ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

terça-feira, 31 de julho de 2012

A pontualidade está fora de moda

Sempre fui educada de que não se devia fazer os outros esperar por nós, que era falta de educação chegarmos tarde aos compromissos, que era falta de respeito comprometermo-nos com uma hora  e não cumprirmos. Ouvi isso tantas vezes que acabei por tomar como uma premissa.
Mais tarde fui viver com uma pessoa que não gosta de chegar a horas a um compromisso, gosta sempre de chegar 10 minutos antes da hora combinada.
Muitas vezes ouvi também como desculpa o: "Vais ver quando tiveres filhos!" Já tenho um e a minha postura em relação aos compromissos ainda não se alterou.
Cada vez mais apercebo-me que fazemos parte de um grupo em vias de extinção. Cada vez mais apercebo-me que a noção que as pessoas têm de pontualidade é apenas o estarem no lugar combinado à hora que chegarem.
Hoje tive um compromisso - um jantar de aniversário marcado para as 19h.
Eu e a Alice fomos as primeiras a chegar, faltavam 5 minutos para as 19h. Logo depois chegaram mais pessoas e a aniversariante.
Viemos embora eram 20h20m, pois a hora da cinderela não passa muito para além disso, começando a sua birra de sono, altura em que ainda estavam a chegar pessoas para o jantar, numa calma e descontracção de quem apenas se atrasou 5 minutos.
Entretanto todos esperavam à mesa até que chegasse o último convidado para começar a vir o jantar.
Eu não entendo. Juro que não entendo. Entendo os imprevistos mas não entendo as pessoas que se começam a arranjar à hora que deviam estar a sair de casa. Não entendo também como essas pessoas não encaram esta atitude como uma falta de respeito para com a pessoa que se comprometeram.
Se calhar sou eu que estou fora de moda. Se calhar o chique é chegar muito depois da hora, com um sorriso rasgado de orelha a orelha e cumprimentar todos como se as horas fossem apenas para quem anda  de autocarro saber se falta muito para passar o próximo...

Mila Kunis - Vogue Russia by Benoit Peverelli, August 2012



Google e os jogos

Argolas Masculino - Londres - 2012

Mais vale tarde do que nunca

Não foi por falta de tempo,
Não foi por falta de informação,
Não foi por falta de oportunidade,
É o puro descuido, o usual "fica para amanhã" que muitas vezes se prolonga no tempo indefinidamente.

Hoje foi o dia. Não passou de hoje. Por correio seguiram as fichas de inscrição (minha e de B.) para Dador de Medula Óssea. Quem sabe não teremos a oportunidade de mudar a vida de alguém?

Para mais informações: http://www.chsul.pt/


segunda-feira, 30 de julho de 2012

Google e os jogos

Esgrima - Londres 2012

domingo, 29 de julho de 2012

Só falta o Euromilhões

São 9h 20m da manhã. Nisca de gente dorme no quarto. Na cozinha eu escrevo no blog e B. faz panquecas. Lá fora um lindo dia de sol que convida a passeio...

Google e os jogos

Mergulho - Londres 2012

Ontem foi dia de festa

O meu sobrinho Romeu fez 5 anitos.






Shiuuuu...

A Alice está a dormir desde as 3h da manhã sem pestanejar. Até estou zonza com o sucedido.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Vou para férias

Hoje é o meu último dia de trabalho antes de partir para umas apetecidas férias. Serão 12 dias porque sou rapariga de gostar de distribuir os dias pelo ano inteiro.
Nestas férias iremos os 3 a um lugar nunca antes visitado por nós. Vamos para o ponto mais ocidental da Europa, onde a água corre na torneira de todos gratuitamente, onde as portas das casas ficam sempre destrancadas e onde as chaves dos carros nunca saiem da ignição...



O sonho comanda a vida

Sms para B:
"Joguei no euro. Vai encaixotando tudo. Amanhã mudamos."

E começam hoje...

... os Jogos Olímpicos.

27. On the road


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Selo é selo

E esta moda dos selos não é promovida por mim mas também não consigo fechar os olhos a quem tem a delicadeza de me oferecer.


Regras:

1- Só quem recebeu o selo de outro blog pode postá-lo;
2 - Se postar o selo, poste também estas 5 regras;
3 - Repasse para 8 blogs e avise-os;
4 - Blog de origem -  http://jardimdealgodaodoce.blogspot.pt/
5 - Dizer quem te mandou e colocar o link: http://smileandup.blogspot.pt/

Dedico-os a:

http://2adultos1bebe.blogspot.pt/
http://bombocadoamor.blogspot.pt/
http://cochocolate.blogspot.pt/
http://correndoomundodesaltos.blogspot.pt/
http://kaipiroskas.blogspot.pt
http://wwwsoltaspalavras.blogspot.pt/
http://sonhandosermae.blogspot.pt/
http://fraldasebaldrocas.blogspot.pt/

Queridas bloggers, considerem-se todas avisadas, ok? :))

"A fralda milagrosa"

Pois bem, vários dias já devem representam um universo que me permita concluir se a fralda com o meu cheiro seja um caso de sucesso ou insucesso nas noites da minha macaquinha.
A primeira noite correu uma lindeza: acordou 3 vezes desde que a deitei às 21h. A segunda noite acordou uma 5 ou 6 vezes. A terceira noite deve ter sido 6 ou 7 e por aí em diante.

Resultado: vou usar a fralda para me apertar o pescoço e fingir-me de morta a ver se ela cai na cantiga e aproveita para prolongar o sono já que a mama poderia ter ido à vida.


Podiam ser 2 ou 3 macaquinhas em vez de 1. Estou no céu, então :)

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Admiro a coragem...

... de quem cria uma família grande. Hoje sinto-me demasiado fraca para pensar para além de um mas num outro dia qualquer derreto-me ao ver uma família com muitos (tudo o que vai para além de 2) filhos.


P.S. Escusado será dizer que olho para esta foto maravilhosa e dá-me vontade de chorar. Afinal, a humidade ainda não nos abandonou...

Quando ela dorme...

... às vezes dá-me um aperto tão grande no peito e uma vontade imensa de desatar em choro por ver um ser tão frágil e pequeno que coloquei neste mundo cheio de perigos e doenças.
Pronto, a humidade instala-se nesta ilha e ataca-nos a todos de formas diferentes. Há quem aproveite para dar um mergulho no mar, há quem tenha vontade de chorar.

terça-feira, 24 de julho de 2012

A precisar (muito) de uma hora de praia e mar...


E eu, que vivo numa ilha e adoro praia e mar, não ter ainda sentido a areia nos pés e o mar salgado temperar-me o corpo, torna este verão um pouco menos verão.

Estarei a engordar ou tenho problemas com o amaciador?

Em conversa com B.:
Eu: "Acho que estou mais gorda. Não noto em mim, noto na roupa. Parece-me mais colada ao corpo."
B.: "Hummm..."
Eu: "Ou então és tu que lavas a roupa e pões pouco amaciador e ela sai mais rija..."
B.:"Eu?! Eu só tenho lavado toalhas e a roupa da Alice..."
Eu: "Oh... não me digas que a blusa era da Alice?!..."

Na verdade, acho que o problema é o tempo. Estou a inchar com o calor e a humidade.

Marion Cotillard - Elle South Africa, August 2012

Google comemora

115º aniversário de Amelia Earhart


segunda-feira, 23 de julho de 2012

Gostas mais do pai ou da mãe?

Quando cheguei a casa B. diz-me:
"Hoje a tua filha disse mamã! No meio de 30 papás, ela disse uma vez mamã!"
E provas palpáveis e passíveis de serem aceites em tribunal, onde estão?!?
Eu só sei que já a ouvi dizer mamã, no meio do choro para adormecer. Em relação ao papá, nunca ouvi tal coisa...

Estado de espírito

sábado, 21 de julho de 2012

Um sinal?

Estava no café onde costumo tomar o pequeno-almoço com a Alice. A funcionária fez-lhe uma festa e um senhor que lá estava e que nunca tinha visto também conversou com ela. Na verdade, sempre que o homem abria a boca para falar com ela ou com outra pessoa qualquer a Alice ficava fixada nele de boca aberta.
Até que o homem pergunta-me: "Como se chama ela?"
Eu: "Alice."
Ele: "Oh... que bonito nome. Era o nome da minha falecida mãe. Morreu ao dar-me à luz..."

Quem sabe não foi um sinal da mãe dele que fez com que os nossos caminhos se cruzassem quando nunca antes o tínhamos feito? Um sinal que ela olha por ele? Quem sabe não passou de um acontecimento que nada tem de espiritual a não ser a bebida que outro homem que lá estava tomou logo pela manhã?

Marion Cotillard - Vogue Paris by Mario Sorrenti, August 2012

Adoro partilhar pérolas

Do meu grande amigo Pboy :)


Nasceu o Diogo

Passava 5minutos da meia-noite quando nasceu o Diogo, filho da nossa querida Kaipiroska.
Imagino a felicidade dos pais, pois o outro dia estava eu a passar pelo mesmo.
A nossa vida muda, o nosso olhar sobre a vida muda e o olhar dos outros sobre nós também muda. Nunca mais nada será igual...
Parabéns aos pais!


Blog do pai do Diogo: http://mc-shootme.blogspot.pt/

Almoço com vista


Coincidência ou não?!

Resultado da primeira noite com a fralda de pano que andou duas noites ao pescoço e entre o peito:
Mama às 21h e berço. Levou 40 minutos para adormecer porque o faço na cama dela quando não adormece à mama. Custa, oh se custa!
Acordou perto da 1h da manhã para mama. Voltou a acordar às 4h da manhã para mama e depois às 8h da manhã.
Resultado: Nunca tive uma noite tão folgada.
Estou empolgada para ver como corre esta. Será parecido ou voltaremos aos ciclos de sono de 2h e 1h?
Caso o padrão de mantenha vou andar sempre coberta de fraldas de pano e forrar o berço todo.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

O bem estar alheio incomoda muita gente

".... abrigo do n.º 3 do artigo 47º e o n.º 1 do artigo 48.º da Lei n.º 7/2009, de 12 de Fevereiro, dispensa diária de duas horas para amamentação da sua filha Alice (...), de 4 meses, até esta perfazer um ano (8 de Janeiro de 2013) (...)"


Como é amplamente sabido, até o filho perfazer 1 ano de idade a entidade patronal é obrigada a fazer dispensa de 2 horas diárias para amamentação ou aleitamento do funcionário, podendo ser requerido por um dos progenitores (mãe ou pai), sendo que o pai só pode pedir de aleitamento, pois claro. Quem pedir para amamentação, esse pedido pode ser prolongado por mais de 1 ano, desde com atestado médico mensal de que o filho continua a amamentar.


Assim sendo, fiz valer deste direito e felizmente a minha entidade patronal (bendita) deu-me a liberdade de gerir estas 2h diárias como melhor me beneficiar, uma vez que não interfere negativamente com o trabalho.
Trabalho apenas 5 h diárias, sendo o restante passado na íntegra com o meu rebento. São, na certa, 2 preciosas horas a que tenho direito e que as uso para o fim que foram criadas.


Sair mais cedo, ou seja, trabalhar menos horas faz com que sejamos objecto de graçolas, piadinhas de "ah e tal quem me dera ter também", "ah e tal estás-te consolando", "ah, já vais", entre outras dentro da mesma família.
A minha resposta costuma ser sempre a mesma, anda na volta daquilo que é a realidade, ou seja: A maternidade/paternidade está aberta a todos (salvo raras excepções) e a redução das 2h tanto pode ser gozada pelo pai como pela mãe. É começar a praticar... (as bocas são geralmente masculinas)

Alison Brie

P.S. Apesar do direito sei de entidades patronais que não o dão, numa base de quase ameaça de despedimento. Nos dias de hoje, quem se pode dar ao luxo de criar conflitos com o patrão?

A Madeira

Impossível ficar indiferente ao que lá se passa... impossível não pensar no sofrimento de quem vê uma vida reduzir-se a cinzas... impossível não pensar (de uma forma egoísta) na sorte em não ser uma dessas pessoas...
Na Madeira, pela primeira vez, em todo o continente, pela milésima vez, o fogo entra e modifica para sempre a vida das pessoas.
É muito triste quando, na maior parte das vezes, é um acto humano da maior crueldade...

20. Eyes


quinta-feira, 19 de julho de 2012

To me

Relacionado com o post imediatamente anterior:

Descobri o outro dia...

... que, afinal, o meu maior sonho é ter uma empregada doméstica.
Se antes já não era fã das lides, agora com uma filha acho um mau uso do tempo que passo fora do meu trabalho. Quando chego a casa não me quero preocupar com roupas e tachos. Apetece-me ficar na sala a "espichar" a minha macaquinha...

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Eu tento tudo (quase tudo)

Ando pela casa com uma fralda de pano enrolada ao pescoço. Vou dormir com ela. Espero que não seja uma noite muito quente.
Amanhã será a Alice a dormir com esta mesma fralda, impregnada do meu cheiro na esperança que lhe dê noites mais sossegadas.
Depois partilho o sucesso/insucesso desta experiência. 

Sou uma "Maria vai com as outras"

Em tempos odiei calças estampadas, fossem flores ou qualquer outro padrão. Hoje em dia acho que umas calças às flores tornariam o meu dia mais florido...






Bloggers

 

terça-feira, 17 de julho de 2012

Apetecia-me...

... fazer qualquer coisa de diferente hoje!
Acho que vou dormir da tarde, é, sem dúvida, algo de diferente e bastante insólito na minha pessoa.

Tilda Swinton by Bryan Adams

17. Your addiction

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Faz um ano...

... que estava grávida de 3 meses. Já se comemorava...


Blazer ZARA - 29,99€


Como fazer a Alice dormir sonos de 2 horas durante o dia

Apenas tenho que marcar um compromisso inadiável e tenho a minha filha a dormir como se fosse noite cerrada.

Desamarrar o fio

Como é sabido, lá em casa saiu-nos a sorte grande, ou seja, temos a possibilidade de criar a nossa filha no seu lar, numa partilha de horários e tarefas entre pai e mãe. Isto deve ser o sonho de qualquer pai mas com esse sonho vem talvez o excesso de proteção ou a dificuldade de nos distanciarmos mais de 100 metros do nosso rebento.
Não houve com o final da licença a mudança de situação, nem para ela, nem para nós. Não ouve o "corte" ao deixá-la numa creche, ama ou familiar. Não houve a confiança que tem de exisitr ao entregar nos braços de outrem o nosso maior tesouro.
Assim sendo, desde que veio ao mundo, a Alice (conhecendo já outros colos) apenas conhece os cuidados e atenção prolongada do seu pai e da sua mãe. Já com 6 meses nunca ficou 5 minutos que fosse com outro alguém, nem com os nossos pais, supostamente as pessoas em quem mais confiamos.
Eu tenho consciência (falo por mim, não sei o pai) que temos que começar a desamarrar alguns nós de ligação. Temos que deixá-la usufruir dos cuidados de quem a ama como nós. Mas não é fácil... não é fácil para quem se habituou à sua presença e companhia... não é fácil a quem, naturalmente, a vê como extensão de nós próprios, ligados por um fio invisível que não tem mais de 100 metros de extensão. A culpa não é nossa, é do fio que não nos permite...
Facilmente nos habituámos a juntá-la à nossa rotina (alterada pela dela) levando-a connosco para o mercado, o hipermercado, a rua, o café, o shopping, a ginástica, a esteticista, a casa de amigos. Está connosco e nós com ela 24 sobre 24h. Facilmente nos habituámos que a nossa vida social fora de casa não pode ultrapassar as 21h, altura em que a sua necessidade de dormir na sua cama é maior que tudo à sua volta.
Pode parecer demasiado ou nada demasiado, afinal é a nossa filha, é connosco que deve estar. Contudo, se outros casais não têm por perto nenhum familiar a quem possam deixar a guarda do seu rebento enquanto vão a um compromisso qualquer, nós temos. Temos pessoas de sangue, de confiança, de coração mas nunca o fizemos.
Aos poucos sinto a necessidade de o fazer, ainda que fosse por 1 ou 2 horas. Aos poucos acho que é importante que ela se sinta segura com outras pessoas que não os pais. Aos poucos sinto o quanto me faria bem jantar com o pai num ambiente livre de chuchas e onde as minhas mamas passassem a ser objecto de outros desejos que não incluissem encher a barriga.
Não é fácil gerir uma série de sentimentos, preocupações e ansiedades. Muito menos fácil é gerir as diferentes necessidades enquanto casal, enquanto indivíduos e enquanto pais.
Há momentos em que me sinto incapaz em todos os papéis que me competem, há momentos em que me sinto apenas mãe, outros em que tenha que colocar a profissão mais alto, outros em que apenas quero voltar a sentir-me mulher amada e desejada.
O tempo deve ajudar, como deve ajudar sentirmos que os nossos filhos vão ficando cada vez mais autónomos e mais libertos de nós nas suas mais ínfimas necessidades. Ajuda também capacitarmo-nos que não somos os únicos no mundo que sabemos fazê-los calar (quando chorar), alimentar (quando têm fome) ou dar-lhes amor (quando sentem medo).
Não posso dizer que será hoje ou já amanhã que estaremos preparados para a "deixar" em outro colo. Sei que o nosso tempo (de pai e de mãe) não chegará na mesma altura. Sinto que passados 6 meses consigo preparar-me para desamarrar o fio invisível, ainda que apenas por um par de horas. Sinto que é importante fazê-lo por ela, por mim e por nós.
O que para uns é tão fácil, para outros pode ser uma montanha. Um dia, quando menos esperar, terei escalado essa montanha e sentir-me-ei feliz e em paz na mesma...


P.S. Lembrei-me que até já assistiu a reuniões e hoje vai a outra com o contabilista de uma associação que presido.


Me gusta mucho







Tivesse eu o capital... e todos podiam ter saído do meu guarda-roupa. Gosto de todos tal qual estão. Trocava a cabeleira loira por uma morena. As medidas corporais podiam manter-se estas...

16. Sign

domingo, 15 de julho de 2012

15. Finger


Uma distração de 10 minutos

Na RTP Informação a ver uma reportagem sobre o cancro de pele mostravam uma senhora com um sinal devido a uma queimadura solar. Ela explicava:
"Eu tenho muito cuidado mas isto foi uma distração de 10 minutos."

sábado, 14 de julho de 2012

A família voltou a crescer

Nasceu mais um primo. Nasceu um primo que se virá juntar aos mais de 30 primos direitos que já tenho. Confesso-vos que a minha família é um pedacinho maior do que o normal. Somos muitos, alegres e barulhentos.
Hoje nasceu o mais novo da família. Um motivo de alegria com algumas lágrimas de tristeza.
Ainda não o conheço mas soube que nasceu com uma diferença que, apesar de não ser grave, é sempre motivo de tristeza para uma mãe que espera sempre um filho perfeito em todos os pormenores. Sentimos que a sua vida será bem mais feliz e fácil se fizer parte da maioria, da normalidade conhecida.
Nasceu com apenas 2 dedos numa das mãos. No meio de uma infinidade de doenças e limitações que poderia nascer, isto parece ser tão insignificante mas... não pensamos no pior, apenas esperamos o melhor.
Sei o que choque inicial de algo que não se esperava passará, e a perfeição dele sobressairá rapidamente.
A minha tia foi acompanhada no Centro de Saúde. Fazem apenas 3 ecografias e, pelos vistos, sem grandes preocupações de maior. Pouco havia a fazer mas, pelo menos, já se tinham preparado emocionalmente para  este pormenor "diferente".
Ela chora mas tenho a certeza que este menino que foi gerado sem ninguém contar (tinha ela já uma filha de 19 anos e uma de 15 anos) será sempre motivo de tantas alegrias.


O casamento

Hoje foi dia de casamento de uma querida amiga e blogger. De sorriso fácil e olhos brilhantes... hoje era a noiva.
Chegámos a casa cedo pois a princesa precisa do seu sono de beleza e, se durante o dia, ainda consegue dormir em qualquer sítio, à noite tem de ser em casa, no seu sossego. Ainda o bolo não tinha sido cortado e já estávamos a caminho de casa.
No entanto, o tempo que lá passámos foi tão, mas tão agradável...

Noiva chega numa viatura dos bombeiros


A minha princesa Clara (a mais pequena) mal me viu foi para o meu colo e perguntou: "Bebé?"





Eu e a SJ.
A roupa do casamento foi a possível. O tal vestido da ZARA tornou-se muito popular. Assim sendo, levei uma blusa que tem mais de 20 anos, é vintage ;), que veio numa barrica da América. A saia é da nova colecção da ZARA e os sapatos já de há 2 anos atrás também ZARA. A fita azul da retrosaria Rocha.

Lu com o seu Tomás. Deu à luz há 7 semanas e já ostenta uma elegância invejável.