ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

sábado, 14 de julho de 2012

A família voltou a crescer

Nasceu mais um primo. Nasceu um primo que se virá juntar aos mais de 30 primos direitos que já tenho. Confesso-vos que a minha família é um pedacinho maior do que o normal. Somos muitos, alegres e barulhentos.
Hoje nasceu o mais novo da família. Um motivo de alegria com algumas lágrimas de tristeza.
Ainda não o conheço mas soube que nasceu com uma diferença que, apesar de não ser grave, é sempre motivo de tristeza para uma mãe que espera sempre um filho perfeito em todos os pormenores. Sentimos que a sua vida será bem mais feliz e fácil se fizer parte da maioria, da normalidade conhecida.
Nasceu com apenas 2 dedos numa das mãos. No meio de uma infinidade de doenças e limitações que poderia nascer, isto parece ser tão insignificante mas... não pensamos no pior, apenas esperamos o melhor.
Sei o que choque inicial de algo que não se esperava passará, e a perfeição dele sobressairá rapidamente.
A minha tia foi acompanhada no Centro de Saúde. Fazem apenas 3 ecografias e, pelos vistos, sem grandes preocupações de maior. Pouco havia a fazer mas, pelo menos, já se tinham preparado emocionalmente para  este pormenor "diferente".
Ela chora mas tenho a certeza que este menino que foi gerado sem ninguém contar (tinha ela já uma filha de 19 anos e uma de 15 anos) será sempre motivo de tantas alegrias.


3 comentários:

Anónimo disse...

É sempre um choque inicial, por não se estar à espera, por não se ter verificado em ecografias, por se perguntar "porquê a mim?", por ter-se receio do seu futuro, pois as crianças não sabem lidar com as diferenças, por tantas outras coisas...

Mas, não tenho dúvida nenhuma, que essa criança será amada, que será educada para saber ser um ser humano íntegro e integrado na sociedade.

Bem vindo ao mundo pequenote!:))

Anónimo disse...

Esqueci-me de assinar o comentário! :S

Sónia Barreto

Elix disse...

Essa criança terá qualquer coisa a ensinar a todos nós, um grande beijinho de força!! (que porra que hoje em dia ainda seja possível que estas coisas não sejam detectadas nas ecografias, lá está não haveria nada a fazer, mas pelo menos daria tempo a essa mãe de aceitar) bjs*