ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

domingo, 31 de janeiro de 2010

DIANA

A minha preferida era a Inês mas ela teve de ser substituída quando foi expulsa pelo público.
Agora, quem deve ganhar é, sem qualquer sombra de dúvidas, a DIANNAAAAA.
Vou torcer por ela. Cruzar todos os dedos das mãos e dos pés para a semana na final dos ídolos.

Explicação para a tampa da sanita fechada

Como sabem, lá ando eu toda a semana, após o trabalho, num curso de formação pedagógica de formadores. A semana passada tivemos de fazer simulações de possíveis sessões de formação. Uma dessas simulações foi sobre o Feng Shui (literalmente traduzido por vento e água), uma corrente de pensamento analítica de origem chinesa. Os mestres chineses que o estruturaram teriam percebido que cada área natural, terreno ou edificação seria dotada de sua própria vibração influenciada pela presença do Ch'i, e estaria sujeita às várias influências do ambiente que a circunda.

Aplicando à decoração dos espaços de habitação, a minha colega explicava que se devia baixar sempre a tampa da sanita para que o Ch'i (energia positiva) não escapasse por lá. Fiquei contente! Muito contente! Agora existe mais uma razão para os homens baixarem a tampa da sanita na casa-de-banho, ou o ch'i das suas companheiras, esposas e namoradas corre pela sanita abaixo e está o caldo entornado.
Mais uma prova que as mulheres não ficam chateadas por tudo e por nada, é o ch'i que nos escapa e ficamos ausentes da nossa estimada energia positiva.



Senhores, agora a bola está nas vossas mãos. Façam a vossa escolha com consciência.

Looks para começar uma nova semana

Caras amigas,

venho por este meio informar-vos que o meu fim-de-semana entra pela segunda-feira :) Desta forma, apenas na terça-feira volto à labuta árdua. Contudo, não vos quero deixar desamparadas e estive agora mesmo (enquanto ouço os ídolos) a preparar os vossos looks para segunda.
Nada como começar uma nova semana de vestido em tons neutros e vestir uma trench coat. Os looks variam consoante a vossa personalidade e espero que as opções feitas vão de encontro com o vosso gosto.

LOOK DA LU 

Para ela, algo mais clássico e de acordo com a sua postura. Neste não tenho dúvidas ela escolheria todas estas peças e começaria a sua semana em grande.

byMK - Comunidade de Moda: Look para a Lu




 LOOK DA MADA

Para ela algo mais descontraído, umas flores para alegrar o seu dia e umas botas de salto raso para estar confortável o dia todo. Devo ter acertado :)

byMK - Comunidade de Moda: look para a Mada





LOOK DA MARI

Para ela, algo mais irreverente. Umas botas texanas nos pés, flores a cobrir o corpo e o verde garrafa para lhe dar muitas energias positivas. Fiquei na dúvida sobre a escolha do vestido mas acho que acertei. Só ela para me dar essa certeza.

byMK - Comunidade de Moda: Look da Mari




Comecem a segunda-feira da melhor forma possível e sempre "em cima do salto"!

Muros de Melgaço

Hoje o almoço foi regado com uma garrafa de vinho verde - Muros de Melgaço (Alvarinho) 2008. Aconselha-se... recomenda-se... quase se exige a sua escolha :)

 Segundo a Revista dos Vinhos:
"Intenso e complexo de aroma, sugestões florais, sílex, tangerina, pêra, maçã ácida, um fumado muito discreto, quase imperceptível. Muito bem estruturado na boca, cremoso, cheio de fruto, a doçura da fruta contrastando com a acidez fina e crocante, um vinho cheio de sabor, longo, elegante, perfumado, espalhando classe."

Preço médio de garrafa no hipermercado - 14€
Contudo, encontramos algumas a um preço irresistível.


e no final há uma surpresa :) A garrafa tem um formato muito elegante. Tirei os rótulos e vai servir de solitário. Vou lá colocar uma flor amarela (adoro o amarelo ou laranja nas flores) mas ainda não sei em que parte da casa ficará...

Lu, o Castelo de Alba fica um pouco atrás deste verde. Tens que provar e tenho a certeza que ficarás apaixonada.



Black Dress

Um look que nunca fica mal, a não ser que seja num casamento, na minha modesta e duvidosa opinião. Não gosto de ver pessoas com uma mancha grande e preta num dia que pretende ser luminoso. Mas o oposto é ainda mais proibitivo - o branco. Este, só para a noiva! Caso não queira o branco, não dá direito a que mais ninguém o queira :)

(É incrível mas já fui a um casamento em que noiva (lindíssima) estava de branco e ambas as madrinhas também. Please... algo que está muito mal nesta fotografia!)

Neste look o vestido preto (não sendo necessariamente neste modelo) deve fazer parte de qualquer guarda-roupa. Peça essencial! Tenho 4 vestidos pretos até ao joelho, cada um com o seu toque especial. Adoro vesti-los pois faz-me sempre elegante.


byMK - Comunidade de Moda: Black dress

Closet

Tenho algo em minha casa que faz as minhas amigas roerem-se de inveja (reparo: uma inveja saudável e sem qualquer tipo de energia negativa) - um closet. Um closet bastante modesto mas com algum espaço. Era uma espécie de despensa que foi modificada pelo meu querido B. para que eu tivesse um espaço onde colocar a minha roupa. No fundo, acho que ele me queria fora do quarto logo de manhã antes que eu tivesse oportunidade de resmugar:"Ai, não sei o que vestir! Ai, não tenho nada de jeito! Ai, tanto que precisava de umas pecinhas novas!" E, assim, pensava no futuro e bem-estar da nossa relação :)

Assim sendo, não existem despensas cá em casa, mas existe um closet onde posso entrar, procurar, até consigo simular uns passos de dança quando me sinto particularmente feliz. Lá se encontra a maior parte da minha roupa (tenho que confessar que ainda ocupo um outro guarda-fato cá em casa, uma cómoda no nosso quarto e umas caixas de plástico debaixo da cama do quarto de hóspedes). Não vou dizer que a visto toda e, regularmente, vou dando roupa. Ainda hoje estive em arrumações e já tenho um saco enorme da Worten (espero receber uns troquitos por esta publicidade gratuita, uma vez que este blog já deve atingir a dezena de milhar de leitores) na bagageira do meu carro para deixar em casa dos meus pais. A minha mãe conhece sempre alguém que fica feliz com a dádiva :) Esta atitude foi-me incutida pela minha mãe, desde muito nova.

Lembro-me de estar na escola primária (hoje 1º ciclo - informação para os menores de 18 anos) e da minha mãe me convencer a dar parte dos meus brinquedos e bonecas. Nunca fui uma criança com muito excesso pois os meus pais nunca tiveram posses para grandes luxos, mas bastava ter 2 bonecas para a minha mãe ensinar-me que o facto de outra criança não ter nenhuma faria que eu lhe desse uma das minhas. Falava comigo de tal forma que os meus poucos brinquedos pareciam ser exageros condenáveis. E dava algumas bonecas, quase com uma lágrima no canto do olho pois eram sempre tão bem estimadas e acarinhadas por mim que achava que outra criança poderia não cuidar tão bem delas.
Descobri da forma mais dura que os meus pressentimentos podiam ser reais. Dias depois ia encontrar uma boneca minha completamente desmembrada no meio do pátio. Ia a correr para casa contar à minha mãe. Ela tinha sempre uma resposta para mim, semelhante às que ainda me dá hoje quando estou descontente com algo ou alguém: "Deixa lá, filha. És uma pessoa de sorte e não tens de ficar triste porque fizeste o que estava correcto" Ainda hoje me consegue enganar com a conversa...

Sinto que fugi por completo ao tema do post. Aqui fica uma fotografia tirada a parte do meu closet.

sábado, 30 de janeiro de 2010

Cultivar a mente

Não me lembro de soltar gritos ao ver um desfile de moda ou um episódio do Project Runway...
Não me lembro de dizer palavrões quando não gosto de um vestido que vejo a desfilar...
Não me lembro de levantar e baixar os braços se alguma modelo torce as pernas ao desfilar...
Não me lembro de encher a mesa de garrafas de cerveja ou vinho porque a sede é maior a ver esses espectáculos...

E, depois, por que razão sou eu que não sei cultivar a minha mente se vejo no silêncio da minha sala estes programas e quando trocamos de turnos e o futebol impera, as manifestações são dignas de serem filmadas e divulgadas no youtube.

P.S. Post escrito enquanto Benfica-Guimarães (ou vice-versa, nem sei) joga na minha sala.

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Look para os "meus" óculos novos

É certo que ainda não tenho os óculos que cobicei!
É certo que nem sei se vou amá-los ou ficar parecida ao Harry Potter!
É certo que nem sei se vou encontrar uns iguais!
Mas não custa nada começar a pensar na roupa que faria um par perfeito com os ditos óculos. Assim sendo, cá vai a minha proposta. Uns óculos assim merecem um look a condizer! Tenho ideias para outros que ficarão ainda melhor ;)

byMK - Comunidade de Moda: look com óculos

Gavetas

Após terminado o meu relatório, sentia-me mentalmente esgotada, apesar de satisfeita. Contudo, não estava em condições para desenvolver outras tarefas que exigissem esforço às minhas células cerebrais.
Então pensei: "Por que não arranjar as minhas gavetas e fazer espaço para que o meu pai continue a deixar-me surpresas?!"
Além disso, estive a organizar uns dossiers e identificá-los.
Aqui fica uma das minhas gavetas. As outras estão mais vazias à espera de um vestido da Mango :)


Mais perto...

Existem pessoas que são tão importantes na nossa vida que nos entristece tanto que estejam longe... O que eu mais queria era que a Mada tivesse bem perto de mim. Não era necessário que os nossos quintais estivessem juntos ou que os nossos apartamentos ficassem no mesmo prédio. Eu só queria puder lanchar com ela sempre que nos apetecesse.
É assim que me sinto depois de desligar o telemóvel, depois de termos falado e rido como se ela estivesse na rua abaixo...

Sonho Bom

Todas as noites sonho, sonho muito... às vezes são sonhos bons (poucas vezes), na maioria nem por isso, e acordo durante a noite aos gritos e agitada.
Esta noite tive um sonho bom, um sonho tão bom que me faz sorrir sempre que penso nele. Sonhei que me tinha cruzado na rua com um antigo professor meu da universidade e que ele me disse que tinha um projecto para integrar. Eu iria fazer doutoramento. Dei pulos de contente como se houvesse um trampolim imaginário!
Depois acordei e a única coisa que me animou foi o facto de ser sexta-feira.
Oh... queria tanto!! Não há ninguém que patrocine este meu sonho?? Eu posso colocar em rodapé a imagem de uma marca em todas as páginas da minha tese.
Só por causa disso, hoje vou jogar no Euromilhões e assim não preciso do dinheiro de ninguém! Se sair, claro! Mas... esperem lá... se me sair uma grande fortuna vou ter dinheiro para fazer um doutoramento mas terei tempo?? Vou andar tão ocupada a gastar aqueles milhões, como posso eu fazer investigação??
Bem... o melhor é decidir depois dos resultados :)


Óculos novos

Quando trocar de óculos gostava de comprar uns assim, tal e qual. Costumo andar quase sempre de lentes de contacto mas com uns óculos assim deixaria as lentes mais vezes em casa.
Não sei se me ficariam bem, afinal eu não sou possuidora de um rosto tão belo como se vê na imagem abaixo. Mas vou experimentar um dia destes, num oculista perto de mim!
Já ouço no meu cérebro o B. a dizer:"Horrível!" Mas eu tenho que te dizer: "Deixa lá isso amor, eu gosto tanto!!"
Um dia vou descobrir que esse horrível que tantas vezes sai da tua boca significa:"Estás linda de morrer! Não... És linda de morrer! E tudo te fica bem! E eu adoro-te pela minha vida toda e nenhuma mulher é tão maravilhosa e interessante como tu!" Se calhar é isso que significa, se calhar...


Encontrei a imagem no blog da Maria Guedes: http://mariaguedeslisboa.blogspot.com/

Doce Surpresa

Hoje chego ao trabalho já satisfeita com o dia (porque como a maioria das pessoas, gosto da sexta. Não que os outros dias me desgostem mas a Sexta, o Sábado e a Quarta são os meus dias preferidos), ligo o computador, abro a minha gaveta e vejo que me deixaram bombons. "Huuummm... Isto não estava aqui ontem?! Será que alguém veio buscar clips, o meu furador ou tesoura e, em forma de pagamento, deixaram bombons?!" (Pensei isto tudo em milésimas de segundo porque o meu raciocínio corre à velocidade da luz). Mas logo outro pensamento me ocorreu: "Só pode ter sido o meu pai!". Isto porque o meu querido pai trabalha no mesmo local do que eu (e nem imaginam como isso pesou na minha decisão, há 2 anos atrás, em aceitar o lugar onde estou actualmente. Trabalhar com pais?!? Eihhh... não me parece! Mas a proposta era demasiado tentadora que valia o risco). Também não trabalhamos directamente um com o outro. No ínício ligava-me várias vezes ao dia para perguntar se estava tudo bem ou se precisava de alguma coisa. Atitude típica de um veterano para com uma novata. Agora já são raras as vezes, tão raras que já fico contente quando ele liga. Mas ultimamente as vezes que liga e eu atendo logo com: "Sim, pai!" ele responde:"Ai, não era pra ti. Enganei-me!" E desliga sem sequer eu chegar a dizer Ah. Esta semana aconteceu 2 vezes. Não me parece bom sinal!).
Contudo, não me posso queixar. Na maioria das vezes ele chega primeiro do que eu e deixa-me sempre umas garrafas de água e hoje introduziu um novo elemento: bombons! Hummm... e eu que me habituo tão facilmente a pequenos luxos!! E o problema é que depois não consigo voltar ao que era! Ele está a criar um monstro que não vai conseguir alimentar. Mas eu não o quero avisar. Gosto tanto deste monstro que não morre à sede e agora até tem algo para adoçar a boca :)
"Paiiiiiiiii, o monstro precisa de roupa nova. Na gaveta bem que cabe um vestido da Mango. Até pode ser dos Saldos que eu sou um monstrinho poupado!"


P.S. Foram uns bombons deste género. Esta sexta-feira começa bem. E mais, relatório nas revisões finais e quase pronto para ser enviado às entidades competentes! Yes!! ;)

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Lei de Parkinson

Vou partilhar convosco um defeito que tenho. Espero que as minhas palavras não sejam usadas mais tarde contra a minha pessoa.
Tenho o defeito (talvez pudessemos chamá-lo de qualidade imperfeita. Defeito soa tão mal...) de dispender mais que o tempo necessário num determinado projecto. Neste caso, falo-vos do meu relatório de actividades. A verdade é que já não o posso ver diante dos meus olhos e aquilo que se apresentava como uma tarefa mais ou menos prazerosa está a tornar-se num castigo mais pesado do que ficar sentada em frente a uma montra de saldos da Mango com peças a 1€ e não puder comprar nada.
Senhores, aquilo que já deveria ter sido concluído vai-se estendendo pelo tempo disponível que tenho. E vou lendo, relendo, aperfeiçoando, reaperfeiçoando numa linha onde não encontro o fim.
Pois bem, eu sofro do sindroma de Parkinson (não aquele que vos veio logo à mente) em que "o trabalho expande-se para preencher o tempo disponível para a sua conclusão". Não que não tenha uma série de coisas para fazer, longe disso, mas porque estico o tempo até ao último segundo, sempre em correcções e mais correções.
Tenho que pensar em função do tempo necessário e não do tempo disponível. São aspectos a limar na minha personalidade. Um dia eu chego lá... a sério que chego.
Já coloquei uma meta a mim própria. Entrega do relatório: até às 17horas do dia de amanhã. (e não é só isso que tenho para hoje e amanhã!!!)
Agora que materializei o meu prazo, empenho-me na sua conclusão (fique, como ficar, e nem olho para trás! talvez só um pedacinho...).


Homenagem à amizade entre mulheres

Alerta: Este post tem como objectivo homenagear a amizade feminina não incluindo pessoas que têm uma visão distorcida do que é a amizade.

Posso-me considerar uma pessoa de sorte, em muitos aspectos, mas falando agora da sorte em ter na minha vida mulheres que considero como verdadeiras amigas. Já algumas delas fui falando neste blog, outras nunca por cá ainda passaram, mas todas ocupam no meu coração um lugar de destaque.
A amizade, para mim, surge, na maioria das vezes, de uma forma suave e espontânea, mas de construção longa e nem sempre fácil. Tenho uma atitude de esperar pouco dos outros e assim me poupo a algumas desiluções. Mas nem sempre consigo manter esta atitude, nem sempre consigo dar e não esperar o mesmo tipo de respeito. Mas essas situações não cabem neste post nem fazem sentido serem mencionadas neste dia.
Hoje falo das minhas amigas que não são muitas mas importantes.

Com elas já rir até me doer a barriga;
Com elas já chorei, por elas e por mim;
Com elas já encontrei um casaco lindo a um preço que tornaria um pecado capital não o comprar;
Com elas já partilhei as minhas angústias e medos;
Com elas já conheci o amor da minha vida;
Com elas já lanchei mil vezes e mil vezes partilhámos segredos;
Com elas já fiz kms a entrar e sair de lojas;
Com elas já tirei mil fotos, fazendo mil poses;
Com elas já pintei o cabelo;
Com elas já sonhei o que faria se saísse o euromilhões;
Com elas já fui para países que não conhecia;
Com elas já estudei até cair de sono;
Com elas já troquei roupas;


Ao longo destes anos, com elas cresci... continuo a crescer... e a estimar a sua amizade.




Já tivemos desacordos, nem sempre estivemos presentes, mas nunca nos abandonámos, nunca nos virámos as costas.

E para animar, som do PC ao máximo e um pé de dança para libertar todas as energias negativas e deixar a energia positiva entrar. Como todas nós temos jeito para cantar umas notas, vamos lá acompanhar que, pelo menos o refrão, sabemos bem.




Feliz Dia de Amigas! Adoro-vos de coração!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

O poder do padrão

O meu estado de espírito é muito influenciado pela roupa que visto. Se acho que me vesti à pressa e no escuro do closet não me apercebi do quanto ficava rídicula determinada conjugação de peças, o meu dia é um completo desastre, nem consigo pensar bem. Fico a olhar o relógio a ver quanto tempo falta para ir a correr para casa, cruzando os dedos para que pouca gente me veja. Fico irritada e inquieta.
Contudo, o contrário também acontece. E, por vezes, uma combinação improvável mas excelente torna o meu dia mais luminoso (mesmo que faça chuva lá fora, mesmo que o B. diga:"Horrível!" como muitas vezes já ouvi). Hoje é um desses dias :) Uso um padrão ousado, poderoso e arriscado pois a linha que separa o perfeito do rídiculo é muito ténua. Falo do leopard print.
Estou com um look semelhante ao look abaixo. No entanto, em vez da blusa com o animal print, uso um colete felpudo enquanto que a blusa é totalmente preta de gola alta.
Sinto-me particularmente poderosa e hoje não aceito ordens de ninguém. Ai, não, não!! :)


byMK - Comunidade de Moda: look para mandar


P.S. Este post foi feito à hora de almoço e, num segundo, minimizei a janela do meu relatório de actividades só para postar isto. Afinal o meu poder é mais na minha cabeça do que em qualquer outro lugar. :) Mas deixem-me sonhar, deixem-me...

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Look de meio da semana

Sim, sobrevivi à primeira sessão da formação.
Sim, jantei por voltas das 18h para não desmaiar a meio da formação.
Não, não esperava que só terminasse às 22h.
Não, não esperava que estivesse a chover na hora de saída e que tivesse de correr de saltos altos até ao carro. Não, não vi o Project Runway mas está gravado graças ao deus cá de casa: MEO.
Sim, estou a ver um episódio do Rachel Zoe Project enquanto escrevo no blog.
Não, o meu B. não está a compactuar com esta emissão televisiva, adormeceu no sofá enquanto ouvia as declarações do ministro Teixeira dos Santos na SIC Notícias. Isso nunca me aconteceu a ver um programa de moda. Depois diz ele que eu não me quero manter informada sobre o Estado da Nação. Ah!!! Vê só quem está a dormir neste momento, talvez sonhando com o PIB nacional mas a dormir :)

Voltando ao motivo do post: um look para usar numa quarta-feira, a dois dias do fim-de-semana. Um look seguro, informal e simples. O calçado é um pouco mais arrojado e exige um carro parado à porta do trabalho.

byMK - Comunidade de Moda: Look de meio da semana

Curso de Formadores

Hoje começo um curso de Formadores que me irá ocupar todas as noites da semana até meados de Março. Lá se vai a hora de jantar com o B., lá se vai um ou outro convite para receber amigos em casa durante a semana, lá se vão o American Next Top Model e o Project Runway.

Nota explicativa: Eu gosto, pode ser condenável do ponto de vista intelectual mas eu gosto. Bem que o B. insiste em que eu veja os programas de informação mas depois de um dia cansativo de trabalho e esforço intelectual ;) eu quero relaxar todas as minhas células cerebrais, estendê-las ao comprido e ver roupas e penteados de pseudomodelos ou pseudoestilistas aos gritos e nervos em franja. Podem-me queimar no fogo da estupidez e ignorância que eu não me importo! Podem-me atirar pedras e me chamarem de fútil e lerda que eu vou fingir que nem doeu! E, meu querido B., não é assim tão condenável não saber todos os pormenores da Face Oculta ou não ter ouvido no youtube todas as escutas do Pinto da Costa. Isso é repetido centenas de vezes que, de certeza, uma ou outra vez vou ouvir e fixar umas palavras para depois ter conversas intelectuais e informadas sobre o nosso país. Vou-te fazer ficar tão orgulhoso de mim :) E nem sequer vou introduzir na conversa se os fatos que esses cabecilhas usavam nas entradas e saídas dos tribunais eram elegantes ou não e de que estilista poderiam ser.

Regressando ao tema do post: faço pela 3ª vez o mesmo curso, com esperanças que à 5ª ou 6ª vez já possa tirar doutoramento em Formação Pedagógica Inicial de Formadores. Isto tudo porque o curso tem validade de 5 anos e ao fim desse tempo tem de ser renovado. Pois, também eu não acredito que já passaram mais de 10 anos desde que fiz o primeiro.
Bem, de certeza que será útil, tenho sempre muito para aprender e, nesse sentido, considero-me uma verdadeira esponja sedenta de conhecimento. Gosto muito de fazer formação mas, cada vez mais, detesto que me façam perder tempo. Estou a fazer figas para que os formadores sejam competentes e que coloquem em prática aquilo que ensinam (Pedagogia).




P.S. Lá terei de programar a MEO para gravar os meus programas. Resta saber quando terei tempo para os ver.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Estou de "luto musical"

Pela primeira vez acompanho os Ídolos desde os castings. Confesso que no início era bem mais engraçado e divertido, uma óptima forma de descontrair sem ter de tomar substâncias químicas. Contudo, continuo a ver e a acompanhar os meus favoritos nas suas performances.
Criei uma especial empatia com o SALVADOR e com a INÊS. Ambos representavam uma juventude com um gosto musical muito peculiar e uma postura de perfeita harmonia com a vida. (Nem me perguntem como tiro estas conclusões, chamem-lhe sexto sentido.)
Dos dois a INÊS era a minha favorita. Uma miúda bonita, com uma voz doce e um estilo muito particular. Dá prazer olhar para alguém que, aos 16 anos, não se veste como todas as miúdas de 16 anos, não usa o mesmo corte de cabelo e ouve a mesma música.
O outro dia o B. dizia-me: "Hoje em dia os miúdos são todos semelhantes que parecem ser todos filhos do mesmo pai e da mesma mãe." Realmente, olho para as adolescentes e fazem todas as mesmas combinações de roupa, usam o mesmo calçado e os cabelos compridos com franja. Mas a Inês não é filha deste pai e desta mãe. A Inês deve ter sido educada a não ter medo da diferença, a não se deixar derrubar pelos olhares ou palavras de reprovação e a construir o seu próprio EU.
Além disso, a Inês canta (se desafina, eu não sei) e encanta, ou melhor, encanta-me. Reconheço que a Diana é a concorrente mais forte e completa do programa mas a Inês conquistou a minha simpatia e apoio. Espero que um dia se ouça falar desta miúda como cantora.



P.S. Desculpa Inês por nunca ter ligado para te salvar mas desconfio que esses telefonemas sejam uma forma de marketing e de ganha-pão da SIC. O vencedor será quem mais lhes for mais conveniente...

(Este blog foi feito na Blue Lounge do aeroporto de Lisboa. Aqui um avião pode atrasar-se e eu nem fico muito chateada. Comida e bebida à descrição, sofás de pele, internet, todos falam baixo e nunca tem muita gente... Eu gosto!)

sábado, 23 de janeiro de 2010

Um pulo a uma cidade linda

Este fim-de-semana estarei por aqui... o cheiro a castanhas assadas, o fumo de escape de milhares de carros, os constantes pedires de esmola, os edifícios pombalinos, as lojas e mais lojas, montras e mais montras... vou caminhar e deixar que o meu olhar se perca e se prenda em cada pormenor.





Até segunda...

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Clara vai ao Ballet

Ainda não sei o que pensa a mãe, mas aqui a tia gostava que a Clara tivesse aulas de ballet. Acho que ajuda as crianças a concentrarem-se, disciplinarem-se, para além da elasticidade, sem falar na possibilidade de se tornar numa Prima Ballerina.
Sei que a mãe pensa mais em inscrevê-la no andebol, no futebol e outros deportos colectivos, seguindo um pouco as suas pegadas. Mas uma coisa não invalida a outra e assim sendo, terças e sextas temos o ballet e segundas e quintas o andebol. Apertamos já aqui as mãos e fica combinado?? Eu sei que ela ainda não nasceu mas o tempo passa voando e estas decisões mudam o rumo de uma pessoa.
Olhem para mim que nunca tive ballet. Hoje podia ser uma Prima Ballerina, estar a viver em Londres e este blog ser todo em inglês... Sei que preferem ler em português e talvez, por esta estranha razão, a minha mãe não me tenha inscrito no ballet. Bem... mas tive aulas de dança quando era uma adolescente. Mas isso é tão estrondoso que merece um post dedicado inteiramente à minha passagem pela dança. Digo-vos já que tive de fazer uma audição e calhou-me uma música da Madonna. Mas mais não conto... um dia, um dia presenteio-vos com a minha história.
Voltando à Clarinha. A decisão ainda não foi tomada mas o look já está escolhido. E, se por acaso, a mãe não quiser que a Clara frequente o ballet, ela há-de ir ao hipermercado com a tia, toda vestida a rigor e no corredor das bolachas ela será uma verdadeira Prima Ballerina.

byMK - Comunidade de Moda: Clara vai ao Ballet

Frase do dia

Hoje ao vir para o trabalho, feliz e contente por ser uma sexta-feira, estar um dia de sol maravilhoso e ter um almoço marcado com a minha amiga Tininha, (claro que fiz um pouco de fita para me levantar da cama... coisa de 15 minutos no "vou, não quero"; "tenho que ir, não me apetece", o normal), parada no trânsito desta grande cidade, olho para o lado e vejo uma inscrição na traseira de um carro que estava estacionado. Hummm... será um sinal, pensava eu.

«Vive como se morresses amanhã. Aprende como se vivesses para sempre.»

Era esta a frase. Repeti mentalmente:«Vive como se morresses amanhã!!», ou seja, não devia ter vindo trabalhar. Bem que não tinha vontade. Tenho que seguir mais vezes os meus pressentimentos!
Depois: «Aprende como se vivesses para sempre?!?» Huummm... acho que isto é outra forma de dizer: Anda, não vás trabalhar! Está um mundo lá fora com sede de ser conhecido. Pega no amor da tua vida e vai correr as capitais europeias.

MORAL DA HISTÓRIA: Fica atenta ao trânsito e trabalha para nosso país sair da cauda da Europa.




quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Doce Madalena

A minha prima Madalena tem um ar de boneca, uma voz doce e uma postura um pouco tímida. É a minha confidente, amiga e companhia (agora mais longe). Está no meu pensamento todos os dias e, por isso, um telefonema diário revela-se uma necessidade.
Ela teria de ser minha fonte de inspiração para os primeiros looks feitos por mim, um look romântico que, espero, lhe seja do agrado. A saia foi o ponto de partida e não consegui encontrar uma blusa que fizesse jus à mesma. Gostava que tivesse ficado mais "Auhhhh!!!!!" Talvez na próxima :)

byMK - Comunidade de Moda: Doce Madalena


P.S. Olhando novamente para imagem, é nítido como a cor preta da blusa retira parte da beleza das restantes peças. Uma blusa branca simples funcionaria muito melhor. Não a consegui encontrar...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Jantares em casa

Não passa uma semana que não tenhamos amigos a jantar cá em casa. O chef B. (apesar de não conseguir a proeza de fazer pizza biscoito) delicia-nos com os seus dotes culinários e nunca sabemos qual será a ementa. Há sempre um novo sabor a experimentar, uma nova combinação a conhecer. Já temos a fasquia bastante elevada mas ele nunca nos desilude. A mesa costuma ficar a meu cargo e algumas tarefas típicas de uma ajudante de cozinha. De voz firme diz-me: "Corta-me duas cebolas"; "descasca-me uns alhos", enquanto mexe algo no fogão. Às vezes espreito para tentar descobrir os seus segredos mas é tanta informação num curto espaço de tempo que não consigo acompanhar e muito menos reproduzir noutra altura.
Hoje veio a minha prima M., o Brains (seu paciente esposo), Si (meu afilhado e filho do casal) e Pboy (o padrinho do meu afilhado e amigo de longa, longa data).
Fomos 5 à mesa, uma vez que Si brincava com os seus dinossauros e pouco quis saber de nós. Tem 5 anos e prefere ver o Panda do que ouvir as nossas conversas...
Temos sempre vinho, não me lembro de uma refeição entre boa música e companhia onde não fossemos brindados com algumas castas :)

O jantar não se estendeu pela noite dentro porque amanhã é dia de trabalho. Pois... amanhã é dia de trabalho. Tenho que desligar :)

(Enquanto escrevia este post, o meu amor via o jogo do Porto com o Belenenses (parte dos penalties). De vez em quando, ouvia-o baixinho: "Falha, Falha!". Nem tirei os olhos do écran do computador mas sei bem que foi sempre que um jogador do Porto se preparava para marcar penalidade)

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

A "nossa" Clara

Já há algum tempo que sabemos que a nossa família vai aumentar, contudo, só hoje tivemos a certeza que será uma menina.
A mãe desde muito cedo tinha um pressentimento que seria menina e assim falávamos dela como a nossa Pipoquinha. Imaginámos vestidos e o seu cabelo encaracolado (será quase de certeza) com laços e ganchos. Mas calma aí... laços e ganchos quando ela já for grandinha e com muito cabelo. Não há nada mais estranho (na minha opinião) do que um bebé com três fios de cabelo mas com um elástico pesado ou um gancho que lhe deve incomodar de certeza.
Assim sendo, e sei que a mãe partilha da minha opinião, a nossa Clarinha usará fitas, ganchos, elásticos quando já tiver uma farta cabeleira e puder dar uma ajuda na escolha :)
Mais 4 meses e ela será uma realidade ainda maior. Para quem a quiser espreitar na barriga da mãe:
http://acompanhar9meses.blogspot.com/

A nossa Pipoca já faz parte das nossas vidas e estamos todos ansiosos por lhe dar todo o amor que já sentimos por ela.

À mãe vai a nossa força, carinho e apoio para esta nova fase da sua vida. Ela sabe que conta sempre connosco e que cá estaremos quando ela precisar de desanuviar das fraldas e das papas. Eu dou a papa, o B. troca as fraldas. (Tirei agora mesmo à sorte, mentalmente, e foi assim que calhou).

Pizza

Hoje o jantar ficou a meu cargo. Coloquei as seguintes alternativas: pizza ou hambúrguer de tofu. A escolha recaiu sobre a pizza. A missão era simples. Retirar o jantar do congelador, aquecer o forno e colocar lá a pizza.
Passados 20 minutos a mesa estava posta e a comida quente e com um aspecto apetitoso. Ao cortar a pizza já notei que algo tinha corrido mal e que as críticas não esperariam pela sobremesa.
Sentados à mesa, na primeira dentada de B. ouço um som parecido a biscoito a partir-se na boca seguido de: "Eih..." Comecei-me logo a rir. Parti de imediato para a minha defesa mesmo antes do ataque: "Pois... não sei o que aconteceu... Fiz como estava nas instruções mas parece uma pizza-biscoito. Se calhar ficou um pouco de tempo a mais, não sei..."
Enquanto comíamos o som de biscoitos a partirem-se acompanhou a refeição. Isto não quer dizer que não estivesse saborosa, mas algo interferiu na confecção, algo exterior à minha pessoa porque, apesar de não ser uma chef, desenrasco-me na cozinha. Talvez tenha sido uma missão simples demais e eu esteja habituada a refeições mais complexas. Pois... talvez seja isso.
Mas antes que a refeição terminasse a critica continuou. B. continua: "Tu fizeste de propósito!" Espantada respondi: "Nãoooo... por que razão o faria de propósito?" A resposta não tardou: "Porque acho difícil uma pizza sair assim..."
Agora lanço o repto. Quem é que já cozinhou pizzas congeladas e a massa não ficou um pouco massa de biscoito? Quem? Eu acho que o problema é da preparação de pré-congelação que faz com que a massa não fique fofa depois de ir ao forno.
A partir de hoje não há mais pizzas congeladas cá em casa, são bacilos da culinária e eu não posso compactuar com tal nem manchar os meus dotes com isso. E será uma sorte se a marca Buitoni não levar com um processo em cima. Eu devia ter desconfiado dos 50% de desconto em cartão e do título da pizza "LA GRANDIOSA". Talvez em letras minúsculas estivesse escrito: Para os amantes da massa tipo biscoito duro de roer.


Amanhã recebemos amigos para jantar cá em casa. Amor, a cozinha regressa às tuas mãos de onde nunca devia ter saído.

E existe alguém que não goste de um elogio?

Ponderei bastante antes de tomar esta decisão de publicar um post que a minha prima M. colocou no seu blog http://semporsete.blogspot.com/ . Tive receio que achassem presunçoso da minha parte divulgar posts que elogiassem a minha pessoa. Depois pensei: O blog é meu, dedicaram-me um post tão bonito, que mal terá em querer esse elogio? Ou mesmo torná-lo público? Claro que se não abonasse a meu favor ia fazer de tudo para eliminar o post e quem sabe a pessoa que o fez ;)
E sabendo que serei julgada a bem e a mal, não consigo deixar de transcrever o que me escreveram nem de o ler só mais uma vez, ok?

«Minha prima C. é das pessoa mais elegantes que conheço. Tem muito sentido da moda e combina com requinte as peças mais simples com as mais formais. Anda sempre com aquele toque de something special mesmo quando está de jeans.
Apesar de estar por dentro da moda, não segue como uma louca as tendências. É ponderada, equilibrada, sempre inn e intemporal. As suas peças de roupa podem ser vestidas durante anos, que ninguém lhe apontará que está fora de moda, pois são sempre dentro da moda.

E tudo isso com um estilo muito, mas muito pessoal. Estilo C.

É uma mulher plena, trabalhadora, extremamente honesta, fiel a si e aos outros e muito amiga. É bonita por dentro e por fora e não passa despercebida. Tem um corpo invejável, também.

Deverá valorizar mais a sua capacidade de escrever o que sente e pensa, pois fá-lo muito bem, embora nem sempre acredite plenamente nisso.

Gosto dela com o coração todo. E ela já estava a merecer um reconhecimeto assim, embora eu saiba que ela sabe disso, mesmo que não o diga tão bem como ela mo diz.

Bem, ela criou o seu blog e elaborou este visual a pensar em mim. Conhece-me. Sabe que gosto de aquela mistura do prático com o fine, de peças femininas e que favoreçam as formas do corpo. Gostei muito. Muito!»


P.S. Agora percebem porque gosto tanto dela? Ela engana-me com mentiras mas faz-me muito feliz. :)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

A minha princesa está a tornar-se numa mulherzinha...

Hoje uma chamada SOS fez com que fosse buscar a minha princesa ao colégio, levá-la para minha casa e esperar que a mãe terminasse um julgamento que se estendeu mais que o previsto. Chegadas a casa, estivemos a brincar às cabeleireiras. Ela fez 7 anos há pouco e, como quem sai aos seus (neste caso, tia) não degenera, as conversas fictícias tinham a ver com roupas e festas. Simulámos idas ao Cabeleireiro, cortes de cabelo e penteados de cortar a respiração. Estavámos as duas deliciadas...
Numa conversa ela perguntava-me: "Que roupa vais levar à festa?" Eu respondi: "Vou com um vestido lindo e com este penteado maravilhoso que me estás a fazer?". E ela riposta: "E depois as tuas amigas ficavam cheias de inveja e diziam que a tua roupa era feia só porque estavam com inveja." Tive que conter a minha gargalhada que explodiu cá dentro. E ainda foi mais longe: "Se disserem que é linda é porque estão a mentir." "Mas porquê?" - perguntei eu. "Não sei" - respondeu encolhendo os ombros.
Fiquei a pensar... Será que a minha princesa já sabe o que é a inveja feminina das roupas, do corpo, dos sapatos ou do cabelo de outras mulheres? Será que esse sentimento vem inscrito no nosso código genético e se manifesta desde tenra idade?
Não imagino um homem cobiçar as calças de outro e perguntar-lhe, exclamando: "Ahhh!!!! Que calças tão giras! Onde as compraste? Gostava tanto de comprar umas iguais!"
Esta seria, claramente, uma inveja pública e sem pudor, mas existem também as invejas anónimas, onde cobiçamos em segredo, compramos o produto em questão às escondidas e usamos em locais onde a outra pessoa não se cruze connosco.
Ainda o outro dia a minha prima M. se queixava de uma colega de trabalho que lhe cobiçava todas as roupas e insistia em saber onde tinham sido compradas porque precisava de uma peça tal e qual aquela. Chegou ao cúmulo de lhe dizer que se não houvesse na loja que lhe comprava a dela. Ri-me tanto!!
Acho que qualquer mulher que se preze já sentiu inveja de uns sapatos magníficos ou um vestido que cai como uma luva em alguém mais alto, mais belo e vistoso do que nós. Mas chegar ao ponto de querer todas as roupas que outra pessoa, que ainda por cima partilha do mesmo local de trabalho do que nós, usa acho muito difícil de acreditar.
Huummm... agora que penso sobre o assunto, pondero na possibilidade da minha prima se estar a armar e inventar esta história para que eu pense que ela é o objecto de inveja das suas colegas de trabalho. Vou ter de lhe colar um microfone minúsculo nos seus casacos novos (as últimas aquisições são sempre as mais usadas) e averiguar esta história de inveja levada ao extremo. Segundo M. essa colega chegou a comprar mais de uma peça igual à dela.

Quem nunca "morreu de inveja" em determinada altura da vida, que atire a primeira pedra. Eu já morri mas de todas as vezes ressuscitei... :)

Hora das refeições

Eu adoro comer, adoro sentir os sabores, experimentar coisas novas mas uma coisa que eu detesto e sempre detestei desde que me lembro é de comer sozinha.
Hoje almocei sozinha... era como se não conhecesse ninguém que pudesse almoçar comigo. É triste... Nestes casos, como mais depressa ou então pego num jornal ou revista que encontre em cima de uma mesa qualquer e leio uns títulos enquanto coloco a comida na boca (e é mesmo colocar a comida na boca, pois sozinha não me sabe da mesma forma). Contudo, há excepções. Há verdadeiras alturas em que gosto de comer sozinha, sem ninguém por perto e quase com a porta trancada. Falo das vezes em que tenho uma embalagem de Häagen-Dazs na mão e estendo-me em frente à televisão a ver um programa qualquer sobre moda ou decoração. Oh meu Deus, nesse momento parece que provo um pedacinho de céu, sentada numa nuvem grande e fofa :)


Ai... ao imaginar isto já me passou o desconsolo de ter almoçado sozinha. Espero que amanhã já tenha a companhia da minha amiga S. que hoje se esquivou... (coitada, foi mais não ter tido tempo para almoçar mas alguém tem de ficar com as culpas do meu almoço solitário...)

LOOK DE M

byMK - Comunidade de Moda: Look da Mari


Apesar de ontem ter postado o look da semana, não resisti em divulgar o look pensado na minha prima M.
Talvez seja necessária uma legenda a este look para melhor entender o porquê das escolhas feitas. Assim sendo, aqui vai:
M é uma força da natureza. Alguém que cresceu comigo e, por isso e por outras razões bem mais importantes, é a minha irmã de pais diferentes. Porque é assim que a vejo... não tivemos o mesmo pai, nem sequer a mesma mãe mas faz parte de mim e da minha vida desde que me lembro de mim.
Somos tão diferentes em tanta coisa mas ela entranha-se em nós de unhas e dentes e faz-nos sorrir e chorar ao longo da nossa vida. É esse o efeito que ela tem em mim e em tantas outras pessoas que, com sorte ou quem sabe azar, se cruzam com ela.
Ela é alta e bela (as diferenças que partilhamos lol), teimosa e alegre (as semelhanças que nos unem), é nervosa e respondona (aqui nos afastamos) mas é doce e generosa (quero pensar que nos voltamos a unir aqui). Pensei neste outfit para revelar o seu melhor. Se pudesse embrulhava cada peça e dizia-lhe:"É para ti. Espero que gostes." Não posso... fica a intenção, pode ser?
Agora só para ti:"Sabes que moras no meu coração..."

domingo, 17 de janeiro de 2010

LOOK DA SEMANA

byMK - Comunidade de Moda: Primeiro look


Um dos meus vícios é a Moda e tudo o que com ela se relaciona.
Vou iniciar uma rubrica neste blog, para lhe dar um ar de frescura, publicando todas as semanas um look. Este look poderá ser dedicado em alguém em especial ou apenas para quem com ele se identificar.
O look desta semana foi o primeiro que fiz, a pensar em mim, naquilo que mais gosto de vestir. O mote foi os sapatos da vivienne westwood. São a minha cara :) e quem me conhece sabe disto. Não os tenho mas não me importava nada de poder caminhar neles. Andaria com rasgos de felicidade estampados no rosto e uma ventoinha imaginária tornaria o meu cabelo digno de um momento kodak.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Receio

Isto parecia mais fácil. Pensava que me iam fugir as palavras pelas pontas dos dedos, que as ideias iam ter vida própria e saltar para este blog.
Agora que o tenho, fico parada, pensativa com receio de escrever, de partilhar os meus pensamentos.
Talvez seja o começo que custa, os motores ainda não aqueceram, nem sequer rodei a chave na ignição, acho...
Talvez o receio se prenda com outras coisas. Talvez se prenda com o poder da palavra escrita. Quando falamos, podemos sempre dizer:"Não, eu não disse isso!". Quando escrevemos deixamos uma marca, mais durável que o som da nossa voz, mais permanente... Com isto não quero dizer que seja alguém que negue afirmações feitas, que use a mentira como defesa. Mas sou alguém que fala muito, talvez pensando que metade das palavras se colam nas paredes, voam no ar ou caiem no chão, em vez de se agarrarem em quem as ouve. E assim digo mais do que devia, deixo as palavras se ligarem umas às outras e sairem numa corrente longa.
A escrita, já é um problema. É algo de fascinante e poderoso. Algo que eu gostava que fosse minha irmã de sangue. Mas não... eu não detenho esse poder. Eu não sou como o P. e a M. que colam sentimentos ao papel e nos fazem sentir o quão mortais e imperfeitos somos.
Mas a escrita é também disciplina, esforço, dedicação. Fica a promessa que vou dar mais de mim. Vou ler e escrever mais e, quem sabe, falar menos. (Aos que partilham do meu dia e poderão estar a ler este post, neste momento, por favor, não pulem tanto e contenham esse sorriso de orelha a orelha. Eu posso entrar na sala ou lugar onde estão e perguntar o porquê de tanta alegria. Como iriam explicar que se prendiam com o facto de ter escrito "falar menos".)
Vou também esquecer que posso ser lida, julgada ou incompreendida. Às vezes vou escrever para alguém em particular, outras vezes vou apenas dar voz a algum pensamento e, na maioria das vezes, vou divertir-me, encontrar neste espaço um lugar onde posso beber a minha caneca de chá verde que me faz sempre tão bem à alma.

Vamos ver se isto vai dar certo...

Há muito que seguia blogs, alguns de amigos, outros de desconhecidos. Adoro alguns posts, outros nem por isso, mas já fazem parte do meu dia-a-dia.
A partir de hoje, tenho o meu próprio blog, em vez de ler escrevo, em vez de "ouvir" "falo".
Este será um espaço onde podem chegar e partilhar de um bule de chá verde. Sentem-se e disfrutem desta bebida deliciosa. Fiquem o tempo que vos apetecer... ou não fiquem tempo nenhum, se em outros blogs tiver algo melhor que uma chávena de chá verde e dois dedos de conversa.
Há algum tempo que todos os dias ando com posts imaginários de situações ou conversas que tive. Pensava sempre: "Se tivesse um blog, já tinha postado isto."
Em vez de postar fui acumulando no meu cérebro, dia após dia. Não aguentava mais. Vamos ver se agora não me dá uma branca...