ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Não fiques triste, mãe!

"Mãe, o pai não está e eu sei que não gostas nada de dormir sozinha. Mas não fiques triste, mãe! Eu vou dormir contigo na tua cama até o pai chegar."
Dito com um ar muito sério por uma mini de 4 anos.

Melhor notícia do mês

Não digo do ano porque estamos apenas em fevereiro: o meu carro passou com folha limpa na inspeção.
Quem tem carros quase antiguidades sabe a felicidade de uma notícia destas!
Até daqui a 2 anos.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Eles são o nosso espelho

Alice para o António: "Se em diante não arrumas os brinquedos vou dar tudo a uma menina!" António murmura. Alice responde: "Não há birras!" arrumando todos os brinquedos do mano numa caixa e dizendo: "Enquanto não souberes arrumar não brincas!"

"Adoro dias de chuva" diz-me ela.



segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Instagram

 
 
 
 
 

A Alice e o biberão em bebé

Este blog tem muitas vantagens (mais para mim do que para qualquer outro ser no mundo. Se sobreviver, talvez para os meus filhos quando souberem ler) e uma delas é fazer pesquisa e lembrar-me de como foi quando a minha memória já lá não chega...
Bem... afinal eu não mudei assim tanto como mãe ;)


CONSULTA DOS 15 MESES
 
 

 

Biberões durante a noite

Mãe pela segunda vez, num espaço de tempo não muito longo. Uma maternidade mais serena, menos ansiosa ou com muitas dúvidas sobre o que será melhor ou não para o nosso bebé. Supostamente um instinto maternal mais certeiro e menos hesitante.
Sem me lembrar de como foi com a Alice por volta dos 15 meses, deparo-me com o dilema dos biberões noturnos.
Na consulta dos 12 meses já a pediatra avisou que o António já devia passar a noite sem beber leite. Realçando os inconvenientes: cáries no dentes (açúcar no leite), encher a barriga de noite fazendo-o ter menos fome de dia e levando a que seja mais esquisito com a comida.
Sim, reconhecia tudo mas achava cedo. Ele acordava durante a noite, gemia e contorcia e ao fim de um biberão readormecia sereno. Fazia o que achava ser melhor e pensava ser cedo para cortar no leite noturno.
Voltou à consulta dos 15 meses e voltou o mesmo discurso. Eu ouvi, retive e em mim instalou-se a dúvida se estaria a chegar a altura... No centro de saúde, as enfermeiras vinham com a mesma conversa, todos de um lado da barricada e eu do outro agarrada a dois biberões de leite por noite para que ele dormisse melhor, sem queixume e sem acordar a irmã e não ter dois a pé durante a noite.
Este fim-de-semana, a tosse do António constante, o choro noturno e o despertar da irmã com tanto barulho fez-me arrastar o berço para o meu quarto pela primeira vez desde que partilha o quarto com a irmã.
Já que estava no meu quarto, encostado à minha cama pensei fazer o teste de tirar o biberão a ver o que acontecia.
Foi para a cama depois de sopa, fruta e banho e dormiu de seguida desde as 19h20 até às 23h. Nessa altura costuma dar os primeiros sinais. Vira e revira no berço e acalma depois de 210ml de leite adaptado mesmo sem sair do berço (sei que não é nada aconselhável que o bebé beba deitado porque pode entrar leite no canal de acesso ao ouvido). Ontem, pelas 23h quando deu sinal não preparei o leite como de costume. Ele virou, levantou-se, deitou-se, meti chucha e aconcheguei-lhe não sei quantas vezes. Ele nunca chorou (como estava à espera) mas ficou nisso cerca de 1h30m. Nem eu nem ele dormimos. Adormecemos pela meia-noite e meia. Por volta das 3h da manhã (no intervalo foi a irmã que chamou para ir à casa de banho) acorda, tosse um bocado e chora para sair do berço, ao colo chora para sair do quarto. Estica o braço para a porta. Embalo e ele insiste no choro. Tivemos nisso uns 20 minutos. Ele acalma e eu coloco-o no berço. Em todos os momentos penso em dar-lhe um biberão de leite. Em todos os momentos penso se será leite que quer ou outra coisa qualquer, se é a tosse ou o sono. São quase 4h e penso: "Já agora vamos até ao fim" Ele já dorme, sereno e eu deito a cabeça na almofada a pensar se serão 1 ou 2 horas de sono seguidas.
Ainda me levantei mais 1 ou 2 vezes para colocar a chucha e ajeitar o édredon. Adormeço e volto a acordar com o som dele a virar no berço. Olho o relógio com a sensação de que passaram 10 ou 15 minutos no máximo mas são 7h55m.
Levanto-me e ele continua a dormir. Foi a primeira noite sem leite. Não sei o que fazer esta noite. Sei que o tenho que ter no meu quarto se a próximas noites forem sem leite. A pediatra diz que é uma semana de adaptação e depois uma vida descansada. Quero acreditar mas não acredito.
Parte de mim acha que o leite que ele bebe de noite não é necessário, que lhe pode dar cáries, que lhe enche a fralda de tal modo que de manhã está sempre com o xixi no pijama, que lhe enche demasiado. A outra parte acha que o leite é calmante, que talvez haja um buraquinho de fome, que falta um consolo noturno.
Estou dividida, preocupada e indecisa...

Um desejo

Ter um dia uma estante que cubra uma parede inteira, de cima a baixo, de uma ponta à outra para que possa colocar, um a um, todos os livros que tenho em caixas no sótão da casa da minha mãe e numa arrecadação.
Penso neles tantas vezes...

 
 
 
 

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Dias tristes

Os últimos dias, repletos de más notícias, que envolvem crianças...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Gosto

A mistura de padrões tão distintos e de peças de estilos aparentemente incompatíveis (para muitos será).

Preocupação de irmã

António constipado e com tosse choramiga no berço. Alice quer dormir e queixa-se do barulho.
Alice: Mãe o que é que ele tem? Está a fazer muito barulho...
Eu: Ele está constipado.
Alice: oh... mas vai passar, mãe?
Eu: Sim, vai passar, não te preocupes amor.
Alice: Não mãe! Vai passar-me a gripe?

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Dias menos perfeitos

Logo de manhã:
"Mãe, ontem não brincaste comigo. Lavaste loiça, arrumaste roupa, trataste do António e não viste um filme comigo nem comeste as pipocas no sofá."
Cheguei cedo a casa. Ela acordou 5 minutos depois da sesta. Pediu-me para vermos um filme e comermos pipocas de um cone de papel, sentadas no sofá.
Fizemos as pipocas e mal estavam a estalar no tacho enquanto no meu colo víamos elas fazer ploc, plac, António acorda da sesta.
Já não dava para nos sentarmos. Tinha uma pilha de roupa passada à espera de ser arrumada. A loiça do almoço na cozinha. Uma máquina a terminar de lavar roupa.
Fiz o cone, meti as pipocas. Disse-lhe para ver os desenhos animados que eu já não podia sentar-me com ela.
Dei 2 iogurtes ao António e depois achei melhor agarrar-me às tarefas domésticas. Há dias que fecho os olhos e fugimos para o parque, outros dias em que me agarro de unhas e dentes e com 2 crianças a chamar-me constantemente faço o que posso.
Fomos todos para o piso de cima e enquanto eu arrumava a roupa eles desarrumavam os brinquedos.
Depois piso de baixo, roupa para estender, loiça para lavar e já eram 6h da tarde. Tratar do jantar do António, jantar e banho e são 7h, hora de deitar o mais novo e tratar da mais velha.
Jantámos em família com o António a dormir. Lavar a Alice, Contar uma história e são 9 da noite, hora de dormir...
De manhã a cobrança de quem só quer brincar.

So true

 

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Não fosse uma pechincha...

... era meu!

Johanna Ortiz
905€
 

Post nada útil

O mais novo já sobe para o sofá e desce sem ser de cabeça. Isto é coisa para me deixar tão orgulhosa.
Como diz a mais velha: "Mãe, já não tens bebés em casa. Eu sou uma menina crescida e o mano já tem 8 dentes!"

Dúvida existencial

Sou a única mãe que fica feliz todas as vezes que os filhos fazem cocó?

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Dia dos Namorados





13 de fevereiro

Para trás ficou a família, os amigos, um trabalho, a cidade que te viu nascer e crescer. Chegaste para ficar. O oceano deixava de existir e podiamos partilhar o mesmo pedaço de terra.
Já passaram 7 anos...

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Decides cuidar mais de ti...

... passando por ter as unhas pintadas e arranjadas mais vezes.
Chegas a casa do trabalho para vencer o turno. Passagem rápida e troca de palavras: saber desde que horas dormem, as que horas almoçaram. Beijinho, Beijinho, adeus, chegas tarde?
A casa está em silêncio. Decides pintar as unhas. Sabes que tens de ser rápida pois são 15h20 e já dormem desde as 13h. Pensas que podes ter sorte. Zás, zás. Tentas ser muito rápida. Sentes-te com muita sorte pois estás na última unha. Ouves um chamar: Ahhhhh (o mais novo ainda não diz pai nem mãe). Começas a soprar nas unhas. Sacodes as mãos. Vai dar tempo... sacode. Ele chama mais alto. Ai que tens quase os 2 acordados em vez de 1. Decides ir e agarrar nele só com os braços, mantendo as unhas afastadas do corpo dele. O pegar é desajeitado mas conseguiste. Chegas à sala, colocas no babytv e continuas a sacudir as mãos freneticamente. O teu filho olha-te de lado e estranha-te. Dizes: "Está tudo bem, meu amor!" enquanto sacodes as mãos.
Conseguiste! À noite lavas a loiça do jantar, lavas o mais novo e depois a mais velha e aparece-te a primeira lasca.
Estamos no segundo dia e já consigo contar 4 minúsculas lascas.
Acho que vou voltar ao meu old me!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O Dia dos Namorados está à porta

Nunca comemoramos mas bem podia ter um outfit alusivo ao amor, porque este está bem presente.

 
 

A nossa família


Mãe a rosa, depois foi o pai a vermelho do Benfica, depois desenhou-a no meio dos dois a preto com coroa de princesa e depois o António a azul.


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Compras caras

Em pleno centro histórico partiram o vidro de trás e do lado do carro do meu pai para levarem uns sacos de compras do hiper.
É de ficar com a semana estragada...

Limpar o telemóvel

 
 
Quando não consegue tirar as peças com os dedos vão os dentes
 
 
 
 

Do Carnaval

Muito leve, quase inexistente não fosse uma festinha na casa de amigos para a criançada.

Chegou à paisana mas rapidamente arranjaram-lhe uma máscara
 
 
De Branca de Neve (para os mais distraídos)
 
Triste porque o seu amigo Augusto não quis tirar foto com ela.
Para o ano quer ir de D'Artagnan como ele.
 
 

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Amor

Alice viu o pai dar-me um beijo. Toda contente começa a dançar e cantarolar: "Amorando! Eles estão amorando!"

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Liceu ou Secundário

Ando a orientar um trabalho numa escola secundária e tenho passado algum tempo nos corredores da mesma. Posso comprovar que:
1. As miúdas de hoje em dia vão melhor vestidas que a maioria das professoras;
2. Conhecem e vestem as últimas tendências;
3. Andam maquilhadas no dia a dia e usam batons de cor forte;
4. Têm telemóveis de última geração.

Penso nos meus tempos de liceu e vejo que nem à missa ia melhor vestida do que elas a uma segunda-feira. Não deve sair barato ser pai de adolescentes...

Jantar fora

É raro sair para jantar fora por vários motivos. Ontem tive um jantar com colegas de trabalho.
Tratei do António, deitei-o na cama e fui tomar duche e vestir-me. Não tinha dito nada à Alice. Saio da casa-de-banho e ela fica espantada: "Maeeee, tu agora trabalhas de noite? Disseste que só trabalhavas de dia!"
Eu: "É um jantar de trabalho."
Alice: "Mãe, mas tu tens uma família! Não gostas de jantar com a tua família?"
Ouvia o riso baixinho do pai sentado no sofá como quem diz: descalça a bota.



 
Que bem que sabe não falar de fraldas e biberões.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Pre-adolescência

Agora, quando é contrariada, cruza os braços chateada e exclama enquanto se afasta: "Eu quero ficar sozinha!"


terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Resoluções do ano novo

Já passou Janeiro e até já entrámos em Fevereiro com os dois pés.
Tenho as resoluções deste ano dentro de mim. Levo-as para todo o lado. Fazem eco na minha cabeça nas mil e uma tarefas do dia. Penso muitas vezes que será "a partir de amanhã".
Queria tanto pensar menos e fazer mais!

Dolfi

Uma invenção excelente para viagens prolongadas ou com crianças. Este aparelho promete lavar a roupa em 30 minutos, num lavatório ou bacia.

É tão fácil dizer pilinha!

Alice já fez 4 anos e eu ainda não encontrei um nome para a vagina dela. Não consigo chamar-lhe rosinha, florzinha, passarinha ou nada do género. Não me sai... não parece natural.
Tenho evitado chamar aquilo pelo seu nome ou por outro qualquer mas, de vez em quando, no banho refere-se aquilo como rabinho. Não! Isso não de todo!
Tive que esclarecer a confusão. Rabinho é uma coisa e aquilo é outra que, apesar de muito perto, não tem nada a ver.
Disse-lhe: "Alice isso é a... vagina!" Ela responde: "Uma vaginaaa, mãe?!"
Eu sei que é um nome pesado, de gente adulta, talvez não muito apropriado para uma menina tão pequena. Mas o meninos têm pilinhas e é tão fácil dizer, é comum, assumido por todos. As meninas têm flores (mas também existem flores mesmo), têm rosinhas (mais flores), têm passarinha (também há na natureza). Isso causa confusão! Agora pilinha não causa confusão. Pilinha é uma pilinha e só os meninos têm!
A minha filha só tem 4 anos e já tem uma vagina...

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016