ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Carlos González #1

Conheço-o pouco, muito pouco, mas já gosto dele:

A solução para as crianças que acordam muitas vezes à noite é levá-las para a cama dos pais?

O problema é que existe uma grande desconfiança em relação às mães e a tudo o que elas fazem. A desconfiança existe na sociedade e nas próprias mães, que não têm confiança em si próprias. Os bebés acordam várias vezes durante a noite, principalmente a partir dos quatro meses. Se eu digo: «Quando o bebé acordar de noite, faz-lhe uma massagem» e a mãe faz e o bebé adormece. A mãe pensa: «Que bem que funciona a massagem». Se digo para pôr a cama virada para oriente, seguindo as indicações do Feng Shui, e ele adormece, a mãe pensa: «Que bom é o Feng Shui». Mas se digo: «Mete-o na cama contigo», e ele adormece, ninguém diz: «Que bom é ele dormir comigo». Em vez disso, dizem: «Este bebé não dorme, se não o ponho na minha cama não dorme». Ou seja, é algo que funciona, mas parece que é mau. E passa-se o mesmo com o chorar. Dizemos: «Este bebé só chora, enquanto não lhe dou colo não se cala». Mas se lhe dermos um medicamento e ele se calar dizemos que o medicamento é maravilhoso.
Os bebés são muito fáceis de criar, muito fáceis de cuidar, só há que usar um pouco o senso comum, ver o que funciona e o que não funciona, lembrarmo-nos de quando fomos crianças. Não é assim tão difícil.

Sempre tive medo de colocar a Alice a dormir na nossa cama, ainda hoje é algo que evito com receio que se torne norma diária. Contudo, até aos nove meses ela amamentou e durante a noite fazia-o muitas, muitas vezes, sempre comigo deitada e ela ao lado. Impossível fazê-lo sentada ou fora da cama pois já assim me custava não imagino como seria de outra forma.
Acabava de mamar, berço. Se chorava lá ia o colo, às vezes, mais de uma hora a passear pela casa. Na cama é que não, pensava eu (burrinha de todo).
Nas férias, uma preocupação, ai que se vai habituar, ai ficamos nós no sofá e ela numa cama de casal sozinha (burrinha de todo volta a atacar).
Ouvimos tanto, queremos levar tudo à letra, ouvimos as experiências dos outros e quase deixamos de viver as nossas, únicas com o nosso bebé único.

Já não me preocupa tanto, já a meto na nossa cama, apesar de conversar com ela, de lhe fazer entender os dois espaços distintos. Se tem uma noite terrível que me chama de 5 em 5 minutos, se está mais constipada, chorosa, triste com o mundo, fica na nossa cama, no nosso calor e proteção. No dia seguinte o sol volta a nascer e ela tem a sua cama de volta.
É costume lá ir parar todos os dias por volta das 7h da manhã. Se acordar antes tento que fique na sua, apesar de às vezes me pedir: "Qué cama mãe!" Tenho conseguido dar-lhe a voltar e que fique na sua até de manhã. Se houvesse gritos de meia-noite, se sentisse que ela tinha medo, se achasse que estava a sofrer: "Toma meu amor a cama mãe!"

Cada família é uma família, cada casal um casal e cada bebé um bebé. Ouvimos, processamos, tentamos, acertamos, voltamos a tentar, erramos, e vamos vivendo...


9 comentários:

Anónimo disse...

Amiga
Conheço-o bem e acredita que é o melhor que há. Muitos deviam aprender com ele. Em relação a este assunto concordo com ele 100%. Se uma criança pede colo ou cama dos pais é porque precisa daquela proteção, daquele mimo. Complicamos muito as coisas simples.
Já basta chegar à adolescência e quererem se afastar... Vamos aproveitar enquanto se pode!
HP

CS disse...

É verdade ;) Tens alguma coisa dele para me emprestares?

A Pimenta* disse...

Confesso que é uma questão que me faz pensar muito. Penso logo que não quero habituar a minha filha a dormir no meio dos pais. Mas também já li que os filhos precisam do contacto físico com os pais. E fico eu meia à deriva quanto a esta questão, como fazer quando for mãe? Este texto fez-me pensar muito nisto. E faz sentido a opinião do especialista.

Jardim de Algodão Doce disse...

Com o primeiro filho eu pensava tanto nisso e a verdade é que foram raras as vezes que punha o puto lá a dormir. Com o terceiro, bem menina nem te conto...é o que resulta. ;)Beijos.

Anauel disse...

Já em tempos comentei aqui sobre este assunto. Também eu era da opinião de que os filhos tinham que dormir na cama deles. Nasceu a filhota, e foi tendo noites de dormir bem, de dormir mal, de acordar a meio da noite a chorar e querer ir para a nossa cama. Andamos uns dias a não ceder mas nenhum dos 3 dormia, até que nos deixamos de importar se era certo ou errado e se ela quer ir para a nossa cama vai e todos ficamos melhor. Deitamo-la sempre na cama dela, mas a meio da noite acorda e vai para a nossa cama. Ela é mais feliz assim e consequentemente nós também.

Anónimo disse...

A minha dormia sempre na cama dela, eu era ditadora. Dormia bem e n havia problema. Começou a dormir mal, a acordar 4 vezes por noite, um stress imenso. Comecei a trazê-la para a nossa cama e lá se mantém há uns meses. A ver vamos como a vamos mudar novamente...

CS disse...

Anónimo, que idade tem agora a sua?

CS disse...

Ananuel, o problema é ouvirmos muitas histórias das bocas dos outros e depois termos sempre um sentimento de culpa e acharmos que estamos a fazer mal...
Que bom que todos encontraram a melhor solução para a família.

CS disse...

Pimenta, quando chegar a altura farás o que o teu coração mandar... não vale a pena antecipar. É sempre diferente do que planeamos.