ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Omitir para poupar no sofrimento

Quando estamos longe fisicamente é mais fácil esconder o que se passa. Partilha-se o bom mas esconde-se as coisas menos boas para que o sofrimento não se espalhe, na esperança que as coisas menos boas desapareçam na mesma velocidade que apareceram.
Quando estamos longe podemos apenas contar o que queremos, como queremos e quando queremos. Fingimos que tudo está bem quando nos perguntam como estamos, fingimos que não existem dias maus.
Depois chega o dia em que não se pode omitir mais, não se pode esconder nem fingir. Depois chega o dia em que se telefona de muito longe e se dá a pior notícia de todas. Alguém que parte sem despedidas, sem dizer que se estava muito doente porque a esperança de melhorar era muita, sem dizer que não volta. E de longe, quem sempre ouviu que tudo estava bem, recebe a notícia sem perceber o que aconteceu, como aconteceu e porque aconteceu.
Omitiu-se para poupar um sofrimento que nos cai em cima com todo o peso de quem vivia no desconhecimento.
Custa...

De férias

 
 
 
 
 
 
Uns dias pela capital.

domingo, 26 de abril de 2015

sábado, 25 de abril de 2015

25 de Abril

O meu amor maior faz anos em dia de revolução...


Post agendado

A esta hora estaremos a sobrevoar o Atlântico...

sexta-feira, 24 de abril de 2015

5 meses



Primeira colher de papa

Foi a irmã que lhe deu...



Queremos ir

 

Enquanto meio mundo anda nos 21 dias sem açúcar...

... eu já comi uma fofa. Comprei 3 bolos lêvedos e 1 arroz doce.
Eu não tenho a culpa. Vem tudo parar ao meu gabinete. É que nem tenho que sair para comprar...

Missão cumprida, safa!


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Siga à risca

 
 
 
 
 
 
 
Já aqui partilhei em tempos que a minha mãe fez-me um top com o mesmo tecido que tinha feito umas almofadas para a sala. Fica a promessa de uma foto com o top e as almofadas. Isto é coisa para lançar este blog para o top dos blogues de moda, sem dúvida.
 

Quero uma mala do Sport Billy

Daqui a 2 dias vamos viajar por vários dias com apenas bagagem de mão... com bebés e crianças, isto é uma missão muito, muito (im)possível.

 

Kefir

Trabalho novo, rotinas novas, descobertas novas.
Deram-me Kefir...

 

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Terceiro ano, terceiro álbum

A preparar o terceiro álbum digital da Alice com o objetivo de estar pronto até sexta-feira à noite. Será um record se conseguir visto que só consigo trabalhar nele a partir das 23h.

Este foi o 2º álbum.
Estou a pensar no título... algo como: 
Sou a rainha das birras ou Sou Alice, uma drama queen

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Quero pormenores

Os primeiros dias de regresso ao trabalho são assim, metade do cérebro está no trabalho, a outra metade e o coração estão em casa. Resta perceber em que metade do cérebro ficam os 10% que utilizamos.
Envio uma sms para B. que fica em casa sozinho com os dois:
Eu: "Como estão?"
E fico a aguardar resposta se fizeram cocó, xixi. Se comeram, se estão acordados ou a dormir. Se choraram e o porquê. Se estão a brincar e que brinquedo escolheram. Quantas vezes perguntaram por mim. Se estão de olhar triste e morrendo de saudades. Se o António pegou no biberão e quantos ml bebeu. Coisa pouca. Um resumo da manhã.
A resposta chega uma meia hora depois:
"Tudo bem."

domingo, 19 de abril de 2015

Como calar um bebé

Futuros pais, este post mudará a vossa vida para sempre.
Um bebé aos gritos, pais em pânico que já tentaram tudo. Nada de ligarem o motor do carro para fugirem ou para levarem o bebé a passear. Não é preciso gastarem gasolina.
Instruções:

1. Confirmar se a fralda está seca e se a barriga está cheia. Caso contrário, proceder às tarefas para satisfazer essas necessidades;
2. Colocar o bebé no local onde irá dormir;
3. Passar o vídeo abaixo junto do bebé de modo a que possa ouvi-lo bem;
4. Aguardar 10 segundos;
5. Abrir uma garrafa de vinho (caso não amamente) e servir 1 ou 2 copos.


Podem acreditar que mais de 500 visualizações são cá de casa. É tiro e queda.
Em caso da internet estar com problemas um aspirador ou secador de cabelo resolve o problema.

P.S. Acredito que nos adultos este vídeo possa causar lesões cerebrais aquando o uso excessivo do mesmo, mas o choro de um bebé também e assim sempre poupamos a cria.

O melhor da semana...

... talvez mesmo dos últimos tempos:
Receber a notícia de alguém muito querido que estava grávida. Alguém que muito desejava um filho, que muito lutou por ele, que muito esperou por ele.
Estou tão feliz com a felicidade dela.
Os próximos posts sobre bebés e compras serão todos dedicados a ela e feitos a pedido dela.
Que o dia de o ter nos seus braços chegue depressa e o seu coração se tranquilize e cresça com tamanho amor.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

5 meses e a alimentação

O António continua a mamar noite e dia. Como comecei a trabalhar esta semana, introduzi a papa na terça-feira. Correu bem. 50% no estômago, 50% distribuídos pelo babete, fato dele e as minhas calças. No segundo dia, 90% no estômago e 10% no babete e nas minhas calças. É, parece que gosto de me marcar com a comida deles. Sinto-me mais ligada à maternidade. As restantes refeições são de mama.
Como passo as manhãs fora dele, fica um biberão de leite materno tirado de véspera (cerca de 80ml de uma mama. Não consigo mais) para meio da manhã e uma papa para o pai dar perto do almoço. Estou em casa pelas 14h30 e depois retoma-se a maratona de mama ao léu pela tarde fora e noite adentro.
Daqui a umas 2 semanas começamos nas sopas...

Primeiro dia de trabalho

Todos sobrevivemos. Saudades mas uma sensação de bem-estar por voltar ao ativo. Afinal ainda tenho alguns neurónios que ainda sobreviveram aos meses de noite mal dormidas. Vou rentabilizá-los ao máximo antes de os queimar nos próximos meses...

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Sabor agri-doce

Amanhã regresso ao trabalho depois de meses em casa.
Sinto vontade de colocar os meus neurónios a trabalhar para outro fim que não a educação e alimentação da minha prole mas também sinto algum receio por me separar e abandonar a minha rotina familiar.
Uma nova rotina instalar-se-à. Estarei ausente de casa por 5 horas e meia diárias. Não me posso queixar, não me posso queixar mesmo. Além disso, enquanto trabalho ele ficará com o seu pai e a sua mana em casa. Que posso eu pedir mais?



Stock

Amanhã regresso ao trabalho...


terça-feira, 14 de abril de 2015

Queda de cabelo

A maternidade está cheia de alegrias e uma delas é termos a possibilidade de nunca mais nos preocuparmo-nos que o nosso cabelo está uma lástima. Isto porque ele cai todo, vá quase todo, umas semanas depois da dureza de ter dado à luz. (E não há maneira de passar isto aos homens)
Assim sendo, com receio de apanhar um escaldão na moleira ao chegar ao verão fui à farmácia e deixei lá 80€. Pergunto-me se uma cabeleira tinha saído mais barato.
Relato o (in)sucesso daqui a uns meses...



segunda-feira, 13 de abril de 2015

domingo, 12 de abril de 2015

O meu aniversário

Passar o dia com os meus amores. Preparar um jantar sozinha enquanto tomo conta dos dois filhos. Uma vontade de ter junto a mim algumas pessoas que me são muito, muito queridas. Ter que reduzir a escolha para se tornar possível. Poder andar com eles ao colo e tirar fotografias com mais um ano.
Já passou. Que venham os 42. Estou preparada para todos os anos a que tenho direito...





sábado, 11 de abril de 2015

Eu quero uma igualzinha

Fomos brincar às cozinhas com a Nina.





Irmãos


sexta-feira, 10 de abril de 2015

Ainda o açúcar...

A Alice adora mel. Finge dor de barriga para uma colher de mel. Força a tosse para uma colher de mel. Inventa mil e um argumentos para uma colher de mel.
Esta semana disse-lhe: Alice, temos que cortar no mel.
Alice: Cortar no mel, mãe?! Como? Com uma faca?

10 de Abril

Aqui se cantam 41.
Um beijo às 12 badaladas.
Um choro 5 minutos depois. Isto de andar nos doces deve andar a tornar o leite muito doce. António nem sempre aguenta duas horas.
O vício atinge-nos a todos...

21 dias sem açúcar

Anda meio mundo no desafio de 21 dias sem açúcar e eu até pensei em alinhar mas caramba, já ando eu em privação de sono há meses, não me posso privar de mais nenhum prazer da vida.
Para ser sincera, até acho que tenho dobrado a dose diária. Ando descompensada, seria muito perigoso cortar no açúcar nesta altura.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

A minha felicidade é a tua e a tua felicidade é a minha

Na hora de dormir e eu já cansada e desejosa que a Alice se deitasse e adormecesse em 5 segundos:
Alice: Mãe faz uma cara feliz para eu poder ficar feliz também.

Esquecemo-nos que não somos apenas nós que ficamos felizes com a felicidade dos nossos filhos, também eles sonham que somos e seremos para sempre felizes.

O tédio que por aqui anda

Vou perdendo seguidores todos os meses. Penso na seca que isto tem sido para quem ainda tem a coragem de aqui passar.
Tirando duas ou três amigas, o resto, mais cedo ou mais tarde, vai fugir...
Não é algo que me deixe particularmente feliz porque eu gosto de ser lida. Não gosto de falar para o vazio, gosto de saber que me ouvem.
Mil perdões aos meus antigos seguidores e para quem ainda permanece: Aguentem-se firmes que isto mais ano menos ano vai voltar a bombar!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Vai sonhando, vai...

Quando chega a esta hora da noite e eu estou sentada no sofá, cansada do dia que passou, penso num único e impossível desejo: dormir uma noite inteirinha.

Discos de amamentação Nuk

Tenho apenas duas coisas a dizer:
1. Ainda bem que já acabaram;
2. Devia tê-los utilizados como discos de maquilhagem.

Mais que provado que devia ter-me mantido fiel à Chicco e não ter ido na conversa da vendedora que me falou maravilhas da Nuk quando me disse que não tinha os que eu queria.

sábado, 4 de abril de 2015

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Será que vou para o inferno?

Almoçámos os 3 bife de vaca. Só o António é que ficou pelo leite materno.

Somos o que comemos

Só há pouco vi a Grande Reportagem da Sic e é assustador ouvir dizer que o açúcar mata mais que o álcool ou a droga.
Perceber que temos crianças obesas e que essa obesidade é única e exclusiva responsabilidade dos pais. Afinal, são os pais que vão às compras... somos nós que abastecemos as nossas casas.
O outro dia a Alice perguntou-me: Mãe, quando eu for crescida posso comer chupas e chocolates?
Ela fez 3 anos e agora já sou um pouco mais relaxada nos doces. Já prova o bolo nos aniversários. Já comeu um pouco de gelado duas ou três vezes. Contudo, nunca comeu rebuçados, chupas ou gomas. Nunca provou qualquer sumo ou ice tea ou cola como já vi. Já sabe o que é chocolate. Provou e ficou fã mas nunca comprei nenhum e deve ter comido um bombom de chocolate duas ou três vezes no máximo.
Não sabe o que é natas ou qualquer outro tipo de bolos típicos dos cafés.
Em casa temos para ela bolachas integrais ou de arroz, bolachas maria e algumas vezes mulatas, nozes e amendoins. Estas são as guloseimas dela e aquilo que nos pede.
Preocupa-me que só coma vegetais na sopa. Que torça o nariz a muitos alimentos. Mas isso virá com o tempo. Estaria bem mais preocupada se ingerisse muito açúcar. Reconheço que o fato de estar em casa e não na creche a afasta dos doces, dos sumos que lá servem e das festas constantes de aniversário com os sacos de gomas.
Ela é uma menina grande. Pesa 16kgs e tem 1 metro. Está no percentil 90. Contudo, tudo sustentado com muita sopa ao almoço e ao jantar.

O marasmo que por aqui paira...

... significa que na minha vida real é a p* da loucura.
É o dia todo em tarefas domésticas (love it. Faz de conta) ou a tomar conta dos meus rebentos.
Os dias já estão maiores e isso torna tudo mais animador porque pensamos: Ah... ainda está tão claro o dia. Vou passar a ferro. Ahh, com sorte ainda dá para colocar mais uma máquina de roupa a lavar.
Bem... temos aproveitado uma ou outra manhã para dar um passeio em família. Pelo meio, aproveita-se e faz-se compras no hiper.
É isso! Quero vida de gente rica que já estou fartinha da minha.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Abril

Faço anos daqui a uns dias e, pela primeira vez desde que me lembro, não sei se quero comemorar. Continuo a adorar fazer anos mas a comemoração teria de ser em casa, convidar poucas pessoas do coração, fazer o jantar, preparar tudo e, pelo meio, tratar de uma pulga e um bichinho.
Não sei se sozinha dou conta do recado já que o meu amor e salvador dos jantares cá de casa estará a trabalhar...
Vamos ver o que os próximos dias me dirão.
Dos 41 é que já não me vou livrar e o meu mano mais novo já treina a Alice a dizer que a mãe tem 41 anos. É obra!