ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

segunda-feira, 31 de maio de 2010

A minha secretária numa segunda-feira

A água que permanece dia após dia (vou bebendo as garrafas pequenas). O iogurte que trago de manhã mas nem sempre é comido no dia, ficando em cima da secretária, virado para a janela até ao dia seguinte. Canetas de publicidade e lápis 2B (sempre, não se aceitam outros). A agenda onde marco o que tenho que fazer, o que consegui fazer e o que foi alvo de procrastinação. Os telemóveis - 2. Quase sempre! Às vezes fica um perdido outras vezes outro.





Apuramento dos factos

No sábado passado, fomos a casa almoçar e depois, enquanto o príncipe encantado estende-se um pouco no sofá (afinal no final da tarde ia trabalhar), gata borralheira decide passar a roupa por 1h ou 1h30 (previsões feitas).
Passado uma hora começa-lhe a cheirar a queimado... huummm... muito estranho. O ferro começa a querer agarrar na roupa a toda a força. Olha para o fundo e vê que precisa ser limpo. Desliga o ferro e diz ao príncipe:
"Está a cheirar a queimado. Acho que precisa ser limpo..."
Príncipe levanta-se, pega no ferro (depois de deixar arrefecer um pouco) e vai limpar. Desconhece-se o processo de limpeza pois não assistiu.
Depois de limpo liga na ficha e... e... e nada! Nadinha! Não liga!
Experimenta numa ficha, experimenta noutra e... nada!
Príncipe vira-se para a gata borralheira e afirma com toda a certeza do mundo:
"Estragaste o ferro!"
Gata não perde um segundo e no meio da gargalhada responde:
"Estragaste tu a limpar. Ele funcionava quando saiu das minhas mãos!"

Apuramento dos factos:

1º O ferro foi usado e passou dezenas de peças até apresentar alguma sujidade na superfície (e algum cheiro a queimado mas nada demais). Para minimizar males futuros o ferro foi transferido de pessoa para limpeza;

2º O ferro foi sujeito a uma acção de limpeza, cujo processo é do desconhecimento do público em geral;

3º Quando o ferro voltou à origem nunca mais funcionou;

4º A pessoa que efectuou a limpeza teve muita pressa em acusar a última pessoa que o tinha visto com vida o que torna as coisas ainda mais suspeitas;

5º O riso da pessoa que efectou a limpeza não convenceu a outra pessoa, tendo sido mesmo categorizado de riso nervoso;

6º A última pessoa a ser vista com o ferro foi quem efectuou a limpeza.

As acusações e apuramento de responsabilidades ainda não chegou a lado algum. Ambos convencem-se de que são portadores da razão. Contudo, tendo em conta o apuramento dos factos, estima-se que 90% de probabilidade de ter sido o príncipe a estragar o ferro a limpá-lo e 10% tenha sido a gata borralheira que de tanto trabalhar levou o ferro ao limite das suas capacidades. Caso os 10% fossem verdade, ela estaria completamente ilibida pelo excesso de trabalho a que foi submetida.

Apesar da incerteza, a boa notícia é que hoje ao almoço, príncipe e gata borralheira (diversos nas suas opiniões e convicções) uniram esforços e conseguiram decidir-se por um substituto ao ferro a vapor que tinham. Há males que vêm por bem. Desta vez veio um ferro com caldeira :)


P.S. O facto de ter sido o príncipe a comprar o ferro, leva-nos a pensar que ele internamente tenha assumido a culpa.
"Eu perdoo-te, amor! Deixa lá, mais ferro menos ferro! Este é tão melhor e mais lindo do que o outro!"

Peça quase vintage

E hoje tenho uma peça que quase pode ser considerada vintage... quase... veio do outro lado do oceano dentro duma barrica com cheiro a sabonetes e "candilhes". Já deve ter sido há mais de 10 anos atrás mas só hoje estreei.
Não preciso dizer que B. adorou, adorou mesmo! Consegui entender isso nas duas frases que proferiu sobre o meu outfit: "Eih, voltaste aos anos 80?" e "Deves pensar que és o Dom Quixote." Esta última proferida num debate ao almoço sobre quem parte mais coisas em casa. Deve-lhe ter faltado argumentos.


Segunda-feira

As segundas-feiras inspiram-me sentimentos contraditórios como "ai, custa-me tanto a levantar" e "que bom! Uma nova semana revela-se".
E todas as segundas apresentam-se como o começo de uma nova semana, cheia de possibilidades, possivelmente com sol ou chuva, e uma alegria imensa por puder presencia-la, vivê-la, senti-la.
E o "ai, custa-me tanto levantar, quem me dera que o dia passe rápido para me atirar à noite para o sofá como se não houvesse amanhã" passa no final do pequeno-almoço ou no ligar do computador no trabalho, ou, como nos últimos meses, no final do primeiro post do dia.
Uma óptima semana de trabalho, de lazer, enfim, de vida!

De partida

Hoje fui ao aeroporto levar a nossa Clarinha e a sua querida mãe. Vão as duas gozar a sua licença de maternidade em Aveiro. A Clara vai conhecer os seus avôs, primos, primas, tios e tias da terra da mãe.
Atrás ficaram as suas tias e tios dos Açores que vão morrer saudades da sua menina.
Lá vai ela com apenas 12 dias e voltará com 4 meses. Estamos a contar encontrarmo-nos em Agosto no casamento da tia Lu. Até lá ficam os telefonemas para a sua mãe.

domingo, 30 de maio de 2010

Post 500

E assim, num abrir e fechar de olhos, foram feitos 500 Posts. Uns que valem a pena ler, outros que nem por isso. Diariamente (com uma ou outra falha) aqui venho, aqui partilho parte do que vivo, do que sinto, do que gosto.
Não me é indiferente saber quem me possa ler. Não me é indiferente pensar que ninguém me lê. Gosto de escrever mas gosto de saber que o que escrevo não se perde nesta rede, nesta aldeia global.
Gostava que fosse diferente, um diferente para melhor, para mais sábio, mais acutilante, mais viciante, mais engraçado. Gostava que fosse quase perfeito, como também gostaria de ser...
E um novo apontamento daqui a 500.

Conversa entre amigas

Éramos 3 à conversa, num shooping, sentadas numa mesa, falando sobre homens (já tinhamos esgotado todos os assuntos relacionados com roupas):
Uma delas dizia: "Para me consolar a vista é um rapaz de cabelo castanho e olhos castanhos. São homens terra."
Esqueci-me de lhe perguntar se os homens de olhos azuis e cabelo claro são homens mar e se os de olhos verdes homens campo, ou homens pastagens...

Esta foto é para ti, M. :)

Sábado

No sábado o despertar costumo ser cedo, mas um pequeno-almoço mais tardio e fora de casa deixa-me sempre motivos para sorrir.
Se a primeira refeição foi fora do diâmetro da minha residência, a última não fugiu à regra. Um convite levou-me à casa da Lu para provar uma especialidade do casal: Massa de amêijoas à Bulhão Pato. Delicioso! Verdeiramente delicioso!

Pequeno-almoço

Jantar

RESERVA

Pormenores do RESERVA...








sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ainda sobre o verão

Sabe bem as roupas leves, práticas e perfeitas para uma verdadeira agitação onde caminhamos, gesticulamos, andamos o dia todo sempre com o sol perto de nós e com o trabalho bem longe ;)
Para mim o verde, apesar de gostar dos dois, mas os tops sem alças não me favorecem...


Ambos de Arden B.

Na verdade...

... eu gostava mesmo era de ter um corpo que pudesse vestir um trikini. Só para algumas vezes, pois as marcas do bronzeado que deixam no corpo não deve ser uma coisa linda de se ver...






P.S. O meu preferido, o 3º a contar de cima.

Para este verão...

... preciso muito de um bikini e de um corpo a condizer... Só 2 coisas, não é pedir muito, nem peço nem mundos e fundos!


Férias

Pois bem, acabada de ser chamada ao gabinete do meu chefe por causa das minhas férias. Logo eu, que tiro no máximo 12 dias seguidos e porque sou obrigada por lei, caso contrário seria mesmo aos pedacinhos :) Tirei 5 dias em Fevereiro, 2 dias em Março, 12 dias para Agosto, 5 dias em Setembro e 5 dias em Dezembro, ao contrário dos meus colegas que não tiram menos de 22 dias seguidos.
Pois, então não me queria aprovar os 12 dias em Agosto, porque vai ele de férias (a família e tal, compreendo perfeitamente, chefe é chefe) e porque vai outra colega minha mês de Agosto, voltando em Setembro, só ficando uma. Pois, e queria ele que ficasse também.
Expliquei que tirei esta altura porque tinha um casamento a 1 de Agosto em Chaves, outro a 15 de Agosto na Terceira, uma possível ida à Roménia conhecer o meu sobrinho. Acho que são razões de se convencer um chefe. E ainda disse que o ano passado não tirei nem em Julho nem em Agosto mas sim uns dias em Maio, Setembro e Dezembro. E ainda mais, que nunca fico muito tempo fora do serviço (talvez ele preferisse, não sei lol) e não tenho problemas em alterar férias. Apenas estes eventos fora do meu local de residência, aos quais seria pecado faltar, impedem-me de estar ao trabalho.
Ele: "E coisa e tal, ah, pois... terá de ver melhor para o ano... e vou aprovar... e pois, tem razão... e não sei o quê... blá, blá."
Eu: "Oh, esqueçam-me! Tenho compromissos importantes aos quais corro risco de vida se faltar, além disso, B. só pode ter férias nessas 2 semanas. Ai daquele que tocar nelas!! E não será nada difícil esquecerem-me por 2 semanas, só 2, o que é isto comparado com 1 mês inteiro que 90% dos funcionários públicos tiram, eih?!" (Respondi-lhe isto tudo de uma acentada só, fazendo cara de má e ainda bati na mesa perguntando: Há dúvidas?. Saí e bati com a porta. - Isto tudo em pensamentos, foi lindo!)
Na realidade, Eu: "Obrigada, pela compreensão. Sabe que se não fosse estas questões não me importava nada de antecipar ou adiar as férias. Mas também o mês de Agosto é calmo nas instituições. A S. dá conta do recado, sem sombra de dúvidas."

Mais uma sexta-feira

Ninguém afirme que as semanas não passam correndo a uma velocidade superior, onde os minutos têm no máximo 30 segundos e as horas não passam dos 30 minutos...
Ninguém afirme que o tempo parou, que custa a passar, que nunca mais corre...
Ninguém afirme que levou 10 anos para passar de 20 para 30...
E cada dia que passa é pior, é mais veloz e assustador.
Quero um tempo devagar, sereno e amigo,
Quero um tempo só para mim e depois um tempo para nós e mais um tempo para mim e os meus.
Quero mesmo tempo, muito tempo, para prolongar o que sinto, o que vivo e para passar mais tempo contigo, muito tempo contigo...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Se me casasse para a semana...

... nos meus pés levaria uns sapatos de coloridos... Adoro, pronto! (Eu acho que estou a precisar de calçado novo e o casamento seria uma boa desculpa para os comprar. Talvez não precise chegar a tanto...)








P.S. Lu, que dizes? Alinhas? Não é no pedido de casamento! É na ideia de levares uns coloridos no teu. ;)

Ou este?

Este?

"Parto" difícil

Já cá estou sã e salva. Vi as coisas mal paradas e cheguei mesmo a dizer (em pensamento): Ai, meu Deus!
O médico transpirou, suspirou, chegou mesmo a pronunciar: "Isto não está nada fácil..." O tempo passava, passava e nada...
Até que: "Pronto! Vamos ver se aguenta... não consigo fazer melhor... foi muito complicado..."
Cá para mim eles pronunciam estas palavras-chave para depois justificar o preço que levam. No final quase que pensamos:
"Pôssa! Ele teve tanto trabalho, 100€ nem são nada..." E lá vão mais 100€, às vezes 300€, vai 900€. É uma alegria!
E para que trabalho eu?! Não, não trabalho para os meus médicos, trabalho para a minha felicidade.
Esta felicidade é paga a peso de ouro mas vale cada cêntimo, pois sinto que pagava o dobro se fosse preciso.
Não encontro outra utilidade para o dinheiro que não seja para nos fazer feliz. Para a maioria das pessoas pode passar por um bom carro, uma boa casa, objectos de marca ou de arte, muitas viagens, jantar sempre fora. Para mim poderia servir para isso tudo, mas não chega a tanto! 90% de tudo o que já ganhei até hoje foi investido no meu percurso académico (caro como tudo, apesar de ter sido sempre em públicas) e em mim própria, a corrigir o que a natureza não foi capaz.
Se podia ter vivido sem investir tantos milhares em mim? Podia, mas não seria a mesma coisa, pois não?! :)

P.S. Vamos ver se esta situação provisória é mais prolongada do que a última foi...

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Tá quase

Finalmente os médicos trocaram 2 dedos de conversa ao telemóvel, provavelmente alguns galhardetes e diplomas conseguidos no estrangeiro. Os médicos de cá abriram-me a porta e permitiram que eu fosse vista por eles.
Tenho consulta amanhã às 10h.


P.S. Estou com uma dor de cabeça insuportável como tivesse andando o dia todo com o cérebro espremido...

Ponto da situação

E é assim... aguardo que um dos meus médicos de Lisboa ligue para o médico de cá a explicar a situação para que o médico de cá decida se me recebe ou não...
Quando liguei para um especialista cá ele logo disse: "Pois, quando as pessoas decidem serem tratadas em Lisboa têm que ter consciência das implicações."
Queria ele dizer: "Andas armada em tola a ir para Lisboa ter tratamento, achas que os de cá não têm competência suficiente, agora desenrasca-te!"
Mas eu lá tentei explicar: "Dr. fui sujeita a uma grande cirurgia em Lisboa, por isso tinha de terminar o tratamento lá."
Ele: "Ah... (e tal e tal, a querer saber de todos os pormenores, médicos, etc) foi operada. Então o seu caso é especial. Eu não costumo ver ninguém que tenha iniciado tratamento fora mas vou abrir uma excepção. Peça ao seu médico para me ligar a explicar a situação e eu depois ligo-lhe a dizer se posso fazer alguma coisa."
Isto tudo até às 9h30 da manhã. Ligo para Lisboa, explico tudo à assistente e o médico fica de ligar. Ainda não tinha chegado.
Entretanto já liguei 2 vezes e ele ainda não arranjou tempo. Deve estar a ter um dia mais complicado do que o meu, espero...
Vou voltar a ligar antes do final da tarde.
É preciso ter paciência para lidar com esta classe profissional, considerada de elite, agindo como uma super elite, paga a peso de ouro, tendo os seus doentes na palma da mão. E fazer o quê?! Espremear? Gritar? Não... Dizer: "Sim, sr. Doutor" na esperança de ver os problemas resolvidos o mais depressa possível...

P.S. Post relativo aos médicos da privada de clínicas conceptuadas em todo o país. Não quero sequer imaginar como funciona na pública...

Jantar

Ontem cheguei a casa perto das 20h. Vinha cheia de fome e as possibilidades dentro do meu frigorífico não se revelavam apelativas: canja (feita por moi), sopa de feijão (feita por mummy), frangro grelhado (feito por B.).
Em vez disso, apeteceu-me algo que me apetece de 5 em 5 meses: ovos estrelados com salsichas e batata frita. E sendo jantar para um, preparei o meu tabuleiro e este manjar digno de um restaurante de estrela Michelin, foi saboreado no sofá a ver funerais (SETE PALMOS DE TERRA) e um despe-veste (WHAT NOT TO WEAR).
Soube-me tão bem, sentia-me tão serena e feliz (a situação provisória ainda não se tinha revelado). Para fechar com chave de ouro: uma taça de morangos com iogurte. E agora sim, sentia-me a mulher mais feliz do mundo.
Belos tempos!! Tão ingénua que era pois mal imaginaria a pancada que levaria no dia seguinte, logo pela manhã... Jesus (dito em inglês com sotaque americano)!


Problemas

E fui eu a Lisboa fazer algo que agora começa a dar problemas. Não ficou como devia, precisa de qualquer ajuste. Já liguei ao médico. Resposta: "Passe por aqui." Pois, tão simples... Não fosse o facto de ter de apanhar um avião e pagar quase 300€ para o ver.
Ontem tentei ir a uma médica cá. Encontrou uma solução provisória a ver se aguentava até à próxima consulta (daqui a um mês).
Hoje acordo, bem disposta, com um dia de sol magnífico e eis que a solução provisória revelou-se mesmo PROVISÓRIA. Tudo na mesma!!
Hoje vou tentar um especialista. Aguardo pelas 9h para ligar e pedir que me atendam de urgência. Vou gastar mais uma consulta e não sei como correrá.
Estou triste, chateada, aborrecida...
Se não conseguir arranjar, talvez tenha mesmo que apanhar um avião e lá ir. Nem quero acreditar que possa ser esta a solução...
Isto de se viver numa ilha e ser tratada num continente é coisa para pessoas de muito, muito dinheiro e já perdi a conta de como entrei nisto e como tenho conseguido sobreviver... Uma coisa sei, já estou nisto há 9 anos... Já tinha uma casa no meu nome, sem sombra de dúvidas. Opções! Opções que se tomam!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Inspiração para o vestido a levar num casamento

Os modelos da Marchesa e da Pronoivas são os primeiros a servirem de inspiração para o vestido que será feito pela minha mãe. Estou longe de encontrar o modelo perfeito mas sinto-me muito inclinada para o tecido amarelo, juntando alguns apontamentos pretos (fita ou laço ou flor não sei...).





Todos os vestidos acima das colecções da Marchesa.


Estes dois últimos da colecção Pronoivas.