ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Posta à prova

Enquanto mãe sinto que sou colocada à prova todos os dias, em todos os momentos e que todas as minhas ações têm consequências futuras de proporções astronómicas.
Esta noite Alice começou a dormir às 20h30. Acordou às 2h30. O pai preparou-lhe um biberão e tentou dar-lhe. Insucesso pois ela não tirava os olhos de mim, recusando o biberão.
Peguei nela e no biberão e consegui que bebesse sem queixume os 180ml. Senti-me cheia de força pois não tinha pedido a mama.
Coloco-a no berço dando início à minha odisseia de mais de 2 horas pela madrugada adentro. (2 horas de madrugada equivalente a 5 ou 6 horas de dia em termos de paciência, cansaço físico e vontade de atirar tudo ao ar, virar costas e assobiar como se não fosse nada connosco).
Deitada no berço resmunga que lá não quer ficar. Vira-se mil vezes, levanta os braços para mim, choraminga em sinal de socorro. Pego nela. Colo. Circulo pelo quarto. Berço. Choraminga e refila. Colo. Mais uns 500 metros pelo quarto. Berço. Novamente as mesmas ações. B. diz-me: "Deita-a aqui na cama." E a frase por mais tentadora que possa parecer, resisto cheia de dúvidas.
Por um lado, sei que ela adormeceria 5 minutos depois de se deitar no meio de nós os dois, no quentinho e cheiro dos pais que lhe deve transportar imediatamente para o lugar mais seguro do seu reino. Por outro lado, agora que faço planos de a mudar para o seu quarto (ainda por preparar) vou habituá-la à nossa cama sempre que acordar a meio da noite?!
Vou para a sala, deito-a no sofá, deito-me ao lado. Resmunga. Sento-me com ela no colo. Resmunga. Embalo-a ao colo fazendo mais uns 500 metros na sala.
Vou à cozinha e preparo outro biberão. Afinal já eram 4 horas da manhã e pode ser que não tivesse achado suficiente o leite.
Volto ao quarto de biberão na mão e Alice na outra. Sento-me de poltrona. Dou-lhe o biberão. Bebe uns golos e rejeita procurando a mama. Insisto. Bebe mais uns golos e repete a procura da mama.
Biberão de lado, mama direita de fora. Fica a mamar, parecendo adormecer em 5 minutos. Tiro lentamente, coloco-a no berço. Deito-me. Num minuto vira-se, resmunga, procura-me. Tento acalmá-la no berço. Desisto. Pego nela ao colo. Poltrona. Mama esquerda de fora. Mama e passados mais 5 minutos parece adormecer. Volto ao berço pedido a Santos que desconheço que me dê descanso. Sinto-me cansada, aborrecida, cheia de vontade de a colocar no berço e atirar-me num sono profundo, não ouvindo mais nada.
Passa das 4h 30m quando volta ao berço e eu deito-me na cama em novo chamamento divino: "Ai meu Deus, tem pena de mim." Incrível como ele aparece no meu pensamento e boca vezes sem conta desde que fui mãe. Muito natural que ele esteja tão cansado de ser chamado de noite, como eu estou de fazer adormecer a Alice.
Levanto-me em menos de 3 horas para trabalhar. Chove lá fora e o meu primeiro pensamento é meter um dia de férias e morrer para o mundo até a Alice despertar. Levanto-me, olho para o berço onde dorme um anjo. A diabrura que esteve comigo de madrugada não parece ter deixado vestígios.
Ainda deve estar a dormir e eu a pensar se fiz bem, se fiz mal. Se a não a querer habituar na cama dos pais a estou a habituar aos percursos pelo quarto e sala, à mama para acalmar, ao colo?!

E fui e sou posta à prova e sempre sem ter a certeza se passei ou não?

4 comentários:

S@ndr@ disse...

Como entendo esse cansaço, mas tenho que te dar os Parabéns por teres força de não a deitares na vossa cama, eu sou um pouco mais fraca.. dou-lhe de mamar deitada e acabamos por dormir as duas assim, quando de repente acordo(por vezes passado 1h) levanto-a e deito-a no berço e na maior parte das vezes ela acorda logo.. Se não a levanto ela dorme pregadinha. Tem noites que de manhã nem me lembro qts vezes dei de mamar e a que horas o fiz e quantas fraldas foram trocadas, acho que faço isso em modo de sonâmbula! Sempre disse que não a queria deitar no meio de nós mas fui vencida pelo cansaço..

CS disse...

Sandra, até há muito pouco tempo dava de mamar sempre na cama, pois acontecia 5, 6 vezes por noite. Também adormeceu muitas vezes ao meu lado. Acho que é perfeitamente natural e que fazes muito bem.
Agora, a Alice tem quase 9 meses, já tem outra perspectiva das coisas e apercebe-se de muito mais. Geralmente acorda 2 vezes por noite, o que já é uma grande ajuda.
A partir de agora, ou daqui a uns tempos ela já tem consciência de escolher onde quer dormir e é nisso que não lhe quero habituar. Quero que ela saiba que o berço é a cama dela. Poderá ficar ao colo para a ajudar mas que não existe outra cama para ela.
Se calhar até estou a ser irracional, não sei...
Dúvidas, a minha cabeça é só dúvidas :)

Insolente disse...

Eu sei que cada criança é um caso mas a minha começou a dormir bem melhor depois de a mudar de quarto (e ainda mamava)... não sei se é o facto de sentir o cheiro da mãe ou se acordava connosco... experimenta fazer isso!! A luta de não a levar para a nossa cama também a travei e agora ela sabe perfeitamente que a nossa cama não é para dormir... :)

CS disse...

Não é a primeira pessoa que me diz isso. Tenho que começar a tratar dessa questão o quanto antes...
Obrigada pela partilha :)