ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Carta a uma filha que vai à escola (pela primeira vez)

Alice, chegou o dia,
vais para a escola, no alto dos teus quase 5 anos, decidida e sempre de resposta pronta na língua, vais para a escola,
e não sei, não sei quem está a estremecer mais, se tu, no desconhecido de nunca ter tido outros cuidadores que não fossem os teus pais, se eu que antecipo mil e um acontecimentos, todos eles de me deixarem de cabelos em pé,
eu sei, eu sei que isto é o que os pais sentem quando levam os seus filhos ao infantário ainda eles não têm 1 ano e quando não conseguem contar nada do que lhes aconteceu durante o dia,
eu sei, eu sei que já falas (e como falas) e que poderás contar o que de melhor e pior se passou contigo, dizer-nos o que te alegra e o que te entristece,
mas filha, quando somos pais, não importa muito se os filhos têm 1 ano, 5 ou 20, o nosso coração nem sempre reconhece a vossa idade, o nosso coração nem sempre vos consegue ver crescer, o nosso coração só vos reconhece como parte dele, a parte mais importante,
chegou o dia de ires à escola, e eu tenho que te criar para o mundo, tenho que te treinar para viver no mundo, sem grandes amarras, ajudar-te a encontrar o teu próprio caminho, aquilo para o qual nasceste, e tu não nasceste apenas para me tornar mãe ou para seres a minha filha, isso deverá ser a parte mais pequena da tua missão aqui,
e perguntas-me: “Mãe, achas mesmo que eu me vou divertir na escola? Tens mesmo a certeza que eu vou gostar ou estás a dizer-me isso para eu querer ir?”
e, antes mesmo de responder-te, vejo o quanto cresceste, o quanto és esperta, aquela esperteza que não vem nos livros, uma perspicácia que não se ensina, que nasce em nós
e penso nos conselhos que te devo dar para esse mundo que irás descobrir, para um mundo cujas regras desconheces, para um mundo onde as disputas não serão entre ti e o teu mano atrás do mesmo brinquedo, um mundo onde terás de fazer fila, um mundo onde terás de esperar pela tua vez para falar e, muitas vezes, terás de esperar bastante ou até nunca chegar a falar,
e penso nos conselhos que te devo dar e sinto-me assoberbada pelos meus próprios sentimentos, pelos laços que nos ligam, pela vontade que tenho de te deixar ir e de não te deixar sair da minha beira, pelos medos que tenho que te magoem, te maltratem, te ignorem, te façam rasteiras ou te empurrem,
mas isto é o mundo, não é? E eu não posso esconder este mundo por muito mais tempo ou nunca saberás como viver nele. Vão-te magoar, vão-te empurrar, vão-te dizer que és feia e chata, vão-te ignorar, virar a cara e dizer-te: Não és mais nossa amiga!
e vais aprender que isso pode acontecer uma, duas ou três vezes ou então muitas e muitas vezes,
mas eu quero que saibas que tudo faz parte do teu crescimento, faz parte do ser-se criança e depois adolescente e depois adulta,
sabes filha, não há segredos, fórmulas secretas e milagrosas mas há a verdade, a integridade, a responsabilidade, a humildade e a empatia, são palavras difíceis, não é? E sei que me vais perguntar: “Mãe o que é a integridade, a humildade, a empatia?” Porque queres sempre saber o significado de todas as palavras novas que conheces e todos os dias me perguntas e me pedes que te explique o que é exibir, o que é ser humilde (sim, já te falei nisso não foi), o que são os rins, para que serve a vesícula, porque não te consegues calar perante algo que desconheces, não consegues ser indiferente ao mundo que te rodeia,
sabes filha, mais do que saber os números e as letras, trazer boas notas para casa, acima de tudo, desejo que alimentes a tua empatia pelo outro, desejo que o sofrimento do teu colega de escola não te seja indiferente, desejo que partilhes o teu lanche se alguém se esquecer do seu, desejo que fiques feliz com as tuas conquistas mas que, ao mesmo tempo, sejas humilde e não dês muita importância à tua professora se ela vier com medalhas ou estrelas para colar no quadro, desejo que digas à tua professora que o que fazes é para te sentires bem e ligada aos outros que te rodeiam e não para ter estrelas em papel doirado coladas em placards de honra,
desejo que descubras o que te faz feliz, que desenhes o teu caminho sem competições mas com brio, o brio de querer fazer bem e nunca para ser melhor do que os outros, a competição terá de ser feita contigo, terás de desejar ser melhor do que foste ontem,
não te preocupes com os 100% ou os 90%, não te preocupes com o fato de não seres a melhor da sala, preocupa-te em dar o teu melhor, em te superares, preocupa-te em esclarecer as tuas dúvidas, em procurar saber mais, preocupa-te com correr no recreio e pular, preocupa-te em saltar e sentir o sol no rosto e alegra-te com o fato de todos os dias teres tantas coisas novas para contares ao chegar a casa
e nunca te esqueças que tudo o que fizeres terá consequências e aprenderás a ser responsável, responsável pelas tuas escolhas, sabendo que tudo pode ter uma consequência positiva ou negativa, não são os castigos importantes, o importante é saberes que um ato teu tem sempre uma consequência que terá de ser  vivida por ti,
terás sempre o nosso apoio mas esse apoio passará sempre por te fazer assumir o que de bom e de mau fizeres ao longo do teu percurso,
terás sempre o teu ninho para voltar mas nos caminhos de ida e de regresso terás de crescer, perceber o certo e o errado e escolher o melhor para ti…

Da tua mãe


7 de setembro de 2016

 

11 comentários:

clara disse...

Linda a tua carta! Adorei mesmo. O Francisco também vai para a escolinha pela primeira vez e eu estou com o coração tão apertado....

Anónimo disse...

A minha pipoca tem 3 anos a anda na creche desde os 5m. Se calhar esta carta ja nao me devia deixar de lagrimas nos olhos... mas deixou!
Hoje foi o primeiro dia no jardim de infancia, na "escolinha nova" que ela tanto ansiava. E eu estou aqui de coracao esmagado :(. Imagino como se deve sentir perdida naquele espaco desconhecido, sem as pessoas em quem ela tanto confiava na creche... Bolas, isto de ter que os "deixar crescer" é mesmo tramado!!
Adorei a tua carta porque mais uma vez traduzes exatamente o que sinto!
Beijo grande... e que o fim do dia chegue rapido para abracar-mos as nossas "pequenitas".
Di

Anónimo disse...

Olá! Boa sorte de uma leitora açoreana que também partilha consigo esta aventura da maternidade! Já agora, tenho alguma curiosidade em saber que escola/colégio escolheu para a sua princesa, uma vez que foi através do seu blog que fiquei a conhecer pessoas e sítios tão interessantes e, além disso, a minha pipoca também muda de escola para o ano que vem e o stress da escolha já me anda a afetar.
Tudo de bom para si e para a sua linda família que espelha felicidade a cada imagem que publica.

Anónimo disse...

Vai correr tudo bem, e a Alice vai conseguir continuar a ser a menina feliz que é.
Nós sofremos muito mais que eles.

Ana

Kaipiroska disse...

Quando a fores buscar, aposto que vem de olhos a brilhar e cheia de novidades para contar. Acalma a tua ansiedade e poderás desfrutar de tudo com a tua menina. Claro que depois queremos a continuação...
Já agora, ela foi para que escolinha?
Beijinhos para ambas :)

Sofia disse...

Cláudia partilho da sua ansiedade, uma vez que, tb eu estou prestes a colocar a minha filha na creche. só tem 10 meses e não dá para adiar mais :´(. ando com o meu estômago embrulhado. Só de falar nisto até me treme as pernas e dá vontade de chorar. Vamos lá ver como vai correr. Temos de ser fortes por eles. E pensar que tudo vai passar e que se vão adaptar rapidamente. Quero pensar que nós adultos é que complicamos tudo e que afinal vai ser mt mais fácil. A ver vamos! Boa sorte para si e para a sua pequenina. vai ver que vai correr bem e que daqui a nada estamos para aqui a suspirar de alivio porque já passou o pior e já se estabeleceu uma nova rotina.

Bjs

CS disse...

Clara, boa sorte! De certeza que são maiores os nossos medos que os deles.
Bj

CS disse...

Di, com o passar dos dias, as escolas grandes vão ficando pequenas e eles cada vez maiores.
Bj e boa sorte para as duas :)

CS disse...

Cara leitora açoriana, obrigada pelas palavras e por partilhar das minhas aventuras da maternidade ;)
A escola fica na freguesia de S. José.
Bj

CS disse...

Kaipiroska, isto de ser mãe é um cabo dos trabalhos. Podia vir com eles um novo coração para nós, assim mais resistente ;)
Ela vai para uma escola onde possa seguir até ao 4º ano, perto de onde vivemos o que melhora muito :)

CS disse...

Sofia, já 10 meses!!! Ai! Bem... todos dizem que melhora com o tempo e que nos custa mais a nós.
Eu não sei... para a semana já partilho o meu primeiro dia de escola :)