ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Conselheira de bebés

E vindo mesmo a propósito:
Descoberto aqui neste delicioso blog As Maravilhas da Maternidade, uma conselheira de bebés onde o problema do sono aparece como um pesadelo em muitas famílias.
Com página no facebook: www.facebook.com/conselheiradebebes

No vídeo abaixo algumas das questões que nos preocupam a todas:


Não gostei da entrevista. Acho que podia ser melhor conduzida, que não se aproveitou o potencial das convidadas, que tudo foi tratado como se fosse uma conversa de café. Tive pena não poder ouvir mais a conselheira a falar...

Das duas uma...

... ou a minha filha aprende muito depressa (o que tenho sérias, sérias dúvidas) ou brincar com a Nina a deixa k.o.
Chegámos a casa um pouco mais tarde. O jantar já estava tomado. Foi só tempo de vestir pijama e preparar o biberão. 21h15 estava no quarto dela. Leitinho e berço de seguida. Virou e revirou um pouco no berço. Tive que lhe dar a mão. Levantou a cabeças umas 4 vezes. Não gritou. Não chorou. Não pediu sequer para sair do berço.
21h30 eu já estava na sala. (Note-se: SOZINHA)
Mais uma vitória assim e começo a dar palestras e a escrever um livro com a mesma tiragem do "Segredo". Agora vou gozar um pouco do silêncio que se faz sentir antes que ela me faça engolir este post e o inchaço de mãe satisfeita que carrego neste momento.



P.S. Já enviei sms à mãe da Nina: "Tenta organizar a tua vida de forma a que estejas sempre em casa pelas 18h30. Vamos passar a comer a sopa aí e a brincar todos os dias."

Aquece-me o coração...

Sim... consolo-me aqui escrever, consolo-me aqui ler, consolo-me ter estes momentos de partilha sobre coisas tão fúteis e que nos alegram como um par de sapatos novos como coisas tão importantes e difíceis como a (des)aventura de ser mãe pela primeira vez.

A Liliana partilhou comigo e as suas palavras vão-me direto ao coração. Obrigada, fiquei cheia de energia para escrever e para continuar a ser uma mãe tão (im)perfeita :)


 

Ando a medir forças com a minha filha

Se havia coisa que me deixava descansada e com orgulho era o fato de a minha princesa se deitar todos os dias entre as 20h e as 20h30 (com raras exceções), depois do biberão, no seu berço e sem filmes.
Há 2 semanas atrás houve uma noite em que depois do biberão fez um filme a 3D de categoria terror. Eu, mãe sensível (quer-se dizer inexperiente) levei-a para a sala.
"Tadinha da menina que quer brincar um pedacinho só hhoooojjjjee, só hooojjeee."
Foi, foi, só hoje...
A partir daí, toda a santa noite temos filme a 3D mas cuja visualização do mesmo vai atingindo idades avançadas e corações mais duros pois os mais sensíveis quebram-se nos primeiros 5 minutos.
Eu, mãe sensível e muito atenta às necessidades da minha filha (quer-se dizer burra que se acha mais esperta do que as outras) levei-a para a sala para brincar e deixar o sono chegar com mais força.
Andamos 2 semanas nisto, entre quarto e sala, desde as 20h30 podendo ir até às 22h30, altura em que o sono é mais forte que qualquer birra. Tentei adiantar a hora da cama para as 21h, para as 21h30 mas o filme é o mesmo, chegando a repetir-se os gestos, apesar dos gritos irem aumentando nas sequelas de dia para dia. Acho que a minha pequenota anda a aprimorar-se no papel de drama queen.
Ontem respirei fundo e interiorizei uma permissa: eu sou a mãe, ela é a filha, eu tenho 1, 64m, ela 74cm, eu sei mais do que ela, ela sabe menos do que eu. Hoje eu sou capaz!
Estiquei um pouco a hora, 20h45 fomos para o quarto com biberão. Leitinho e tudo normal. Olhos a fechar enquanto sugava o leite. Eu, por dentro, dava pulinhos de contentamento achando que talvez até fosse ser fácil. Termina o biberão, espeto-lhe a chucha na boca antes que ela pudesse soltar um ai. Vai para o berço e... começa a nossa saga.
Berreiro, chucha para o chão 598 vezes, berreiro, espernea, estica os braços para a porta e eu penso: "Não vou desistir, nem que fique até à meia-noite."
Mantive-me calma (quando nos outros dias ficava aborrecida, desgastada). Dizia-lhe: "Temos que dormir. A mãe gosta de ti." E mais ensinamentos pedagógicos como se ela tivesse a ouvir, como se fosse possível ela ouvir alguma coisa no meio de tantos gritos.
Sempre calma convencida que eu ia vencer e que os gritos e choros não traziam consigo lágrimas, apesar dela ter ficado transpirada, de cabelo molhado junto à testa. Por nenhum momento pensei levá-la para a sala porque tenho a certeza que ela lê os meus pensamentos. Concentrei-me na batalha que tinha pela frente. Embalei-a no meio dos gritos. Não sabia quanto tempo estava a passar... tive vontade de ir ver horas pois apenas sabia que tinha entrado no quarto às 20h45. Fui embalando, cantei (tadinha), embalei, levantei-me e baixei-me as 598 vezes para apanhar a chucha.
Ela foi acalmando, ia fechando os olhos no meio das lamúrias que iam diminuindo de volume. Já não gritava, já não abria os olhos. Fiquei mais um pouco e coloquei-a no berço. Ela nem se mexeu. Apeteceu-me dar um grito de vitória! Qual chama olímpica, qual quê?! Não há melhor sensação que conseguirmos fazer o que achamos estar certo, ultrapassando as dificuldades.
Passei na cozinha e olhei o relógio: 21h20. No processo todo pouco tinha passado da meia hora (pareceram-me 3horas)
Passarei pelo mesmo todos os dias, até ela regressar à sua rotina de biberão berço, até ela perceber que por mais gritos que lance não há mais sala a partir do momento que decidimos ser hora de dormir.
Se vou ter essa determinação todos os dias? Sim, claro! (mas o meu coração vacila).


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Assaltos na rua

Li no jornal que ontem três pessoas foram assaltadas na cidade de Ponta Delgada, duas delas na rua onde vivo.
Relembrei logo da vez que fui assaltada em Lisboa. Com tempo partilho essa pérola convosco. Ameaçada com faca, dispute entre mim e o assaltante e eu disparada a correr na rua atrás do assaltante após ter-me levado o telemóvel. Minutos depois de rosto coberto de lágrimas e meu querido amigo de coração, pessoa mais sensível do mundo, mister Pboy a pedir-me se me podia filmar pois achava que ia dar um filme do caraças. E não é que tive que contar tudo tim tim por tim tim, ao mesmo tempo que chorava, enquanto filmava... há coisas do diabo!
P.S. Ah... e ainda levou imenso tempo a descer à porta da rua pois pensava que estava nas minhas brincadeiras quando dizia a chorar pelo intercomunicador: "P. fui assaltada, fui assaltada..."

Charlize Theron, Michael Fassbender and George Clooney
 
Acabamos a noite assim sempre que contava o assalto.

Conversa na rua

Dois miúdos da escola ao lado do meu trabalho:
Miúda: "Sabes o que me disse a professora? Que é a minha mãe que me faz os trabalhos de casa. Isso já me anda a irritar..."
Miúdo: "E não é??"
Miúda: "Nãooooo..."

Não me pareceu convincente mas inocente até prova ao contrário.


quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Nem sempre sei como gerir

Ontem da tarde reunião com outras duas pessoas numa outra cidade. Uma delas já conhecia de anterior reunião, a outra só de nome e função que desempenhava.
A reunião correu bem e foi muito produtiva. No final, já quando estávamos a visitar uns espaços e definir pormenores finais, a que tinha conhecido pela primeira vez pergunta-me: "Não tem o blog Chá Verde?"
E pronto, espeto fotos minhas vivendo eu numa ilha e corro este risco nas situações mais improváveis com as pessoas mais improváveis, vendo-me exposta de uma forma que me deixa sempre sem jeito. É tão fácil falar para públicos anónimos, quando estes tomam forma e rosto e nos cruzam de frente quase revemos tudo o que dissemos para ter a certeza que não fizemos muitas tolices.


 
P.S. A pessoa em questão caracterizou este espaço como "uma lufada de ar fresco". Gostei! :)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Prazos

Prazos a diminuir e algos projetos ainda por terminar... blog ficará em segundo plano.
A curto prazo voltaremos à normalidade.

 
P.S. Confesso que estou um pouco aflita. Gosto de dar o meu melhor, gosto de saber onde piso e tenho um terreno ainda meio movediço. Tenho que trabalhar bastante para o tornar seguro à minha passagem.

E o que dizem os teus sonhos? Que há muito deixei de ser normal...

Podemos dividir a minha noite em duas partes. Na primeira parte sonhei ter ido a um restaurante de um chef muito conceituado e que deixaram passar pessoas na minha frente, não tendo chegado a ser servida. Fiz um escândalo medonho! (coisa que abomino quando estou acordada)
Na segunda parte sonhei que participava de um programa tipo Casa dos Segredos. Andavam a chatear-me só para que partisse para a violência e fosse expulsa do programa. Espetei o dedo a uma que lá andava a atazanar-me o juízo, a minha unha raspou-lhe no nariz, sangrando-a. Fui expulsa.
Depois disso dei por mim com B. perdida em pastagens a fugirmos de uma vaca que corria e voava.
Acordei numa canseira que só visto...


sábado, 24 de novembro de 2012

Virgem 1 - Mãe 1

Se ontem adormeceu agarrada à virgem, hoje adormeceu agarrada à minha mão. No entanto, a bem da verdade, tenho que confessar que agarrada à virgem adormeceu bem mais rápido. Cheguei a pensar entregar o jogo e ir raptar a virgem ao presépio.

A noite de ontem foi um sucesso. Só acordou à 1h40 para o leitinho e voltou a adormecer até às 8h da manhã. Eu é que não dormi nada bem. A luz do intercomunicador ligado fazia-me confusão e achava-a tão longe de mim. Isto ainda vai levar algum tempo para voltar à normalidade...

I Love Photobucket


Num futuro próximo...

... quero tirar uma foto igual a esta com a minha princesinha!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

CONSEGUI!

Fui na ponta dos pés. Já os tinha largado. Primeiro Maria. Depois José.


O telemóvel novo apenas para verem a proporção dos bonecos.

Fui trocada pela virgem Maria e José

Bebeu o leite já no seu quarto novo, meti-a no berço e fez o filme que tem feito nos últimos 3 ou 4 dias.
Viemos para a sala. Eu aborrecida com ela, ela feliz comigo.
Passados uns 30 minutos voltámos ao quarto. Desta vez levou numa mão a virgem Maria e na outra José, de um presépio de 3 peças que tenho na sala. Tentei tirar-lhe. Berreiro. Deitei-a no berço. Vira e revira. Choraminga. Tento dar-lhe a mão ao mesmo tempo que me agarro à virgem para a sacar sorrateiramente. Berreiro. Tento a outra mão onde está José. Ponho os meus dedos sobre os dela. Puxo José. Berreiro.
Lá ficou Maria, José e Alice, os 3 no berço. Não quis a minha mão e nem chorou mais.
Daqui a pouco vou lá. Fico preocupada que ela esteja com bonecos pequenos nas mãos. Não dá para os engolir mas são duros e ela sempre pode tentar meter na boca...

Não estou segura de mim...

Decidi hoje, enquanto não conseguia dormir depois de lhe dar o leite às 4h30 da manhã, que era altura de mudar o berço para o quarto dela.
Até há pouco tempo não mudava porque eu amamentava durante a noite pelo menos 3 vezes, andar a saltar de quarto ia ser muito cansativo para mim. Aos 9 meses deixou a mama e passou ao biberão e eu não tinha o quarto dela pronto. Há coisa de dias que tenho o quarto dela pronto e já não sei que desculpa dar.
Na verdade, até tenho uma desculpa, ela para adormecer e readormecer quer ficar de mãos dadas comigo ou o pai. Quando acontece durante a noite, puxo o berço dela que fica colado à minha cama, depois estico o meu braço entre as grades e, mesmo deitada, ficamos de mãos dadas. Adormece ela, adormeço eu. Quando dou por mim já largamos as mãos e nem me apercebi.
Como vou fazer isso com uma parede a dividir o meu quarto do dela? Tenho que ficar sentada de cadeira ao lado do berço até ela adormecer. Quando isso acontece pelas 20h30 quando ela vai dormir, tudo bem. Boa hora. Quando for às 4h da manhã, depois do leite, aguenta-te firme para não bater com a cabeça nas grades quando adormecer primeiro do que ela ou pior, desperto e a partir dessa hora começo o meu dia e passo a deitar-me às 20h30 depois dela...
Será que sou eu que coloco entraves em todo ou a maternidade é cheia de quês e porquês e desafios a vencer?
Bem... só sei que hoje o berço vai para o quarto dela por uma razão principal: O meu receio de ao adiar esteja a fazê-la ter mais consciência que dorme no nosso quarto e que aquele é também o quarto dela e que depois me diga com todas as letras: "Não! O meu quarto é aquele!" (apontando uma nisca de dedo em direção à minha porta)
Antes que ela consiga dizer uma frase completa, o berço vai para o quarto dela.
Wish me luke!!!

 
E há coisa mais gostosa no mundo? Ela dorme sempre no seu berço. Às vezes, quando acorda pelas 8h lá o pai ou eu aos fins-de-semana a colocamos no quentinho da nossa cama. Deixem lá, aos 18 já nem na beira da nossa cama se vai querer sentar...
 

Teste

 
Feito a partir do photobucket.com/ e aprendido aqui: http://palcodotempo.blogspot.pt/2012/11/problema-parte-ii.html

Post 3000

3000 conversas atiradas ao ar!
3000 pedaços de mim partilhados!
3000 pensamentos registados!

Como eu gosto de aqui estar... e, confesso, parte desse gostar deve-se aos comentários e partilha que aqui se gera. Sou narcisista ao ponto de afirmar que adoro receber os vossos comentários quase tanto como de aqui escrever. Não conseguia ter um blog fechado a comentários. Admiro quem o tem, exige outra postura, outra personalidade. Eu gosto mesmo é de contar e depois ouvir o que têm para me dizer.
Aproveito este post para pedir, quem tiver paciência e ainda se lembrar, como aqui veio parar. Não vou perguntar o que os mantem, mas se quiserem partilhar também, não se acanhem...


P.S. Oh... diz o google que atingi o meu limite máximo de imagens... não consigo ter um blog sem mais imagens. Algum expert que me apresente uma solução que não represente custos como o informado pelo Google?

Há dinheiro bem empregue...

Se gastar 80€ com um "brinquedo" (não é bem brinquedo) como o carrinho abaixo da Chicco me faz pensar mil vezes e duvidar se estará certo, se não, se não há coisas mais importantes e necessárias, há outras de desde o primeiro momento que alguém diz: "Vamos comprar!" eu respondo cheia de certeza: "Vamos!".
Há uns dias enviámos para a irmã de B. um intercomunicador da Chicco igual ao nosso. A bebé já tinha nascido há algum tempo e ela tinha tomado outras opções e deixado esse aspecto para segundo plano. Contudo, sentíamos e sabiamos de experiência própria, a falta que um intercomunicador faz. Gabo as nossas mães que viveram sem essas modernidades, eu cá, amo de paixão o meu intercomunicador de imagem e som e "ai Jesus" se aquilo se avaria.
E quando decidimos oferecer um nem nos passou pela cabeça ser apenas de som para nos sair mais barato. Pensamos foi no quanto estávamos satisfeitos com o nosso modelo.

Hoje recebo uma sms com uma fotografia da imagem da nossa sobrinha no visor do intercomunicador dizendo: "Já posso fechar as portas, já não tenho que ter a televisão no silêncio e já não preciso ir ao quarto a ver se ela está bem de 10 em 10 minutos :)(...)"

Não é mentira nenhuma quando dizem que ao darmos recebemos a dobrar. Dinheiro bem empregue, sem dúvida!

 
Futuras mães, não há melhor compra que esta. A não ser aqueles modelos com uma imagem de vídeo ainda maior.
 

To B.

E alguma vez pensaste que pudesse ser tão fantástico?

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Para a Alice

Gostava que o Pai Natal trouxesse para a Alice um meio de transporte adequado à sua idade. Contudo, o mais parecido que vi ao que estava a pensar é exageradamente caro. 80€ por um veículo que não leva a família toda é um exagero.
Alguém sabe de algum modelo que o Pai Natal possa mesmo trazer?



Oh, meu Deus...

E por que razão não fazemos mais por quem já cá está e estamos tão preocupados com quem ainda não nasceu e desejamos tanto alguém que não existe quando no mundo há quem nos quer mais do que possamos imaginar?

Oh, meu Deus... por que razão uns sofrem tanto e outros tão pouco? Já dizia José Luís Peixoto que Deus, lá de cima, atirava o sofrimento aos molhes sobre as nossas cabeças, atingindo alguns com tanto e outros com quase nada.

Não consigo deixar de me sentir egoísta... não consigo deixar de me sentir fria e distante quando fecho os olhos à minha volta e me preocupo apenas com quem mora no meu coração. E o desejo de criar mais vida e trazê-la ao mundo mantem-se em mim quando devia olhar para fora de mim e ver o quanto querem e desejam o meu colo, tanto ou mais de quem saiu de dentro de mim. Isto porque quem saiu de mim não sabe o que é não ter o colo, não ter o beijo, não ter o toque diário do amor incondicional que nos chega a sufocar de tão grande que é. Mas quem nunca saiu de mim sabe o que é desejar uma família, o colo, o beijo, o toque. Quem nunca saiu de mim quer tanto chamar mãe e eu finjo que não sei, que não ouço, que não é comigo, que não é por mim que chamam...

Às mães que são mais corajosas do que eu, às mães que escolheram uma vida (ou uma vida as escolheu), às mães de coração enorme, tenho que buscar a força e a sabedoria que preciso para que um dia possa abrir o meu coração a quem tanto me possa querer e que eu quero mas ainda não me preparei.

 
O seguinte texto foi-me enviado pela responsável de um centro de acolhimento, é uma carta de uma criança que quer ser adoptada, uma criança que foi abandonada há muito tempo e que está assim, abandonada, até hoje.
Ninguém espera por mim?
Olá,
Resolvi escrever-te porque sei que deseja ter um filho. Não, eu não sou o bebé com que tu sonhas….. já não uso fraldas, não como papas….. mas ainda sou uma criança e queria tanto ter um papá e uma mamã. Já não me lembro bem, mas um dia fiquei só …. E ficar sozinho no mundo com a minha idade é muito triste.
Vivo desde essa altura (já vão 10 anos) numa casa bonita, com muito meninos e meninas e há muitas senhoras muito simpáticas que tomam conta de nós. Mas continuo a sentir-me só ….. não tenho um papá e uma mamã…. e eu queria tanto….
Eu sei, não sou o bebé com que tu sonhas…. Mas sabes? Eu também sou como tu. Também sonho. Sonho que um dia vou ter uma mamã que me vai ajudar a escolher a roupa que vou vestir, que me vai a buscar à escola, que me vai contar historia, a aconchegar os cobertores e a dar-me um grande beijinho de boa noite….
Sonho que um dia vou ter um papá que vai andar comigo de bicicleta e me vai ver nas actividades da escola …. e …… eu vou ser tão feliz!!...

Quando isso acontecer…..
  • Vou deixar de chorar porque os meus colegas vão deixar de me gozar porque eu não tenho papá nem mamã;
  • Vou deixar de chorar quando me magoo porque a minha mamã vai dar-me um beijinho na ferida e vai passar logo;
  • Vou deixar de chorar quando um colega mais velho me bater porque vou ter um papá para me proteger;
  • Vou deixar de chorar quando arranjarem papas para os meninos mais pequeninos…. Porque já não vou estar aqui, porque….. vou ter a minha família…. E vou dizer que tenho um papá e uma mamã.
Já sou grande mas ainda sou crianças. Bem sei que o meu futuro está hipotecado seja pela idade, tenho 13 anos, e seja pela saúde, tenho um problema de coração,
Mas continuo a desejar de poder ser ainda “um filho amado” …. conheces alguém que queria ser a minha mamã e o meu papá?.....
Tenho os contactos da pessoa que me enviou o mail que facilitarei com todo gosto a quem se mostrar interessado.
 Jorge Soares
 

As lágrimas dos nossos filhos doem-nos mais a nós do que a eles

É muito bom ler nas palavras de quem sabe, de quem estuda, de quem se especializa numa área, aquilo que acreditamos, aquilo pelo qual vamos lutar e aquilo que muitas vezes sempre esteve no nosso coração e que julgamos ser o melhor.

 
A ideia de fazer tudo para que os filhos sejam felizes, evitando que chorem, está ultrapassada. A teoria de disciplinar sem que a criança chore está desactualizada, diz Gordon Neufeld, psicólogo clínico canadiano que esteve em Portugal no final da semana.
 
“As crianças precisam da tristeza, da tragédia para crescerem. Precisam de ter as suas lágrimas”, defende. Nos primeiros meses e anos de vida, o “não” dito pelos pais ajuda a disciplinar, em vez de estragar a criança. “Estamos a perder isso na nossa sociedade, não admira que as crianças estejam estragadas com mimos. Afinal, elas são sempre as vencedoras”, continua o investigador que esteve em Lisboa a convite da empresa BeFamily, do Fórum Europeu das Mulheres, da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas e da Associação Portuguesa de Imprensa.
Na conferência sob o lema “Vínculos Fortes, Filhos Felizes”, Neufeld defende que só se atinge o bem-estar através da educação e que esta deve estar a cargo das famílias e não do Estado. E para garantir o bem-estar de qualquer ser humano ou sociedade é necessário preencher seis necessidades.
A primeira é o “aprender a crescer” e para isso há que chorar, é preciso que a criança seja confrontada, que viva conflitos, de maneira a amadurecer, a tornar-se resiliente, a saber viver em sociedade.
A segunda necessidade é a de a criança criar vínculos profundos com os adultos, estabelecer relações fortes. Como é que se faz? “Ganhando o coração dos filhos. É preciso amarmos e eles amarem-nos. Temos de ter o seu coração, mas perdemos essa noção”, lamenta o especialista que conta que, quando lhe entram na consulta pais preocupados com o comportamento violento dos filhos, a primeira pergunta que faz é: “Tem o coração do seu filho?”, uma questão que poucos compreendem, confidencia.
E dá um exemplo: Qual é a principal preocupação dos pais quanto à escola? Não é saber qual a formação do professor ou se este é competente. O que os pais querem saber é se a criança gosta do docente e vice-versa. “E esta relação permite prever o sucesso académico da criança”, sublinha Neufeld, reforçando a importância de “estabelecer ligações”.
E esta ligação deve ser contínua – a terceira necessidade –, de maneira a evitar problemas. Neufeld recorda que o maior medo das crianças é o da separação. Quando estão longe dos pais, as crianças começam a ficar ansiosas e esse sentimento pode crescer com elas, daí a permanente procura de contacto, por exemplo, entre os adolescentes com as mensagens enviadas por telemóvel ou nas redes sociais, muitas vezes, ligando-se a pessoas que nem conhecem, alerta o especialista.
O canadiano recomenda que os pais estabeleçam pontes com os seus filhos. Quando a hora da separação se aproxima, há que assegurar que o reencontro vai acontecer. Antes de sair da escola, dizer “até logo”; à hora de deitar, prometer “vou sonhar contigo”.
Mas a separação não é só física, há palavras que separam como “tu és a minha morte” ou “tu és a minha vergonha”. Mesmo quando há problemas graves para resolver, a frase “não te preocupes, serei sempre teu pai” ajuda a lembrar que a relação entre pai e filho é mais importante do que o problema. Hold on to your kids é o nome do livro que escreveu e onde defende esta teoria.
A quarta necessidade a ter em conta para garantir o bem-estar dos filhos é a necessidade de descansar. Cabe aos adultos providenciar o descanso e este passa por os pais serem pessoas seguras e que assegurem a relação com os filhos.
As crianças precisam que os pais assumam a responsabilidade da relação, que mantenham e alimentem a relação, de modo a que elas possam descansar e, nesse período, desenvolver outras competências. Uma criança que está ansiosa pela atenção dos pais não está atenta na escola, por exemplo.
Brincar é a quinta necessidade a suprir. Não há mamífero que não brinque e é nesse contexto que se desenvolve, aponta Neufeld. E brincar não é estar à frente de uma consola ou de um computador; é “movimentar-se livremente num espaço limitado”, não é algo que se aprenda ou que se ensine. E, neste ponto, Neufeld critica o facto de as crianças irem cada vez mais cedo para a escola, o que não promove o desenvolvimento da brincadeira. “Os ecrãs estão a sufocar a brincadeira e as crianças não têm tempo suficiente para brincarem”, nota o psicólogo clínico que, nas últimas semanas, fez um périplo por vários países europeus, tendo sido ouvido no Parlamento Europeu, em Bruxelas sobre “qualidade na infância”.
Por fim, a sexta necessidade é a de ter capacidade de sentir as emoções, de ter um “coração sensível”. “Estamos tão focados em questões de comportamento, de aprendizagem, de educação; em definir o que são traumas; que nos esquecemos do que são os sentimentos. As crianças estão a perder os sentimentos quando dizem ‘não quero saber’, ‘isso não me interessa’, estão a perder os seus corações sensíveis”, diz Neufeld.
Em resumo, é necessário que os pais criem uma forte relação emocional com os filhos, de maneira a que estes sejam saudáveis. Os pais são os primeiros e são insubstituíveis na educação dos filhos e são eles que devem ser responsáveis pelo seu desenvolvimento integral e felicidade. Se assim for, estarão também a contribuir para o bem-estar da sociedade.
Por Bárbara Wong
Vida a 4D, uma terapeuta familiar bem disposta e descomplicada com 4 filhos.

Ninguém tem amigas como eu

Ontem vieram-me trazer um embrulho ao trabalho.
Abro e o que lá está? Flores e mais flores em tons suaves de rosa, verde e amarelo, fita de cetim, o nome de Alice repetido em tantas flores, Parabéns em outras tantas, borboletas e brilho.
Tudo feito pelas mãos da minha amiga HP para o primeiro aniversário da minha princesa.
Não foi nenhum pedido meu, foi apenas o resultado dos elogios feitos às festas que ela prepara para a sua princesa. E eu que sou tão jeitosa para estes trabalhos manuais como sou para interpretar os gráficos do nosso ministro das finanças, estou deveras agradecida e tão, tão feliz!
E sabe tão bem, bem melhor que todas as flores recebidas, este conforto e carinho que vem das mãos de quem não é sangue do nosso sangue mas é coração do nosso coração.

 
E daqui a nada é Janeiro...

Por vezes sou mãe de uma princesa...

... outras vezes mãe de uma drama queen.
Nem vou contar o filme feito ontem para adormecer à noite (que aconteceu pelas 22h30). Vou fingir que nada se passou e que hoje tudo voltará ao costume.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

As sestas durante o dia

A Alice dorme sempre um sono durante a manhã (mais perto do meio-dia) e dormia um sono da tarde.
Ultimamente ela tem feito uns filmes terríveis com direito a choros e lágrimas para não dormir da tarde, mesmo que esteja caidinha de sono.
Eu, confesso aqui, fico muito preocupada com as horas de sono dela. Se estou descansada relativamente às suas noites onde dorme 12 horas seguidas, acordando 1 ou 2 vezes para leite ou chucha perdida. As 3 ou 4 horas que lhe faltam que devia fazer durante o dia, vá, no mínimo 2 horas (1 de manhã, 1 da tarde) nem sempre as faz. E eu preocupada quando isso acontece... apesar de ir para a cama antes das 20h se não dorme da tarde.
Hoje foram feitas várias tentativas para a soneca da tarde. Desde as 15h, ao apresentar os primeiros sinais, até às 17h, altura em que hoje venci eu. São berros, atira a chucha ao chão, olha para mim como se eu fosse a pior mãe do mundo e eu... e o pai... tantas vezes vencidos por ela, uma Nisca que não tem sequer 1 metro de altura. E fica sempre aquela dúvida: insisto ou deixo ela fazer como (ela acha que) quer? 

Não quero sequer imaginar que esta pulga com menos de 1 ano de idade já quer abandonar as sestas a meio da tarde e ficar na sala como gente crescida!
Bem... já 18h30 e ela ainda dorme, ou seja, 1h30.
Amanhã é novo dia. Não sei como são as outras mães mas eu preocupo-me muito com o descanso, em forma de sono, que a minha filha tem. Os hábitos de dormir bem e a horas é meio caminho para uma vida saudável.

Nunca me esqueço de um programa que vi (ainda não estava grávida e acho que nem o fazia com o intuito de procriar ;), sobre insónias e os hábitos de sono de miúdos e graúdos. Ligou para o programa uma jornalista cujo filho de 4 anos apenas dormia umas 3 a 4 horas por noite e não dormia nada durante o dia. Sei que isto parece mentira. A jornalista calmamente dizia: "Sai ao pai que também dorme muito pouco. No início preocupava-me agora vejo que ele é assim, sempre foi desde bebé e como passa bem o dia e anda bem disposto estou descansada."
A neurologista portuguesa muito conhecida (de cabelo todo branco) que não me vem o nome agora disse: "O seu filho corre sério perigo mas antes sequer de pensar em tratar-lhe eu devia tratar primeiro a senhora e o seu marido. Sabia que o seu filho corre perigo de morrer de enfarte, que corre sério risco de sofrer de graves depressões em adolescente..." e continuou  numa série de outras doenças desencadeadas pela privação de sono que não me recordo.

Pronto, não chego a esse nível de preocupação mas se isso é um estádio 10 de gravidade, eu estou num 3 ou 4.

http://weheartit.com/entry/43176010/via/zahratfeb17


To everyone

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Chuchas

Cá em casa tenho um arsenal de chuchas em sítios estratégicos para que não haja choros ou esquecimentos.
Uma está sempre no saco de passeio, tenho sempre duas no bolso da proteção de berço e andam sempre duas meias desaparecidas pela casa. Quando ela perde a chucha durante a noite e começa a chorar eu vou logo com a mão ao bolso da proteção de berço e saco uma chucha. Nem perco um segundo que seja à procura da que ela tinha na boca. Se calhar até tem a chucha espetada numa orelha ou num olho e por isso chora mas a minha preocupação é espetar-lhe logo com uma na boca e ela cala-se e volta a dormir. Nice...

P.S. Post escrito porque acabou de acontecer e em 5 segundos (tive que me deslocar da sala) o silêncio voltou a reinar nesta casa.


É tudo tão bom que nem sei o que escolher

Princesa foi para a cama às 19h30. Não dormiu da tarde, o que me deixa sempre de coração pesado como se não a estivesse a tratar devidamente.
Agora, no silêncio que se faz sentir em casa tenho algumas possibilidades de ocupação do tempo:
1. Continuar a preparar uma formação que vou dar em Dezembro e que me está a queimar tantos neurónios;
2. Escrever um ofício a relatar uma situação deveras desagradável;
3. Passar a ferro enquanto coloco um filme para distrair a mente.

É tudo tão bom que ando aqui num dilema a pensar se não será melhor enfiar a cabeça no sofá e fingir-me de morta...

Dia Nacional do Pijama

 
O dia 20 de Novembro, Dia Internacional da Convenção dos Direitos da Criança, será assinalado este ano como o Dia Nacional do Pijama. As crianças até aos 6 anos de idade vão para a escola de pijama para ajudar outras crianças.
A iniciativa, da autoria da Mundos de Vida, tem por objectivo sensibilizar para o direito da criança crescer numa família. Nesse dia, meninos e meninas, até aos 6 anos de idade, vão vestidos de pijama para a escola, com o objectivo de alertar para os direitos da criança.
Recorde-se que em Portugal existem 8453 crianças institucionalizadas, e só 485 vivem em famílias de acolhimento, que não sendo seus familiares biológicos podem-lhes garantir um ambiente positivo. Noutros países a realidade é bem diferente, já que são mais as crianças que vivem em famílias de acolhimento do que as institucionalizadas. Em Portugal, 5% vivem em famílias, mas em Espanha são 32% e na Inglaterra sobe para os 72%. Em Famalicão existe há 6 anos o projecto “Procuram-se Abraços”, também da autoria da Mundos de Vida, que entretanto se espalhou por 10 concelhos vizinhos. E, segundo o presidente da Mundos de Vida, Manuel Araújo, das 85 crianças recolhidas, 37 regressaram aos seus pais ou foram para adopção e 48 estão ainda em acolhimento familiar.
O presidente da Mundos de Vida, que falou em conferência de imprensa, no dia 19, gostaria que outros concelhos tivessem programas idênticos de protecção à infância, mas reconhece que muito trabalho há ainda a fazer porque alguns distritos não têm qualquer criança em risco inserida numa família de acolhimento.
Daí esta campanha que Manuel Araújo diz ser, acima de tudo, de sensibilização para o direito da criança crescer numa família. A receptividade à iniciativa tem sido positiva, uma vez que já aderiram 172 concelhos em representação de 59369 crianças. Em Famalicão estão inscritas 43 salas, para um total de 1017 meninos.
Além do envolvimento das famílias dessas crianças, a Mundos de Vida conseguiu a colaboração da RTP para a cobertura da iniciativa, por forma a que a mesma possa ter um maior alcance.
A Mundos de Vida mandou para cada sala aderente ao projecto do Dia Nacional do Pijama um livro, “Todos de Piajama” e um mealheiro, para de alguma forma fazer perpectuar este projecto por mais algum tempo. Isto teve custos, mas não há financiamento do Estado, apenas ajudas da Fundação EDP, RTP, Nortprint, Comissão de Crianças e Jovens em Risco, campanha “Procuram-se Abraços” e alguns concelhos. A Câmara de Famalicão é uma delas e o adjunto da presidência para a solidariedade, Ademar Carvalho, que esteve presente no lançamento desta campanha, louvou a iniciativa da Mundos de Vida, pelo facto de se destinar a crianças desprotegidas e por ter um alcance nacional. Deixou também uma palavra às famílias que se têm mostrado predispostas a inserir no seu seio crianças em risco.

Se o desejo de adoptar permanece em mim, mas cheio de medos, receios e dúvidas, talvez seja mais fácil tornar a minha família numa família de acolhimento e, quem sabe, mais tarde, numa família de coração para a vida.

Os sonhos

Aquilo que gostava de resolver hoje durante o dia, resolvi tudo nos sonhos que tive esta noite. Foi um tal despachar assuntos pendentes. Pudesse eu controlar as pessoas na vida real como as controlei nos meus sonhos e tinha a minha vida resolvida.
A mim mexe-me com os nervos tanta passividade...

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Brincar

A Alice já fica sozinha a brincar. Fica largos minutos sem chamar por nós, completamente sozinha no chão da sala rodeada de brinquedos. No entanto, delira sempre que tem a sua amiga Nina para brincar.


Há domingos à noite...

... que parecem sábados à noite.

Espumante da Quinta da Lapa 
Bafarela 17 - Grande Reserva. O único vinho português com 17 graus de álcool.
Ambos com o meu selo de aprovação. Adorei.

domingo, 18 de novembro de 2012

Se isto fosse o facebook

ESTADO: Estou a comer cereais e a ver babytv com a minha filha enquanto ela come aquelas bolachas de arroz (parecem pipocas) sem sal e isento de glúten.


A minha amiga V. dá à sua Nina. Leu em qualquer lado que é bom para bebés (não sei a partir de que idade). Espero que não tenha lido no correio da Maria ou na parte de trás de uma caixa de fósforos. A minha Nisca gosta, já comeu uma e ainda respira.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

É discurso de Miss, eu sei...

E existirá no mundo um maior tesouro que este?
Gostava de viver num mundo onde todos os bebés/crianças tivessem a uma vida de amor.
Vejam o vídeo e depois compreenderão o meu desejo pois vão estar a pensar no mesmo, como uma verdadeira Miss em discurso final do concurso.
Estou derretida, quase de maquilhagem borrada.

Não consigo partilhar o vdeo, ver aqui:

To B.

 
 
É pessoa de mais acção e menos palavras. É pessoa que não diz muito mas demonstra. É pessoa mais dada a criticar do que a elogiar. É pessoa que diz: "Se está bem não preciso dizê-lo, agora quando está mal..."
Tento perceber no facto de me perguntar todos os dias o que quero para o almoço, no passar a ferro a minha roupa cheia de folhos e pregas difíceis, no colocar um episódio que eu goste de ver, no preparar-me uma torrada à noite mesmo quando vem esgotado do trabalho, no dizer-me: "Vi uma caixa de chocolates caseiros que te ia trazer mas depois vi o preço e achei que era um exagero" que só pode ser amor, muito amor em todas as vezes que não me diz: "Eu amo-te".
 

Nos dias que correm...

... ainda há quem se case aos 20 anos porque se está apaixonado e isso é mais importante do que tudo o resto... Boa sorte! Muita, aliás!

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Chega a assustar

É amanhã é sexta-feira novamente. Acho que salto da segunda para a sexta todas as semanas...

http://weheartit.com/entry/43193877/via/fuckyeahelisee


Só falta o berço

Ontem passámos a tarde no quarto da princesa. Longe do quarto de sonho é o quarto real e possível mais bonito do mundo.
Falta passar o berço do nosso quarto para o dela, comprar tapete, fazer as cortinas e arranjar o guarda-fato...
Ah... falta ainda um pedacinho de coragem para a passar para o quarto dela.

 
 
 
 
Estreia da sua mesa. Tão crescida que está a minha Nisca.
 

Pela primeira vez na vida... insónia...

 
Não consigo desligar o cérebro se acordo a meio da noite. Hoje vi o resto de um filme (isto de ser mãe é aprender a ver um filme em 4 ou 6 pedaços e não estamos a falar de sequelas) e 2 episódios do Dancing Days.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Futurologia

Esta noite sonhei que tinha regressado ao serviço depois destes 2 dias de férias e tinha encontrado os meus livros e dossiês todos no chão. Tinham levado o meu mobiliário.
Aproximam-se mudanças... vamos ver se não há mossas a registar...

Nicole Kidman by Patrick Demarchelier

Google

125º Aniversário de Amadeo de Souza-Cardoso

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Big Brother

É apenas um ano e 7 meses mais velho do que eu mas não deixa de ser o meu mano mais velho.
Faz hoje 40 anos, 40 anos! Quando gozava com ele no almoço de domingo por já fazer 40, diz-me: "Quantos homens de 40 andam por aí que conseguem levantar 100 quilos 3 (acho que foi 3) vezes seguidas?"
E, pronto, este é o meu mano mais velho no seu culto do corpo, da alimentação saudável, dos pesos e idas diárias ao ginásio (de 100 m2 que construiu em casa).
Fora essa pancada é um doce de pessoa, sorridente e aluado. Desde muito novo insistia em ensinar-me técnicas de defesa pessoal para usar quando ele não estivesse por perto como se vivêssemos numa terra caracterizada pelo crime. Na escola obrigava a quem gostasse de mim a lutar com ele dizendo que só podiam namorar comigo se lhe ganhassem na luta. Até hoje estou por saber se nunca tive candidatos ou se ele venceu-os a todos...
É o meu mano mais velho e hoje faz 40 anos!


Estás em forma, big brother! Eu é que preciso de treino no teu ginásio...

Errata: Afinal são 12 vezes 100 kilos, 125kg 2 vezes. Palavras do quarentão.

To everyone

http://weheartit.com/entry/43139140

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Ainda nem passaram 48 horas

Presto aqui a minha humilde homenagem a todas as mães solteiras ou mães com maridos/namorados/companheiros ausentes. Não é fácil, nada fácil estar sozinha com uma pessoa em miniatura totalmente à nossa responsabilidade.
Amanhã à noite já voltamos a ser 3. Nada mais perfeito!

http://weheartit.com/entry/36899478/via/camiR_twiheart

Sapatos de Montra

Nunca vi uma mulher ter um andar bonito com uns sapatos muito altos.
São bonitos, gostamos de ter o rabo a mais de 1 metro do chão mas o resto descamba. É ver um vai-vem com pés e pernas num cenário tão pouco elegante...

35,95€

39,95€

45,95€

65,95€

Tudo ZARA.

Aos trabalhores...

... que eu estou de férias.

 http://weheartit.com/entry/42029074

domingo, 11 de novembro de 2012

Nestes 3 dias

A casa é só das mulheres.
Eu e a minha Nisca. Minha Nisca e eu.
Tirei 2 dias de férias para ficar com ela e vamos aproveitar bem o tempo a duas para visitar amigas, combinar lanches, uma ida ao centro de saúde para controlo mensal e tudo mais que nos apetecer.

 http://weheartit.com/entry/42928534/via/4evertumblr


Aviso aos utilizadores da Meo

Os canais de cinema TVC1, TVC2 e TVC3 estão descodificados este fim de semana.
Já agendei as gravações da minha escolha cinematográfica: