ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Pensava que já estava imune

Já sou rapariga crescida, já tive desilusões amorosas de me levarem ao descrédito total, já tive desilusões com amigas que me levaram ao corte definitivo e à indiferença total sobre as mesmas, já tive desilusões profissionais que me fizeram olhar mais para o meu trabalho e me preocupar menos com o que se passa à volta.
Pensava eu que já estava uns 99% imune no que diz respeito a desilusões com outro ser humano.
Hoje, ainda com o estômago embrulhado (os sintomas começam aí), sofro uma desilusão profissional. São conversas atiradas para o ar, comentários infelizes, feitos com um facilitismo, em alto e bom som, que me voltam a roubar o chão.
Porquê? Porquê tanta preocupação com o que os outros fazem e tão pouca preocupação consigo próprios.
E quando sou desiludida não consigo sequer olhar para a pessoa, fico calada com medo do que possa sair pela boca porque nesses momentos pareço carregar o coração na boca e sei que vai saltar mal lhe dê um espaço mesmo que pequeno.


Juno Temple

4 comentários:

Anónimo disse...

Infelizmente somos seres bastante falíveis. Por vezes, as palavras e as ações dos outros magoam-nos, sem querer ou de forma propositada.

Cabe-te a ti esclarecer as coisas diretamente com a pessoa em causa, não para reatar qualquer tipo de relacionamento pessoal/profissional mas para o teu bem e paz de espírito.

Sentir-te-ás muito mais leve e a desilusão dará lugar à indiferença.

Sónia Barreto

CS disse...

Sónia, tens toda a razão. Quem sabe daqui a uns hoje. Hoje nem consigo abrir boca, pois estou a quente...

Anónimo disse...

Amiga
Estou a passar pelo mesmo... Só que ao contrário de ti nao consigo ficar calada e quem sabe mudar mesmo de ambiente.
HP

CS disse...

Querida HP, ao tempo que não nos juntamos. Temos que por conversa em dia e partilhar as nossas dores ;) espero que não seja muito situação grave... a minha dá bem para virar costas e olhar em frente.
BJ