ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Consulta dos 4 anos

Alice tem-se vindo a queixar de dores de barriga. Até à data, nunca se tinha queixado de tal. O seu costume é dizer que lhe dói a cabeça quando eu e pai estamos à conversa e ela quer ver desenhos animados no seu sossego ou que lhe dói as pernas quando tem que caminhar ou os braços quando tem que arrumar os brinquedos. Não sei se encontram aqui algum padrão de comportamento?!
A barriga, aiiii dói-me tanto a barriga.
Lá fomos e aproveitamos para fazer a consulta anual. Felizmente, só lá vamos uma vez por ano para o check up. Em casa somos brindados com constipações e tosses não passando disso.
Já tem 1,06 m e 18 kg. Tudo normal.
Andou muito constipada. Os ares frescos da Serra colocaram-na ranhosa. Assim, tem as glândulas inchadas. Estas também se encontram na zona dos intestinos podendo levar a dores fortes. Nada grave, um pouco de drama caraterístico da Alice que adora remédios. Tosse à descarada só para uma colher de mel ou um pouco de ben-u-ron.
Receitou ben-u-ron nos primeiros 4 dias, depois um placebo para a iludir. Iogurtes Actimel e Biogaia.
Não dar importância nem alimentar a dor. Passará em poucos dias.
A médica virou-se para a Alice e disse:
"Sabes o que deves fazer quando tens uma dor? Tens que a colocar bem longe e fechar a porta. Depois pensar em coisas alegres e boas."
Alice responde: "Mas como posso pensar em coisas alegres se a dor é muito grave e forte?"
Pronto... temos aqui uma forte resistente.

Perguntou-nos sobre dúvidas e tinha apenas uma: a questão da alimentação.
A Alice à hora das refeições é um drama. Ficamos cansados, chateados, irritados. É capaz de levar uma hora a comer a sopa e a refeição dura em média 1h30. Raras exceções (quando ela adora a comida) corre ligeiro e sem dramas.

O que fazer?
Segundo a médica (é uma opinião como tantas outras):
30 minutos de refeição é mais que suficiente. Ao fim desse tempo, sai comida da frente e só come na refeição seguinte. Não se dá a comida à boca nem precisa de ameaças ou jogos. Tem que comer, se não o fizer não há problema, não há dramas. Terá mais fome na próxima refeição. As crianças crescem por ciclos e há alturas de maior e menor apetite. Tem de se respeitar isso.
Se houver preocupações com a alimentação pode tomar Centrum Júnior.

Sem comentários: