ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O momento

Entrei no bloco de partos pelas 18h30. Olhei bem o relógio da parede e desejei que fosse a tal hora curtinha que todos me desejavam quando se cruzavam comigo.
Eu tremia por todo o lado. Era frio misturado com ansiedade com uns salpicos de medo. A picada para a epidural foram umas 3 ou 4. Estava a custar mas não dói quase nada.
Depois uns 15 minutos de espera. Os choques nas pernas, o formigueiro a chegar e eu a pedir ao anestesista para não ter receio de dobrar na dose, por sim, por não. Depois a minha tensão desceu a pico e chegaram as náuseas e vontade de vomitar. Tudo normal, dizia ele...
Quando chegaram os restantes médicos pensei que já não havia volta a dar. Estava na hora. O anestesista diz em voz alta: "Eih lá, hoje temos equipa vip para esta cesariana!" Levei a frase como verdadeira e sem ponta de sarcasmo.
O meu médico olha para mim e eu para ele cheia de medo: "Isto vai correr bem, não vai dr?" Ele: "Claro que sim..." Não me tranquilizou mas tentei respirar fundo e tentar controlar os tremores que tinha no corpo.
Começaram a cortar. Depois a pressão em cima da barriga a puxarem o bebé para baixo. O ato levou tempo, muito tempo. Até que decidem aumentar a abertura e cortar músculos da barriga. Nova pressão, uns gemidos meus e depois o choro de um bebé... era o meu bebé. Já estava cá fora e chorava... eu não chorei, não senti a emoção que a maioria das mães diz sentir. Senti um alívio, uma sensação de paz para voltar novamente o repuxar na barriga, a pressão, o som do aspirador. Tentei não acompanhar as conversas dos médicos com medo de perceber tudo o que diziam. Aliviaram o ambiente a falar do restaurante de B. e das comidas e dos vinhos etc... eu só desejava que tudo terminasse.
Mostraram-me já vestido, por breves segundos, já sereno, pequeno e doce. Deu-me vontade de o tocar, cheirar, ter a certeza que era todo meu...
Ainda fiquei estendida e amarrada por mais uma meia hora. As costuras internas e externas fizeram-me impressão, senti-me completamente repuxada mas pensei que talvez fosse bom sinal. Pensei que me estavam a esticar bem, bem melhor que numa lipoaspiração.
O pai aguardava no corredor. Cá não permitem assistir a cesarianas e talvez seja melhor. Sempre posso dizê-lo que nem pestanejei, nem tremi ou então que me fizeram horrores e eu ainda cantarolava. Na verdade, podem gritar: "Chicken"
Bem... mantive-me à altura. Não gritei, não chorei, não ameacei ninguém. Apenas choramiguei por comida e água e não era para mim e sim para o meu filho em hipoglicémia.
Saio da sala de partos pelas 20h e fico mais uma hora no recobro já com o meu menino à mama, já colado a mim novamente...
Correu tudo bem. Ele está bem, muito bem. Eu já estou melhor, muito melhor,

7 comentários:

Fashionista disse...

Parabéns e muitas felicidades!

Monika Kardoso disse...

Ainda bem que ja tenho o meu bebe ao ler o texto. Parabens pelo bebe. A mana deve estar super orgulhosa. Nunca pensei em ter cesariana, sempre achei que fosse parto normal como aconteceu pois a recuperaçao e tramada. beijinhos

Pirata disse...

Fizeste-me recordar o dia em que o Piratinha nasceu.

Beijinho
http://thepirateandi.blogspot.pt/

raquel disse...

<3
e que corra tudo muito bem!
Sempre!

Anónimo disse...

Parabéns pelo Afonso! agora com 2 a vida e 1rebolico!
Olha podes me dizer qual o sitio que ficas em lisboa, não consigo recordar...
beijinho

Rabiscos de Amor disse...

Parabens :) muitas felicidades para todos!! :) que emoção

A Pimenta* disse...

No meu caso também foi cesariana e o pai pôde assistir a tudo, de início ao fim tendo visto demasiado até. Mas sei que a presença dela ali foi fundamental para mim.