ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

domingo, 31 de março de 2013

Mensagem curta

Já estamos na casa nova desde sexta-feira STOP Não há tempo nem para comer STOP Emagreci 2 kg STOP Estou feliz STOP Ainda não sinto que é o nosso espaço STOP Temos muita coisa por organizar STOP Macaquinha sempre de roda dos pés STOP Não fazer mudanças com bebés STOP Regresso amanhã STOP

quinta-feira, 28 de março de 2013

Podia ser eu, sem tirar nem pôr...

 
 
 

Continuamos em visitas ao dentista

Eu tenho um médico dentista de quem gosto muito. É minucioso, cuidadoso mas (acho eu) caro como tudo.
Tive a desvitalizar e restaurar 2 dentes. Resultado: 4 consultas no valor total de 410 euros.
Será isto normal? Bem... crime não será ou não teria consultório aberto.
Num misto de felicidade e tristeza, disse-lhe hoje que ia mudar de médico. Tenho 2 seguros e vou optar por um médico da lista.
Aconselhada por esta Corisca Ruim fiz o seguro SANOS SORRISO na Tranquilidade. Pago 7,5€ por mês e começo no mesmo dia a usufruir dos preços da rede.

"É um produto de muito fácil subscrição, onde não há idade limite de adesão ou de permanência no seguro, não são exigidas formalidades médicas e não há período de carência. Basta selecionar o dentista da rede a que pretende ir, marcar a consulta, apresentar o seu cartão após a consulta e voltar as vezes que forem necessárias, pois não existem limites de capital."

Para mais informações: http://www.tranquilidade.pt/cstinter/cms.aspx?plg=2B8C8886-416A-48FF-99F4-5F4002EB5191


Em Ponta Delgada existem os seguintes:


Alguém me dá referências? Nunca fui a nenhum e preciso de restaurar mais um dente.
 

Motivo de ausência

Ando a desencaixotar parte da minha vida, tão bem embrulhada em folhas de jornais.
E continua...

segunda-feira, 25 de março de 2013

Será apenas um devaneio?

E entro num blog doce que só ele e vejo umas simples fotografias e dá-me uma vontade louca de fazer igual...

 
 
Não falo da doçura da imagem 2 que esse seria bem mais rápido e fácil de fazer :)
 
 

domingo, 24 de março de 2013

Fim-de-semana atribulado

Começámos as mudanças e tivemos 3 aniversários.
Sem tempo para contar que um dos aniversários foi do meu mano mais novo que fez hoje 34 anos.
É o meu maninho, é o verdadeiro tesouro da nossa família (se falarmos em gente de mais de 1 metro), é a nossa alma e coração. É o sorriso sempre presente, a ajuda sempre pronta, a gargalhada mais sincera. É quem nos lembra nos seus gestos mais banais que podemos ser pessoas melhores. É quem nos ensina que o próximo precisa de nós, mesmo que não o diga. É o nosso Messias.

P.S. Só quem o conhece sabe que cada palavra minha por maior exagero que pareça, fica aquém da pessoa que descrevo.

Deborah Ann Woll by Don Flood
(Máquina fotográfica esquecida em casa dos meus pais)


sexta-feira, 22 de março de 2013

Não interessa a ninguém mas...

... impossível conter-me em silêncio.
EU TENHO UM TESOURO EM CASA!

Cereja no topo do bolo

O que é a cereja no topo do bolo quando passamos o dia de trabalho em mudanças estruturais grandes que implicam transferências de pessoas, mobiliário e documentação? É uma mudança de casa para que se mantenha o ritmo.
A modos que andamos com o físico e a mente em desgaste há semanas...

P.S. E a tralha que se acumula ao longo dos anos? E encaixotar a tralha toda com uma macaquinha agarrada às nossas pernas? E ter-me que desfazer de coisas porque a nova casa, apesar de maior, tem menos arrumação? E perder o meu closet e estar na iminência de ter de preparar a roupa na noite anterior (isto para mim é deveras assustador)? E estar feliz e ao mesmo tempo apreensiva por sairmos de um apartamento onde vivíamos há 4 anos e já conhecíamos todos os cantos, para um novo local, uma nova gestão de espaço, com escadas no seu interior (as cancelas, as cancelas, precisamos de 3 cancelas, e estamos quase lá e ainda não temos cancelas).

Diane Kruger - InStyle by Matthew Brookes, April 2013

terça-feira, 19 de março de 2013

Em dia do Pai

Tenho que prestar uma homenagem a quem está do meu lado e tem sido um pai que torna o papel da mãe tão mais fácil e gratificante.
Eu sou apologista de direitos iguais na parentalidade:
a) as fraldas são para os dois (as com cócó deviam ficar para o macho por estarem geneticamente preparados para campos de guerra);
b) as sopas para os dois (talvez devesse ter prioridade quem as faz mais saborosas);
c) fazer dormir para os dois (se for ao colo tem prioridade quem aguenta com mais peso);
d) passear para os dois (aqui pode ir quem gostar mais de sair de casa :) não digo nomes);
e) passar a roupa da criança para os dois (passo sozinha a roupa toda dela em troca com alguém que passe a minha toda. Quanto mais pequena é mais difícil é de passar mas eu tenho um coração de manteiga);
f) controlar as birras e mau feitio do sono para os dois (a não ser que um deles esteja com o período passando o controlo exclusivo para a outra parte)
g) lavar as chuchas que caiem 3987 vezes ao chão no espaço de 10 minutos é para os dois (a não ser que se esfregue nas calças e se espete novamente na boca da criança sem que o outro veja);

E a lista seria interminável, dividida a dois, em igual partes, sempre com a ressalva de que quem tem TPM fica com a sua parte reduzida a 10% para que não se agravem os sintomas durante (no mínimo) 5 dias por mês.

E não menos importante, partilhar aqui que o meu coração permanece sereno e mais feliz do que nunca porque tive a sorte da pessoa com quem criei o meu tesouro, encarar a paternidade de alma e coração. Eu tive a sorte dessa pessoa fazer questão de fazer parte integrante do crescimento da nossa filha, de fazer questão de dobrar esforços físicos e psicológicos para ser ele a cuidar dela durante o dia para que não tivesse de ir para uma creche. (Plenamente a favor das creches mas mais ainda a favor de pai e mãe sempre que seja possível. Não concordo quando dizem que é importante as crianças irem para as creches, conviverem com outras crianças. Estamos a falar de bebés. A minha não tem qualquer problema de socialização. Adora bebés, corre para qualquer colo, não estranha ninguém apesar de estar sempre com o pai ou a mãe. Creches, sim. Fantástico que as haja mas existirá melhor lugar que as suas casas, rodeadas do amor dos pais, irmãos?!)
Deixa-me orgulhosa da pessoa com quem partilho a minha vida essa sua postura na parentalidade, essa sua vontade de estar ao lado de nós e juntos construírmos uma família, juntos darmos o nosso melhor.
Nada me deixa mais feliz do que saber que posso contar com ele. Tenho a certeza que posso contar com ele. É por isso, e nisso a culpa é quase toda dele, que a vontade de ter mais filhos é gritante. Saber que estamos juntos nisso, saber que ele é um pai de mão cheia que apetece-me encher a casa de gritos e gargalhadas e esquecer o quanto é difícil passar noites sem dormir.

Para ele, o melhor pai que a Alice podia ter, e que cedo ouvirá da sua boca que ele é (e é mesmo) o Melhor Pai do Mundo!



segunda-feira, 18 de março de 2013

Novas atualizações da viatura

Nunca as minhas galochas sairam tanto à rua. Hoje não foi exceção...

 
 
 
 

domingo, 17 de março de 2013

Terminámos o nosso Curso de Massagem Infantil

Fomos sem saber muito bem como iria correr. Conheceu-se outros pais e outros bebés. Estreitou-se laços e criaram-se outros. Promovemos o toque positivo. Tivemos sempre lanche no final de cada sessão. Trocámos gargalhadas e preocupações de pais. No fim de cada aula, sai de lá sempre serena e bem disposta.
A minha princesa adorava passear e conviver com outros pais e bebés, brincou com todos os brinquedos e almofadas que por lá havia. Sentiu-se em casa desde o primeiro momento.
Vou sentir falta, muita falta destes sábados...



Ai as saudades desta sala tão colorida e fofa...

A Alice já começa a construir o seu curriculum. Nos dias que correm começar a 1 ano de idade já não é assim tão cedo...

E ainda levámos para casa um saco cheio de coisas boas.

Um coração lindo com cheiro a alfazema feito pela própria instrutora. Um quadro muito sugestivo do curso feito pela talentosa mãe Cris. Já acompanhava o seu blog e agora tive a oportunidade de a conhecer melhor e à sua família e de comprovar que é a simpatia que transparece no blog.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Pérolas do Sr. L.

O senhor L. trabalha comigo. É o faz tudo do sítio, desde mudar lâmpadas, arranjar jardim, tirar fotocópias, estar na receção, montar estantes, o que for preciso. É das pessoas mais bem dispostas do meu trabalho e quase nunca está calado.
Hoje, no contexto de conversa, arremata-me assim: "Nós não devemos levar a mal quem nos critica pela frente ou não tem receio de nos dizer as verdades pois são essas pessoas que nos defendem pelas costas quando é preciso. Temos é de ter receio daqueles que pela frente andam sempre connosco ao colo."
Eu preciso é de arranjar um bloco de notas para o bolso porque é o dia todo com teorias e filosofias de vida  bem mais úteis e verdadeiras que muitos que por aí andam e se julgam tão cheios de verdades. Além disso, é sempre gargalhada garantida.

Cate Blanchett - Flaunt by Warwick Saint, 2000

Agora é que estou lixada

Cá em casa quem cozinha é B. contudo, por vontade minha, tenho à minha responsabilidade as sopas da Alice. Foi assim desde que ela nasceu.
Hoje, pela primeira vez, nos seus 14 meses de vida, foi B. que lhe fez a sopa. Quando lhe dei a sopa ao jantar provei-a... aconteceu o que o mais temia, a sopa mais saborosa que ela deve ter provado na vida. Agora estou lixada quando ela voltar a provar as minhas. Se ela me cuspir na cara vou entender e dizer-lhe: "Olha, eu teria feito a mesma coisa, filha!"

"Come a sopa, Alice come a sopa"

Desde que a minha princesa entrou no mundo do segundo prato e na maravilha que é poder mastigar os alimentos que a sopa é o diabo em puré. Já aconteceu ficar mais de 5 horas sem comer a ver se queria a sopa, já fiz sopa com os legumes todos em pedaços a ver se a animava, já tentei aviões e cantigas, já tentei o pino invertido, já tentei intercalar com o segundo é a melhor forma de a enganar mas depois o pai queixa-se que ao almoço tem sido cada vez mais difícil dar a sopa devido aos meus truques manhosos. Quando apresenta-se o prato com verdadeira comida de gente grande os seus olhos até brilham, come tudo e é um consolo vê-la a mastigar.
A minha pediatra é de opinião que não se deve forçar as crianças a comer. Não quer comer, não come. Aguarda até à próxima refeição.
Andamos assim, cada dia que passa a aversão à sopa é maior... e eu, cada dia que passa, mais confusa... Se saltar a sopa e ir para o segundo prato tenho receio que não queira mais voltar à sopa.
Alguma mãe/pai com o mesmo problema? save me...



quinta-feira, 14 de março de 2013

Como te chamas?

E muitos caprichos de pais são revelados na escolha dos nomes dos seus filhos. Muitos deles deviam ficar com o nome que escolhem para os filhos... mas isto daria pano para mangas, pudesse a minha vizinha Escolástica aqui comentar.
Isto para dizer que na necrologia do jornal vinha a informar o falecimento da Zonébia. Paz à senhora!

Emilia Clarke

Actualizações da viatura

Encontra-se na oficina desde 3ªFeira à noite. Estou com receio de ligar a perguntar: "E então? Uma máquina esse carro, não?!Isso foi só um filtro entupido..."
No entretanto, todos os dias a pé para o trabalho e a pé de volta a casa, sempre debaixo de chuva e a levar com os respingos dos carros nas poças de água.
Se o mecânico apontar qualquer valor acima dos 200€, vou gritar: "TÁ VENDIDOOO!"

Nicole Kidman - Bazaar Australia by Will Davidson, June/July 2012
 

5 horas depois...

e já passando da 1h da manhã, tenho 50% do filme feito.

quarta-feira, 13 de março de 2013

terça-feira, 12 de março de 2013

Quero pedir ao Pai Natal mas...

... às vezes fico tão tentada a pedir pelo meu aniversário (como há 2 anos).




Telefonema

O meu telefonema chegou. Nada ainda conclusivo mas ouvir o cirurgião que mais admiro deixa-me logo mais tranquila.
É bom sentir que para além de pacientes (já ultrapassa os 10 anos) somos pessoas que marcam a sua carreira profissional e pessoal.
Disse-me: "Nem sempre as pessoas reconhecem o que fazemos por elas. A Cláudia não é assim e demonstra-o, por isso, é muito especial para nós e tem o carinho de todas as pessoas da clínica."
Fiquei tão são jeito que já nem me lembro muito bem do resto da conversa.
O mais importante: pedir ao meu dentista que analise o problema e reportar a ele para que se possa resolver da melhor forma.

No final uma palavra para B., alguém que nunca saiu do pé de mim no processo mais difícil da minha vida. E não, ter uma filha por cesariana não me custou tanto a recuperar como a cirurgia que fiz no rosto. Para ele foi: "Que o teu marido tenha muita paciência para te aturar!"



Hoje o meu carro não me deixou ficar mal...

Nem lhe dei hipóteses. Vim a pé para o trabalho!

segunda-feira, 11 de março de 2013

Google


61º aniversário de Douglas Adams

E ainda estamos apenas na segunda-feira

O dia começa com muita chuva, traseiro completamente encharcado porque a janela do carro ficou aberta apenas o suficiente para molhar a cadeira, buzinadelas de carro e eu a ver o sinal passar de verde a amarelo e depois vermelho e novamente verde, amarelo e vermelho, polícia municipal a fazer esforço físico debaixo de chuva e triângulo a sair da bagageira pela primeira vez na vida.
É bom sinal, sinal que o meu traseiro ainda se movimenta e que ainda tenho um carro de onde tirar um triângulo vermelho.

Jessica Chastain - Marie Claire by Tesh, December 2012
 
 

domingo, 10 de março de 2013

Da próxima vez...

... que tiver a ideia de fazer um filme numa altura em que mil actividades se atropelam umas às outras vou espetar alfinetes no pés, calçar uns saltos altos e ir para o jardim jogar à bola com a Alice.
Tenho a certeza que não voltarei a ter ideias semelhantes.
Enquanto isso não acontece tenho mesmo que fazer um filme no Movie Maker, projeto para me roubar umas 15 a 20 horas até sexta-feira à noite.

sábado, 9 de março de 2013

É muita presunção

B. entra na sala com a Alice depois de lhe ter ido trocar a fralda enquanto exclama de peito inchado:
"A tua mãe devia ir tirar um curso de como mudar fraldas."

sexta-feira, 8 de março de 2013

Final de tarde

Ontem fomos à nossa primeira exposição, desta vez, fotográfica. É o resultado de um workshop de Fotografia de bebés frequentado por algumas amigas minhas.
Fomos ver e felicitar o belissímo trabalho. A tornar o programa mais agradável, conheci uma seguidora deste espaço e o seu lindo filho. Não tenho ambição de conhecer todos que por aqui passam mas quando são pessoas que estabelecem laços (ainda que virtuais) é sempre um prazer conhecer quem está por trás dos comentários que aqui se trocam.
"Foi um prazer, Vânia!"

 
 
 
 
 

Google

Dia da Mulher

quinta-feira, 7 de março de 2013

Desconhecia esta excelente medida

É possível canalizar 0,5% da nossa contribuição de IRS para uma instituição de Solidariedade. Não falo do reembolso do Estado a que muitos de nós temos direito, falo do imposto que, obrigatoriemente, tivemos que descontar para o Estado e do qual 0,5% pode ser revertido para uma instituição como a Cruz Vermelha ou Aldeias de Crianças SOS. O problema mesmo será escolher um destinatário...

Instruções: ANEXO H, QUADRO 9, CAMPO 901 - COLOCA-SE O NIPC DA INSTITUIÇÃO.

Este é das Aldeias de Crianças SOS

quarta-feira, 6 de março de 2013

Há dias assim...

A chuva não ajuda...

Mudança

 
s. f.
1.  .Ato de mudar.
2. Troca.
3. Alteração, modificação, transformação (física ou moral).
4. Variação.
 
 
Guinevere Van Seenus - i-D by Daniele + Iango, Fall 2012
 

terça-feira, 5 de março de 2013

Qualquer dia começo a enfeitar o cabelo da minha princesa

 
 

Dia da minha mãe

Hoje a minha mãe faz 62 anos.
Continua nova, enérgica e com uma força de viver e superar todas as adversidades que eu  ainda estou longe de ter.
É uma pessoa muito direta e sincera o que nem sempre abona a seu favor.
Ensinou-me a ser lutadora, positiva e responsável. Herdei o seu gosto pela roupa e sapatos, o cabelo encaracolado e o andar de passo firme.
Hoje é o seu dia e, sem contar, terá um jantar rodeada de todos os seus filhos (inclui noras e genros por quem chama filhos também) e netos.

Gwen Stefani - Elle UK by Matt Irwin, October 2012


Para a Joana

Gostava tanto de saber se a Joana ainda segue o meu blog.
Hoje, ao rever os posts de anos anteriores sobre a data de hoje reparei que nunca tinha chegado a responder a um comentário, ou melhor, a uma partilha tão íntima de uma leitora da altura.
Ela escreveu neste post: http://omeuchaverde.blogspot.pt/2011/03/3-anos.html

Ler este post fez-me arrepiar toda... Há já algum tempo que sigo o seu blogue e já tinha reconhecido várias passagens. Não por conhecer a CS mas por me rever nas palavras. E ler este post foi quase como ler a minha história. Nunca conheci ninguém que tivesse sofrido do mesmo que eu, apesar de os médicos me dizerem que era uma situação bastante comum. Anos e anos de consultas no Hospital de Coimbra e nunca vi ninguém com semelhante problema nas filas de espera para as consultas de Estomatologia e Ortodôncia. 

Também eu dei uma grande queda, tendo aterrado de queixo no chão, quando tinha 10 anos. Pouco tempo depois, surgia o problema que me levaria a constantes consultas em médicos, dentistas, cirurgiões, um pouco por todo o país, não encontrando alguém que soubesse como me ajudar. Só quando tinha 17 anos e no fundo do poço com uma deformação que ninguém achava importante (afinal, não eram eles que viviam com um maxilar fora do sítio), um médico do Hospital Universitário de Coimbra emocionou-se e no mesmo momento formou uma equipa que me acompanha até hoje (tenho agora 25 anos). Ninguém sabe se foi a queda que provocou isto, ou se foi uma malformação genética. Desde os 17 anos que faço viagens mensais (muitas vezes foram mais do que uma vez por mês) para Coimbra (moro a 200 km de lá). Usei aparelho durante 4 anos, fui operada está quase a fazer 5 anos, tirei o aparelho em finais de 2006 mas até hoje uso o aparelho de contenção quase todas as noites e de acordo com os médicos que me acompanham, o mais provável é ter que o usar o resto da vida. Se estou mais uns dias sem o usar, os dentes ressentem-se logo. Também a mim me partiram os maxilares. Conto com 24 parafusos na minha boca e toda a gente adora fazer as piadinhas com os detectores de metais dos aeroportos. Durante 6meses vivi a sopas e comida triturada e muitos elásticos a prenderem os maxilares um ao outro. Não fiquei perfeita, não tenho o maxilar certinho certinho, há um pequeno deslocamento de milímetros, mas hoje não é nada comparado com o desvio que foi um dia. Nunca mais vi o médico que um dia se comoveu comigo depois desse dia. Mas a promessa dele manteve-se e a equipa formada por ele fez o seu trabalho e cumpriu o seu objectivo.
Fico feliz que também tenha corrido tudo bem consigo =)
As maiores felicidades!!
Joana

Faz 5 anos

Faz 5 anos que me deitei numa sala de operações e me coloquei nas mãos do melhor cirurgião do mundo, Dr. Matos da Fonseca.
Faz 5 anos que me (re)criaram e me trouxeram à superfície.
Faz 5 anos e parece que foi ontem...

Eu tinha um desvio nos maxilares. Ninguém o via, não o viam porque achavam que aquela era a minha fisionomia. Mas eu via, via em todas as fotografias que tirava, via em todas as montras que revelavam o meu reflexo. Levou tempo... usei aparelho durante 10 anos (tive o azar de me colocar em mãos pouco entendidas mas a sorte foi essas mãos me terem dado a conhecer o Dr. Matos da Fonseca) e fui operada aos dois maxilares e nariz. Tenho a cara cheia de parafusos mas agora sou mais eu, saída das mãos de um verdadeiro anjo na terra que toca todas as vidas que têm a sorte de o conhecer.

P.S. Eu tiver o prazer de conhecer o rapaz da fotografia e a sua história, um doce de pessoa. Resumindo, digo-vos que na escola  chamavam-o o Monstro porque ele costumava andar com uma amiga que era muito bonita a quem chamavam a Bela. Diziam "A Bela e o Monstro".

O Monstro virou príncipe.
(Foto "roubada" do seu facebook)

segunda-feira, 4 de março de 2013

Se tivesse sido eu a fazer-me...

Eu tinha uma tez muito branca e o cabelo ruivo.

Florence Welch