ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Sei que vou ser polémica e incompreendida por muitos

Eu defendo que devia ser considerado maus-tratos furar orelhas a bebés e espetá-los brincos.
Mete-me uma confusão tremenda. Já nos custa levá-los às vacinas, mas tem de ser, é pela saúde deles mas qual a justificação para submeter um bebé a uma dor, ao choro, para embelezá-lo com uns belos brincos de oiro que a madrinha ou a avó ofereceu? Para ajudar os outros a distinguir se é menino ou menina? Para vaidade dos pais?
E não, não vou na conversa de que é melhor é bebés que mais crescidos pois não se lembram da dor ou porque a carne é mais tenra ou não infeta tanto.
E depois, depois chegam a adolescentes e querem fazer mais um furo na orelha ou no nariz ou no umbigo e os pais dizem: "Ai, mas nem pensar!!! Ai que horror!""
Ora bolas, furaram os pais as orelhas a eles sem que eles fossem tidos ou achados na história e agora um outro furo é que não?!?
Não compreendo...
Eu cá fazia uma petição para se aprovar uma lei onde fosse declarado expressamente proibido furar orelhas a crianças menores de 16 anos.
Peço desculpa (não, não peço) a todos os pais que furaram as orelhas aos seus rebentos pequeninos, que os submeteram à dor desnecessária, que lhes criaram furos no corpo sem a sua autorização, que lhe infetaram as orelhas, para que pudessem passear lindos nos seus vestidos e folhos com um lindo par de brincos.
A minha mãe furou-me as orelhas era bebé, não lhe guardo algum rancor ou trauma. Quando cresci fiz mais um furo na orelha e outro no nariz. Ela não gostou. Tivemos pena ;)
Seria incapaz de fazê-lo à minha filha, incapaz. Quando for bem crescida, dou-lhe a mão e vamos as duas fazê-lo se assim o desejar.
Acho que já era tempo deste ato cultural amplamente aceite na nossa sociedade desaparecer...

14 comentários:

Jardim de Algodão Doce disse...

Apesar de só ter meninos, concordo a 100%. Mas isto é só uma coisa entre outras tantas...como inscrever uma criança num clube de futebol mal tenha nascido, baptizá-la...mas isto sou eu. Na verdade há tanta coisa que eu acho que devem ser eles a decidirem um dia mais tarde. Beijos

Joana disse...

CS,
Não podia estar mais de acordo. Não sou mãe, mas vi há anos, numa ourivesaria de Ponta Delgada, uma mãe com uma bebé de meses (6, talvez) a furar as orelhas. A menina estava a dormir e acordou com aquele tiro na orelha, só vendo o que a menina chorou. Chocou mais ainda ver a atitude de felicidade da mãe :S
Foi uma situação que me marcou e nunca vou fazê-lo a uma filha.

CS disse...

Joana, nunca vi e espero nunca vir a assitir...

CS disse...

Jardim, ainda assim acho que clubes e batizados estão num campo menos doloroso, apesar de também não fazer questão dessa área.
A nossa não é sócia de nenhum clube mas já grita Benfica, por influência do pai.
Quanto a batizados, decidimos que seria quando ela o desejar. Quem sabe no dia a seguir a furar as orelhas ;)
Bj

Phil disse...

São opiniões :) acho que temos de aceitar mesmo que tenhamos idéias diferentes...

cindy disse...

Estou contigo, acho um horror. Se ela me pedir, vou com ela furar as orelhas. Agora fazê-lo logo quando são bébés acho atroz e sinceramente acho horrível ver bébés com brincos.

xoxo
cindy

Anónimo disse...

Também sou dessa opinião, só vou furar as orelhas da minha filha quando ela quiser. A minha mãe fez o mesmo comigo.
Lembro-me de ir fazer os furos com a minha avó.

Ana

Lassalete Cunha disse...

Concordo completamente. A minha mais velha furou quando me pediu, aos seis anos. A mais nova (6 anos) anda a pedir, depois desiste, depopis volta a pedir. Quando e se ela se decidir também lhe farei a vontade.

CoriscaRuim disse...

Olha, pois os meus pais não me furaram as orelhas em bebé e teria dado um jeito danado, de cada vez que me perguntavam se eu era rapaz ou rapariga (que ainda não havia a mariquice dos gajos andarem de brincos). Ainda assim, furei as minhas orelhas aos 10, voltei a furá-las 3 anos depois e, para vingança, de não ter sido torturada em criança, fiz um piercing aos 20. De todas as vezes, a minha mãe ia tendo um fanico no coração!

Brincadeiras à parte, concordo contigo. É uma situação que me dá calafrios!

Ela disse...

Concordo mas não na parte de ser somente aos 16 anos. Minha mãe não furou as minhas, mas eu quis fazê-lo por volta dos dez anos ou um pouco menos. Queria muito usar brincos como as minhas amigas.

Kaipiroska disse...

100% de acordo! Acho uma barbaridade fazer isso a um bebé, além de também achar que fica piroso uma bebé de orelhas furadas.

Soltas as Palavras disse...

Concordo plenamente, eu nunca furaria as orelhas se tivesse uma menina e a minha mãe também nunca me furou as orelhas eu lembro-me como se fosse hoje. Tinha eu 8 anos e lembro-me que todos os dias lhe pedia para ir furar as orelhas um dia fomos passear na cidade e ela perguntou-me se queria mesmo furar as orelhas e alertou-me que ia doer e disse-me eu vou contigo á ourivesaria falo com o empregado, pago mas não fico lá contigo disse-me que eu ia ficar sozinha e questionou-me se mesmo assim que queria furar e eu disse que sim e assim foi ela esperou por mim cá fora eu fiquei contente da vida porque já tinha brincos mas fui eu que lhe pedi e acho que assim é que deve ser.

Anónimo disse...

Eu também não concordo em furar as orelhas quando são assim tão pequeninas, tenho uma filha agora com 6 anos quase 7 e não lhe furei as orelhas e não a baptizei, e digo-lhe uma coisa a pressão familiar tem sido muita tanto para fazer uma coisa ou outra. Ás vezes as tradições falam mais alto e a pressão dos nossos pares também. Eu ás tantas comecei a responder torto a quem questionava a minha maneira de ver as coisas e educar a minha filha que agora já ninguém mete o bedelho.

CS disse...

A minha nem orelhas, nem batizada mas tenho a sorte que não se metem muito com isso. Nós nem somos casados, ela será batizada se assim o desejar.