ALICE

Lilypie Fifth Birthday tickers Lilypie Second Birthday tickers

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A minha mãe

A minha mãe é uma força da natureza, um pilar na minha família. Encontra soluções para todos os problemas e diz que apenas a morte não tem remédio, tudo o resto tem sempre uma solução.
Ao longo da minha vida aprendi com ela a ser lutadora, pro-activa, positiva, sorridente, concentrar-me mais no que a vida nos traz de bom e minimizar o que traz de mau.
Isto para dizer que ao ver esta fotografia abaixo lembrei-me que a minha mãe fez o mesmo que a Meryl Streep. Quando fez 30 foi ao fotografo tirar uma série de fotografias. Uma espécie de eternizar uma passagem, não sei... No dia que fez 50 decidiu tirar fotografias no estúdio fotográfico, em poses semelhantes, com a mesma blusa e o mesmo colar que tinha usado aos 30. Vinte anos de diferença, mais uma ou outra ruga, os cabelos permanecem de um castanho quase preto sem conhecerem tinta, o sorriso mantem-se, os olhos transmitem mais sabedoria...

5 comentários:

Anónimo disse...

A tua mãe e a minha são muito parecidas e embora a minha vá fazer 80 anos em Maio, continua como se tivesse 50 anos. Somos umas felizardas por termos as mães que temos.
Gostaria de ter a importância na vida da minha filha como a minha mãe tem na minha...

HP

MC disse...

A ideia é mt gira!

CS disse...

H.P., a importância que terás na vida da tua filha é maior do que qualquer mãe. Tu sabes! Tenho muito orgulho em ti e no D. Já o tinha, mas agora tenho mais e gostava de ser como vocês quando for grande :)

CoriscaRuim disse...

Olha, que ideia original :)

A minha Mamãe detesta tirar fotografias, vira sempre a cara, tapa com a mão..As únicas fotografias de jeito que conheço dela são do dia do casamento, toda elegante e sorridente,com o janota charmoso do meu Papai..
...Também tem algumas comigo e com manita mais nova em bebés...mas, de resto, rien du rien!

...E eu que acho a minha Mamãe tão linda e prezada...tenho de lhe tirar fotos à socapa!

Ela disse...

É verdade. Tua mãe sempre desvalorizou os aspectos negativos da vida, como se fossem a pedra num sapato que, na altura certa se poderá descalçar e deitá-la fora.