lá perto, não posso dizer que não...

A saga do vestido de casamento

A busca continuou. O idealizado teve de ser alterado pois, por questões de saúde da minha mãe, ter o croptop e a saia volumosa e comprida seria algo em último recurso a pedir à minha mãe.
Ela o faria na última semana antes do casamento mas, incentiva-me a procurar e comprar já feito.
Mais algumas visitas nas poucas lojas disponíveis e eis que, fora do conceito inicial mas sem me desagradar, encontro 3 possibilidades.

Aqui ficam duas delas, a terceira possibilidade foi comigo para casa. Partilharei com o enquadramento devido da cerimónia :)

 
Este, tal como o escolhido, precisaria de um aperto na zona da cintura.
Os sapatos estavam na loja e não são os escolhidos.
Nenhum deles, nem o que comprei é a minha roupa de eleição. Foi a escolha possível que, contudo,  não me deixa infeliz. Estou satisfeita. Não dou pulos de contente mas claramente satisfeita.
 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Saias de tule

Prefiro as plissadas mas estas também me deixam feliz!

 
 
 
 
Só pelas fotografias apercebi-me que a saia é clara demais para usar collants pretas.
 

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Meus e meus

Stradivarius
 
 
Pull&Bear
 
 

terça-feira, 11 de abril de 2017

43 anos

Pequeno-almoço com duas amigas. Visita ao grupo que oriento e uma caneca com uma linda mensagem. Chego mais tarde ao meu trabalho, porta do gabinete fechada e uma enorme surpresa dentro com pessoas que me recebem de braços abertos. Dois pares de ténis mesmo lindos.
Em casa, o meu refúgio, os meus amores, um jantar a preparar para nós e dois casais e os filhos que são todos como nós e de nós.
Um dia que só terminou depois da meia-noite. Sim, é tão mas tão bom celebrar a vida!

 
 
 
 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Uma boa notícia e uma má notícia

Encontrei um vestido que serviria na perfeição para ser madrinha. O vestido custa quase 300€. Ainda não tenho roupa para o casamento.



sexta-feira, 7 de abril de 2017

IRS

Quando se divulgou que o reembolso do IRS seria 15 dias após a submissão eu tive logo a maior motivação para tratar da papelada. Submetido a 2 de abril e aguardar para que não seja daqueles boatos partilhados centenas de vezes pelas redes sociais.

A menos de um mês do casamento...

... a madrinha do noivo ainda não tem roupa nem calçado.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Ser pai/mãe de mais de um filho

Ser pai/mãe de um filho não significa que saberemos sempre ser pai/mãe dos filhos que se seguirão ao primeiro, não significa que já temos o curso com diploma de mérito, não significa que as fases que os próximos passarão serão iguais ao primeiro e nós saberemos sempre como agir ou até antecipar os acontecimentos.
O segundo pode ser completamente diferente do primeiro, o segundo pode-nos fazer ver que afinal ser pai/mãe de um filho não dá trabalho nenhum e faz-se com uma pern...a às costas, ser pai/mãe de dois é que faz cair o cabelo (o primeiro só faz levantar os cabelos). O segundo filho faz-nos constatar que o primeiro até ouvia bem, até obedecia ao segundo grito (o que é o paraíso quando nós pensávamos que era teimosia), até comia bem, até brincava sossegado, até dava para estarmos sentados de esplanada 15 minutos, vá, 10 minutos em sossego (sim, é extraordinário quando pensávamos que era uma chatice não ser 30 minutos), até acordar 3 a 4 vezes por noite é o sonho (8, 9 e 10 vezes é que nos mata), até comer metade do segundo prato é maravilhoso (atirar tudo ao chão ao primeiro vislumbre é que nos tira a energia toda).
O segundo, o segundo filho, futuros pais de segundos filhos, transforma-nos, faz-nos mais fortes, mais fracos, faz cair os cabelos que o primeiro fez levantar, faz-nos gritar mais mas também deixar passar mais fazendo-nos fechar os olhos e a boca mais vezes do que alguma vez julgámos, faz-nos importar menos, rir mais, desesperar às segundas e quartas e nos outros dias dizer "que se lixe, eu não estou aqui", faz-nos não correr ao primeiro grito, faz-nos habituar às turras de irmãos, faz-nos derreter nos abraços que dão um ao outro (altura em que esquecemos as vezes em que por breves segundos pensámos: "onde tinha eu a cabeça quando me meti nisto de ter mais?!"), faz-nos ser pai/mãe de muitos, porque dois é plural, é o dobro de um, o dobro do amor, do carinho, do trabalho, das preocupações, das chatices, dos gritos, dos desesperos mas...
... o dobro de pai/mãe.
A ti, António que me ensinas todos os dias a ser mãe do dobro dos filhos que tinha, a ti que duplicaste o amor que julgava não conseguir aumentar mais.


quarta-feira, 5 de abril de 2017

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Nem sempre acontece

Há dias que gosto do que visto. Hoje é um desses dias...


 

Brinquedos

É impossível não influenciá-los nos brinquedos ou nas brincadeiras.
Na Alice, foi clara a minha "imposição" dos legos e dos puzzles (minha paixão de adolescente), da plasticina e dos pincéis. No António, a "imposição" foi dada pelos brinquedos que já existiam em casa. No meio dos jogos, legos e bonecas, a paixão foi para os carrinhos da Alice (herdados do meu afilhado). Também lá existem dinossauros e outros jogos mas alinhar carros é o que mais o apaixona. Volta e meia também gosta de bonecas e tachos e panelas.
Tudo está disponível para que descubram, para que se ocupem, para que se divirtam. Lá em casa não há brinquedos de menina e brinquedos de menino. Lá em casa há os brinquedos que gostam mais e os brinquedos que gostam menos.