ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, 29 de maio de 2013

"Ah, isso é mimo a mais!"

Ouve-se com frequência.
Para mim, dar muito mimo (amor), muito colo, muitos beijos e abraços não significa que não se imponham limites, que não se chame à atenção, que não se repreenda.
Ouço mães a dizerem logo na primeira semana de nascimento do seu filho: "Ah, ele chora mas eu não vou logo, nem lhe dou colo. Cria logo manhas e fica muito chorão!" ou "Chorar faz bem! Colo só mesmo quando necessário!"
Talvez estejam elas certas. Eu fui e sou diferente. Sempre dei muito colo, sempre beijei muito a minha princesa, dou-lhe abraços até ela esbracejar. Nunca me importei com manhas ou vicíos, sabendo que quem ficaria viciada em tanto contato físico seria eu e não ela.
O que vou lendo é que nunca nenhum filho teve problemas por ter sido amado demais, nunca ninguém foi por maus caminhos por excesso de amor ou mimo.
Eu acho que é bem o contrário. Eu acho que, muitas vezes, até pensamos que demos todo o amor e tempo do mundo aos nossos filhos, pensamos que demos o possível e o impossível e não percebemos porque razão não nos ouvem, não nos obedecem, não nos vêm como autoridade. Eu acho que, às vezes, fazemos tudo trocado, na melhor das intenções, fazemos como nos dizem para fazer, como vemos os outros a fazer, como fizeram connosco. Eu acho que, às vezes, está tudo trocado e estamos a fazer tanta coisa mal...

O conselho semanal de quem aderiu ao berra-me baixo é:




8 comentários:

Ivânia Diamond by Ivânia Santos disse...

Ai concordo tanto contigo :))

mmm´s disse...

Concordo em absoluto! A vinculação parental será tanto mais sucedida quanto mais amor se transmitir aos filhos, desenvolve a sua capacidade de amar e de cuidar.

http://www.lavarcabecas.blogspot.pt/

CS disse...

Fazemos nós parte das mães que mimam demais ;)

Soltas as Palavras disse...

Não poderia concordar mais contigo! Eu sei que ás vezes até sou chata, por andar sempre atrás do meu branquinho, a beijar, a mimar a fazer cócegas, eu sou uma pessoa muito de toque, adoro pegar na mão dele, mexer-lhe na cabeça, dar-lhe montes de beijinhos no corpo todo enquanto o seco depois do banho. Na realidade e por ás vezes nos dizerem que estão a ficar com muito mimo, eu falo por mim, mas ás vezes penso, poxa será? Será que estou a fazer bem? Será que quando ele chora devo deixá-lo mais um pouco para não se habituar a que vá logo ter com ele? De inicio acontecia-me muito ficar de consciência pesada, agora tento fazer o que EU acho que está certo, o que acho que devo fazer. Cada criança é uma criança e se for feito de coração, de certeza que vai ser uma criança feliz e educada, claro que sempre com regras.
Ai é tão bom mimá-los.

Cindy disse...

Tema polémico... Nunca fui de ligar a esses disparates. Se até nós adultos queremos um miminho quando choramos, quanto mais um bébé, indefeso e acabado de ser largado num mundo desconhecido? Jamais serei adepta do deixar chorar, do virar costas aos braços erguidos da minha pequenita. O toque é muito, muito importante, principalmente nos primeiros meses, em que outros sentidos não estão tão desenvolvidos. Ainda me lembro da minha pequenita dormir enroscada no meu peito, eu recostada em almofadas no sofá... Só assim acalmava das cólicas. E agora já nem lá cabe! Eles crescem tão rápido... Há-de chegar o dia em que vão fugir dos nossos mimos.

xoxo
cindy

CC disse...

Como concordo contigo!!! Sempre beijei, abracei, massajei e mimei muito o meu A! E acho que isso só lhes faz bem! Muito bem. Nunca é demais perceberem como são amados e queridos, não invalidando logico os merecidos limites e ralhetes. Acho que uma coisa nao invalida a outra.
Beijo grande,
CC

CS disse...

cindy, toda a razão. Tudo nos foge por entre os dedos. Ela já nem gosta de muitos apertos ;)

CS disse...

CC, saudades tuas e do teu A. :)
Haverá coisa melhor que amar e mimar esses tesouros? ;)