ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Adeus maminhas, diz-me o António.

Se com a Alice fui eu que aos 9 meses decidi começar a fazer, calmamente, o desmame, com o António fui eu que levei com os pés, numa espécie de vingança pela irmã.
A Alice adorava mamar, mesmo que tivesse a barriga cheia de sopa e fruta. Mamava sempre antes de adormecer. Mamava a qualquer hora, bastava que se sentasse ao meu colo e sentisse o cheiro a leite como chamamento.
O António parecia que iria seguir as pisadas da irmã. As noites eram semelhantes, os dias parecidos. Não aguentava mais de 2 horas e, na maioria das vezes, ficava-se pela 1h e meia. Até que um belo dia, já depois dos 6 meses e meio apresentei-lhe o mundo do leite adaptado. Não reclamou e encheu barriga. No entanto, durante a noite não dispensava a maminha nas 4 vezes que acordava.
Com as sopas, a fruta e a papa começou a virar-me a cara quando eu o apresentava a maminha com o pensamento de: "Ah, por mais que comas, não resistes ao leitinho da mãe!". Ai não que não resisto, pensaria ele virando-me a cara vezes seguidas e gritando se insistia. Pronto, adeus mama de dia mas à noite tudo normal.
Vai um biberão pela meia-noite, a maminha nas 2h, nas 4h e nas 6h e tudo normal. Entra nova noite e ele começa a torcer o nariz quando lhe espeto a mama na cara. Eu penso que está ensonado, que não lhe apetece... acontece uma, acontece duas e três vezes e caio em mim... Ele não quer mais!
Usada e rejeitada, trocada por uma lata de leite Aptamil de 14€, é esse o meu preço.
Adeus maminhas, diz-me o António. Sem remorsos ou saudades da parte dele. Da minha, ainda não estava preparada...

2 comentários:

Monika Kardoso disse...

Aqui o meu bebe nao dispensa maminha mas gsostava de fazer o desmame de forma natural quando tivesse um ano, ou seja daqui a dois meses. mas ele nunca mamou num biberão. E o bebe dorme melhor, já não acorda tanto?

A Pimenta* disse...

Algum dia tinha de ser. E assim acaba por ser menos penoso para o bebé, porque foi algo que ele deixou de ter porque quis. O mesmo não acontece com a mãe, deve ser sempre muito mais complicado para a mãe.