ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Grávidas que fumam

Considero-me uma pessoa muito compreensiva, pouco irritável, nada nervosa e muito pouco extremista mas há algumas coisas em que só vejo branco ou preto, não há cá zonas de tonalidades cinzentas.
Quando vejo uma grávida a fumar fico aflita e com uma vontade quase incontrolável de lhe apagar o cigarro na testa. Eu não tenho vícios e talvez, por isso, não entenda muito bem isso dos vícios e de não se conseguir controlar e de ser mais forte que a vontade da pessoa e de estar acima de todas as coisas, sentimentos e pessoas. Talvez, por isso, também não acredite nem aprove quando vêm com a conversa de que: "Ah, o médico disse que era melhor fumar 1 ou 2 cigarros em vez de andar nervosa ou deixar assim de repente." Até acredite que o médico diga não acredito nada é no conteúdo da conversa. E melhor, melhor não seria deixar de entupir, voluntariamente e conscientemente, o filho de fumo, afetando negativamente a sua saúde: problemas cognitivos, respiratórios, baixo peso, nascimento permatura, and so on...
Quem não consegue deixar de fumar enquanto está grávida não está preparada para as mil e uma privações com que somos confrontadas quando vivemos a maternidade. Quem não coloca a saúde de um filho acima do seu desejo/vício/burrice/estupidez natural (riscar o que não corresponde), terá muitas outras situações onde o seu filho ficará para segundo, terceiro ou quarto plano.

Para mim, e dando-me ao luxo de poder ser extremista aqui no meu blog, fumar durante a gravidez devia ser considerado como maus tratos ao feto/bebé. No futuro, num país mais civilizado, acho que lá chegaremos.

P.S. Num caso nada semelhante mas que merece ser referido por ter sido considerado um mau trato quando talvez a maioria assim não o ache foi o fato de ter sido julgada uma mãe no nosso tribunal por dar leite de vaca à sua bebé que tinha menos de 1 ano de idade. Para quem desconhece a razão, o leite de vaca tem muita proteína, sendo uma agressão para os rins de um bebé. O mesmo poderá ficar com lesões definitivas e graves, que neste exemplo foi o que aconteceu.
Não me vou alongar mais pois isto daria outro post...



11 comentários:

Jo disse...

Concordo totalmente. Não fumo e nunca fui mãe. Mas não consigo perceber o que passa pela cabeça das mulheres que, grávidas, não deixam de fumar. Também já ouvi essa conversa de 'o médico disse que era melhor assim' mas não me convence, talvez por não ter o vício sim, mas não entendo, tal como tu.

Mammi Cris ♥ disse...

Fumar é psicológico... Também não consigo ver uma grávida a fumar apetece chegar ao pé dela e enfiar a cara dela numa sala fechada cheia de fumo a ver se ela gosta!
Eu fumava e quando começei a planear a minha gravidez reduzi fumava 2 a 3 por dia, no dia que desconfiei que era possível estar grávida 17 de maio 2011 nunca mais fumei e nem quero, agora sou mãe tenho de viver mts e mts anos para criar o meu tesourinho!! E não sei como é que algum dia fumei... Hoje acho que foi a maior asneira que fiz na vida mas também é com os erros que aprendemos!! o meu marido deixou de fumar à 4 meses isso também porque quer ser um pai saudável! Mas também sempre disse um dia que fique grávida deixo de fumar e aconteceu era incapaz de sujeitar o meu tesourinho às porcarias de um cigarro.
DEIXEM DE FUMAR PELA SUA SAÚDE

Flutuações da mente disse...

Concordo!

Dina disse...

Concordo totalmente!
Nunca tinha ouvido falar desse caso do leite de vaca...

Cat disse...

Subscrevo!

Mãe de gémeos disse...

Também não consigo ver uma grávida a fumar. Em relação à mãe que dava o leite de vaca e sem saber a história às vezes e na conjuntura actual acredito que aconteça muito porque o leite artificial é caro (eu e como eram gémeos cheguei a comprar 5 latas de leite numa semana a 15€ cada é só fazer as contas). Se calhar a maior parte de nós bebeu leite de vaca desde tenra idade e julgo que não andamos todos com doenças, a comer papa maizena e afins. Entre dar leite de vaca e fumar na gravidez não sei qual deveria ser julgado em tribunal.

CS disse...

Mãe de Gémeos, percebo o que quer dizer. Realmente o leite artificial é carissimo. Sei-o agora que deixei de amamentar. Mas também é verdade que muitas mulheres podem amamentar e decidem não o fazer mesmo tendo dificuldades económicas. Em África as crianças passam fome mas enquanto estão a ser amamentadas estão alimentadas e todas conseguem amamentar mesmo tendo uma alimentação tão pobre. Neste sentido, a questão financeira não me parece ser justificação. E se, muitos de nós com leite de vaca, maizena e afins e vemos hoje as doenças que 90% carrega. Talvez venha de tenra idade, quem sabe...
bj

Mãe de gémeos disse...

Eu só acho muito excessivo ir a tribunal, não concordo que se dê o leite de vaca até porque aos meus fiz a passagem gradual aos 13 meses, em relação ao leite materno nem todas podemos fazer, eu sou um exemplo, preparei-me para o fazer (discos, soutiens de amamentação) como tive que fazer medicação para a tensão após o parto e como também não foi estimulado nem leite tive.
Graças a Deus eu e os meus irmãos também fomos alimentados com leite artificial (para quem não se lembra era doado nos dispensários).

Kristianna disse...

Ola boa noite!
Eu sou uma mae fumadora, que NAO fumou um unico cigarro na gravidez...
Eu felizmente enjoei o tabaco 2 dias depois de saber que estava gravida, e durante toda a gravidez nao fumei um unico cigarro (e ja fumava ha 15 anos!!) enjoei, mas se nao tivesse enjoado, ja me tinha mentalizado que nao o fazia na mesma...voltei estipidamente a fumar 4 meses depois da minha filha nascer, pois nao consegui amamentar...
Quanto ao leite de vaca...è interessante, porque eu dei leite artificial á minha filha ate aos 15 meses, mas ja a partir do 11 que a pediatra me dizia para lhe dar leite de vaca com agua...acho que cada pediatra inclusive tem teorias diferentes...a pedi da minha filha ficou parva, quando aos 18 meses, numa consulta eu disse que ainda nao lhe dava carne de porco...pois no país onde eu vivia, as crianças assim que tivesssem carta verde para comer carne e peixe, incluiam de imediato a carne de porco...(sei que nao tem nada a ver com o tema do tabaco...mas acreditem que quanto a alimentaçao, as opinioes de variam muito de país para país)!

Anónimo disse...

Muito bom. Excelente reflexão.

Claudiamar

Ana Condinho disse...

Fui fumadora durante 16 anos, deixei de fumar quando engravidei...não custa nada, desde que tenhamos vontade!
Odeio mesmo ver uam grávida a fumar..não há dúvida alguma de que está a matar o seu próprio filho!
Adorei o Post.

Ana Condinho