ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

sábado, 30 de agosto de 2014

Semana #34/52

29.08.2014
Herdou a bicicleta do primo. 
O tio colocou-lhe as rodinhas, uma campaínha e uns autocolantes cor-de-rosa para parecer mais feminina. Anda feliz da vida!

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Grávidas da minha terra:

"Onde se encontram vestidos de cerimónia para grávidas?"
Eu cá acho que só mandando fazer por medida...


Nem ao sétimo dia deu sinal de vida...

O meu telemóvel morreu para todo o sempre. A taça de arroz não o salvou mas a culpa não foi do arroz nem foi minha, foi desta gravidez que me está a queimar os poucos neurónios que sobreviveram à primeira.
Sim, fui veloz em mergulhar o telemóvel numa taça de arroz mas a velocidade que o fiz foi proporcionalmente inversa à inteligência, deixando-o completamente montado na taça em vez de o ter desmontado e retirado a bateria.
Resultado, só passado umas 3 horas, quando o outro adulto cá de casa viu é que me perguntou: "Mas não o desmontaste?" Fez-se luz... uma luz já tardia...
Paz à sua alma. Fomos muito felizes juntos!



quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Consulta das 28 semanas

Estava com medo da balança e, pelos vistos, era um medo bem real e fundamentado.
Peso da grávida: 68 kg (foram 5 kgs em 6 semanas. No total já carregamos 9 kgs).
Peso do bebé: 1400 gr (previsão normal entre as 1000gr e as 1200gr. Está a seguir as pisadas da irmã mais velha).
Análises: tudo normal
Tensão arterial: 110/70 (sempre a mesma).

De resto, tudo a correr dentro do previsto...

Serão

No silêncio, a preparar o álbum digital do 2º ano da minha princesa...

Janeiro de 2013


terça-feira, 26 de agosto de 2014

"Ainda vais ter saudades destes tempos"

É o que muitas vezes nos dizem.
Às vezes acho que é apenas para nos impedir de dar um tiro no pé ou atirarmo-nos da janela mais alta de casa.
Talvez seja apenas o calor e a humidade que nos afeta a todos. Talvez o Outono nos traga uma acalmia tão desejada...

Adora panquecas

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Festa!!!









Festa em casa da minha querida H.P.

sábado, 23 de agosto de 2014

Minha parceira de gravidez

Na primeira gravidez não nos conhecíamos, apesar de termos estado grávidas ao mesmo tempo. O encontro deu-se na ginástica pós-parto com as nossas princesas já com quase 2 meses. A amizade nasceu quase sem darmos conta ou acharmos que a nossa relação poderia sair da sala do ginásio.
As conversas de circunstância sobre fraldas, bebés e amamentação, deu lugar a conversas sobre trabalho, medos, conquistas, roupas ou impostos (talvez uma conversa de 5 minutos sobre o último tópico).
Na segunda gravidez, já partilhamos os queixumes. Ela terá uma menina em Setembro. Eu um menino em Novembro.
Nossas famílias encontram-se cruzadas e isso deixa-me muito feliz...



Pela primeira vez na vida...

... ando a beber água fria.
Jesus!

Semana #33/52

22.08.2014


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

O choro

O choro virou o pão nosso de cada dia cá de casa. É choro por tudo, é choro por nada. Um choro, geralmente acompanhado de lágrimas e em alto e bom som. Não há um dia que não nos visite, pelo menos uma vez de manhã e outra à tarde. Em dias especiais é possível aparecer mais vezes.
Estou desconfiada que já devemos estar sinalizados na Segurança Social... que o som atravessa paredes, janelas e corre rua abaixo e rua acima.


Custa-me... custa-me vê-la chorar mas, às vezes, é notório a fita que rapidamente desaparece em 2 minutos.

Direitinho na sanita

Tenho o meu telemóvel mergulhado numa taça de arroz desde as 9 da manhã numa esperança (espero que não seja vã) que ele ressuscite.

Não fui eu mas a culpa foi minha. 
Sr.ª D. Alice anda com problemas em evacuar desde que largou a fralda. Para a manter mais tempo sentada na sanita deixo-a ver vídeos no telemóvel. Até hoje nunca nada tinha acontecido. Hoje entrei na casa de banho, ela queria dizer-me uma coisa, ainda sentada mas com as pernas um pouco mais abertas, vi o telemóvel escorregar-lhe pelas mãos em direção ao inferno. Gritei, levantei-a num segundo e lá enfiei a mão. Ela assustou-se e começou a chorar. Só tive tempo de correr para a cozinha e encher uma marmita com arroz para mergulhar lá o telemóvel. Só não tive a inteligência para o abrir e retirar a bateria... só o fiz umas horas depois. Continua morto para o mundo. Mas tenho fé...

Amigas ao virar da esquina

Saímos à rua e ela quer saber o nome de todas as meninas que se cruzam connosco. Pergunta o seu nome e trava logo amizade...


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

E como corre a gravidez?

Perdi a conta às semanas que vou (acho que continuo nos 6 meses). Não subo a uma balança desde a última consulta. Só hoje levantei as últimas análises que já foram feitas há 2 semanas. Ainda não pensei em nenhum nome. Ando mais cansada do que aos 9 meses da gravidez da Alice. Não durmo uma noite de sono reparador há uns 2 meses. Faço sempre metade da noite no sofá e a outra metade na cama. Raramente tiro fotografias à evolução do meu perímetro. Ainda não falei com ele ou cantei-lhe como fazia com a Alice.

Esta gravidez foi tão desejada como a primeira. Ter um segundo filho foi uma opção consciente e conversada a dois. Sempre imaginei que viveria o que vivi da primeira vez. Mas é diferente, totalmente diferente. O desejo permanece mas ter uma filha ainda muito pequena suga-nos as energias, as atenções, aumenta-nos o cansaço, faz-nos colocar em segundo plano uma vida que ainda não chegou por completo...

terça-feira, 19 de agosto de 2014

A Procissão vai passar...

 
 
 
 
 
 

Semana #32/52

Com atraso...

12.08.2014

sábado, 16 de agosto de 2014

Saldos

Lençol de cima - 39,99€ - Saldos - 12,99€

Edredon - 59,99€ - Saldos - 19,99€


Almofada - 9,99€ - Saldos - 3,99€
ZARA HOME

Tudo para a cama da princesa.

Ainda as birras...

... ou o desenvolvimento do cérebro de uma criança... ou os terrible twos...

Se eu sobreviver a esta fase (dizem que é uma fase e isso faz-me acreditar que existe uma luz ao fundo do túnel, mesmo que ainda não a veja) sem lesões cerebrais e/ou psicológicas sou rapariga para me dedicar à apanha do caranguejo no Alaska ou em qualquer outro mar tenebroso.


Isto parece-me trabalho de meninos...

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

The terrible twos

Chegaram cá a casa aos 2 anos e 7 meses.
Ás vezes pergunto-me: "Quem me roubou a minha menina e deixou esta desnorteada e gritona cá em casa?"


P.S. Estar grávida, pesada, cansada e sempre cheia de calor não ajuda nada o processo de compreensão.


quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Quando anda um doce...






Era uma vez um berço...

Vou tirar uma das grades e fazer de sofá para a Alice.
(Só até que o próximo venha tomar posse dele como cama. Ainda faltam uns meses pois tenho outro mais pequeno que dá até uns 6 meses.)


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Desenvolvimentos da chucha

Desde segunda-feira, dia que ficou sem a chucha, sem choro ou drama (a não ser no dia seguinte de manhã ao acordar), nunca mais perguntou por ela ou pediu-a na hora de dormir.
Durante o dia, já era regra cá de casa que chucha só para dormir e apenas no quarto. À noite, era a sua companhia.
Eu temia este dia... temia mesmo e imaginava choros e pedidos de socorro pela chucha.
Não foi nada disso. Nunca nada é como imaginamos. Às vezes é bem pior, outras, bem melhor.
Com a chucha, foi-se também a fralda da noite. Pensei que ainda não fosse o momento certo pois havia noites em que acordava com ela seca, outras em que vinha carregada. Contudo, ainda têm sido sem deslizes.

Não foi preciso dar ao Pai Natal em troca de presentes. Bem... acho que ela nem sabe que o Pai Natal traz presentes. Nunca lhe disse. E o ano passado quando o via fugia dele. Não seria boa estratégia.
A nossa foi conciliar a saída do berço para a cama nova com o novo estatuto de menina crescida. Cama nova sem chucha. Podia ser duas mudanças importantes e difíceis de gerir mas sempre que falávamos no acontecimento fazíamos uma festa como se fosse o primeiro prémio do Euromilhões. Explicar-lhe que ela estava a ficar muito crescida e que estávamos muito felizes com isso.
Resultou. Podia ter sido um desastre mas, no nosso caso, resultou...



Há dias assim...

Levei 2 horas para lhe dar o jantar e metê-la na cama.
Não me perguntem sobre as maravilhas da maternidade agora, ok?


terça-feira, 12 de agosto de 2014

11 de Agosto - A chucha

Fralda retirada de dia, da sesta e já da noite (ontem foi a primeira vez...).
Próximo objetivo: retirar a chucha ao mesmo tempo que a mudamos do berço para a cama de solteiro. Já há dias que dizemos-lhe que na cama de meninas crescidas não há chucha. Ela dava pulos de contente e gritava: "Não usa chucha!" (humm... muito fogo de artifício prometido...)
Dia 11 de Agosto, hora da sesta, depois de 2 horas de praia, Alice vai, pela primeira vez para a cama nova. "Filha, não há chucha!" Ainda resmunga e pede só um bocadinho... rapidamente adormece por 3h e meia. Quando acorda, acorda a chorar que quer a chucha.
O pior já tinha passado. Correu bem demais para parecer verdade. Já pensava como seria a noite... ritual de sempre e vamos para a cama nova. Já não quer a cama nova, quer a caminha (berço) para poder usar a chucha (esperta).
Dançamos ali uma valsa. Roda de um lado, roda de outro. Explicar que o berço já não é para ela. Deita-se na cama. Pede para fazer xixi 3 vezes e só faz uma. Pede água outras 3 vezes e eu já a imaginar a cama molhada a meio da noite com tanta água. Ela própria é que recusou colocar a fralda dizendo: "A mãe disse que não há chucha nem fralda na cama nova!". Contra fatos não há argumentos!
Lá adormeceu. Acordou pela meia-noite e tal. Chama a mãe. Depois quer pai. Depois quer cama dos pais. Depois quer que eu fique no quarto dela. Andámos nesse jogo quase meia-hora. Lá readormeceu mas senti que era a chucha que lhe faltava. Ouvia o som da boca dela como se simulasse uma chucha invisível.
Acordou pelas 7h e tal. Chama. Vai para a nossa cama e choramiga que quer a chucha. Novas explicações que já são velhas e vamos para a sala.
As chuchas ainda estão em casa, são 2. Mas hoje teremos que dar um destino a elas. Acho que será melhor se for ela a levá-las de casa e saber que já não existem.
O primeiro dia foi bem melhor do que qualquer cenário imaginado por mim. Hoje é um novo dia...

 
 

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Desejo incontrolável de grávida...

Desconfia-se que a sua saúde mental e física possa ficar em perigo caso o desejo não possa ser realizado. (Não querendo pressionar ninguém)

 
 
 
 
 
Quem está comigo levante o giz! Quantos são?
 (Sei que a Alice é a favor)
 

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Casamento em Outubro

Tempo de gestação: 33 semanas e meia
Estimativa de peso: 70 kg (ou mais)
Pés: Se os sapatos forem verdes, pés de Fiona.
Roupa: vou entrar em pânico não tarda...

 
 
 
 
 
Gosto do modelo. Não gosto da cor escura. Talvez alterasse a manga mas adoro o formato do vestido e a forma como cai. Tenho muitas dúvidas se ficaria bem numa barriga de 8 meses e com sapatos bem mais baixo...
Temos um longo caminho até Outubro.

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Semana #31/52

04.08.2014
Depois de muito brincar no mar...

12 Desejos para 2014 #8

Fazer uma sessão fotográfica com os meus dois filhos.

 
 

terça-feira, 5 de agosto de 2014

To everyone

 

Semana #30/52

02.08.2014
 

Eu acredito que...

... 60% da saúde física e mental da minha filha passa pelo seu sono. Uma boa rotina de sonos tornar-lhe-á numa criança e adulto saudável de corpo e mente.
Sim, limita-nos a vida social mas ter filhos é mudar de vida (na minha opinião). Não abdicamos de nós e dos outros mas cria-se um novo nós e os outros tomam uma dimensão diferente.
Sempre fomos rigorosos com os sonos. Sempre fizemos um esforço por ela fazer as suas sestas e deitar-se a horas apropriadas (segundo os nossos padrões).
Durante inverno, fica sempre entre as 20h e 20h30. Durante o verão a coisa estica-se para as 21h00/21h30 e tem dias de 22h ou algumas exceções que chegam mais longe.
Não é uma criança de compensar as horas de sono que perde ao deitar. Conheço muitas que se deitam mais tarde, acordam mais tarde. Isso facilita. A minha quanto mais tarde vai para a cama, mais cedo acorda o que só complica...
Da tarde, a média mantém-se nas 3 horas. Quando há compromissos é capaz de dormir 4h a 5h seguidas.

Adoro vê-la dormir...
Hoje de manhã pelas 7h30
(já não é muito comum ainda estar a dormir)