ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Uma segunda gravidez é tão diferente

As minhas colegas queixam-se que não ando a exibir a minha barriga, que não entro nos gabinetes a falar do meu bebé, que não faço conversa sobre o bebé, que não falo em supostos nomes, que não faço graças e ando a rodopiar pelos corredores como fazia quando estava grávida da Alice.
Não, não faço nada disso. Se pensar quais as razões, talvez indique algumas... Foi totalmente desejado como o primeiro contudo, os sustos iniciais de saber se levaria esta gravidez até ao fim mantiveram-me em suspenso, em quebrar um pouco o elo de ligação. Uma defesa minha para sobreviver à suspeita do pior cenário. Depois tenho uma menina de 2 anos e meio que me suga energia e tempo fazendo com que os dias passem correndo. Além disso, já quase nada é novidade, surpresa.
É uma gravidez boa, desejada, mas menos focada nela, mais virada para o futuro, adiando toda a magia para depois do nascimento. A Alice continua no centro das atenções. Ela pede-nos e exige-nos tempo para brincar, para cuidar, para passear. Este menino não me pede nada. Este menino espera apenas por alimento, conforto e descanso para poder crescer e entrar nesta família.
Ainda não pensei em nomes. Ainda não pensei em nada logístico para a sua chegada. Ainda não imaginei como será o seu rosto, se parecido com a irmã, com o pai ou a mãe.
Sei uma coisa, chegará mais rápido do que a irmã, sem darmos conta estará nos nossos braços, sem darmos conta a nossa família terá crescido em tamanho, em amor, em alegria e em cansaço.

P.S. Já não existe o esticar as pernas depois do trabalho. Já não existe a soneca ao fim da tarde para restabelecer forças. Já não existem os passeios pelas montras das lojas a ver e comprar coisas de bebé. Já não existe o dormir só mais um pouco. Já não existem banhos de imersão. Já não existe o "vou ver um filme à hora que me apetecer". Já não existe o "adoro-te meu sofá". Já não existe o "finjam que morri e deixem-me ficar algum tempo sem sequer pestanejar".

2 comentários:

A Pimenta* disse...

Acredito que sim, ao ler o teu post revi algumas palavras que já fui lendo noutros testemunhos de uma segunda gravidez. Na primeira experiência como mãe é tudo vivido a mil. Na segunda acredito que haja mais maturidade para viver esta fase, a experiência anteriormente adquirida faz-se notar. Ainda ontem falava com o Apimentado sobre as mulheres grávidas que já têm filhos pequenos, acredito que seja necessário uma energia bem redobrada para aguentar com tudo!

CS disse...

É mais serena, vivida sem tanta atenção porque temos alguém que precisa muito de nós... sim, preciso redobrar energias. Um estágio para o que virá ;)